Sexto Júlio Julo
Tribuno consular da República Romana
Tribunato 424 a.C.

Sexto Júlio Julo (em latim: Sextus Iulius Iullus) foi um político da gente Júlia nos primeiros anos da República Romana eleito tribuno consular em 424 a.C.. É provável que ele seja irmão de Lúcio Júlio Julo e filho de Vopisco Júlio Julo, cônsul em 473 a.C.[1].

Tribunato consular (424 a.C.)Editar

Em 424, Sexto Júlio foi eleito tribuno consular novamente, desta vez com Lúcio Sérgio Fidenato, Ápio Cláudio Crasso e Espúrio Náucio Rutilo[2].

Durante o ano foram instituídos grandes jogos para festejar a vitória sobre Veios e Fidenas nos dois anos anteriores. Candidatos plebeus, com o apoio dos tribunos da plebe, entraram em campanha para as eleições do ano seguinte. O Senado e os tribunos consulares, num encontro secreto sem a presença dos tribunos da plebe, decidiu que cônsules seriam eleitos para o ano seguinte, excluindo a possibilidade de se eleger um plebeu. Para evitar protestos dos tribunos da plebe contra a decisão, Senado envia os tribunos consulares para investigarem um possível abuso dos volscos contra os hérnicos e deixam Roma aos cuidados de Ápio Cláudio, conhecido por sua antipatia em relação aos tribunos da plebe pelo tratamento que deram ao seu pai[2].

Ver tambémEditar

Tribuno consular da República Romana
 
Precedido por:
'Lúcio Quíncio Cincinato II

com Lúcio Fúrio Medulino II
com Aulo Semprônio Atratino
com Lúcio Horácio Barbato

Ápio Cláudio Crasso
424 a.C.

com Lúcio Sérgio Fidenato II
com Espúrio Náucio Rutilo
com Sexto Júlio Julo

Sucedido por:
'Caio Semprônio Atratino

com Quinto Fábio Vibulano Ambusto


Referências

  1. Broughton 1951, p. 68.
  2. a b Lívio, "Ab Urbe Condita libri" IV, 3, 35-36.

BibliografiaEditar

  • T. Robert S., Broughton (1951). The Magistrates of the Roman Republic. Volume I, 509 B.C. - 100 B.C. (em inglês). I, número XV. Nova Iorque: The American Philological Association. 578 páginas