Abrir menu principal
Question book.svg
Este artigo ou secção necessita de referências de fontes secundárias fiáveis e independentes. Fontes primárias, ou com conflitos de interesse, não são adequadas para verbetes enciclopédicos. Ajude a incluir referências.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção possui várias ligações inativas.

Por favor, ajude a melhorar o conteúdo, corrigindo, recuperando url's arquivadas em sites de arquivamento como Wayback Machine e Archive.is, ou adicionando novas referências e notas de rodapé que mencionem fontes fiáveis e verificáveis apropriadas.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Sidney Leite
Deputado Federal pelo Amazonas
Período 1º de fevereiro de 2019 até Atualidade
Dados pessoais
Nome completo Sidney Ricardo de Oliveira Leite
Nascimento 8 de abril de 1967 (52 anos)
Maués, Amazonas
Nacionalidade Brasileira
Partido PSD
Profissão político

Sidney Ricardo de Oliveira Leite (Maués, 8 de abril de 1967) é um servidor público [1] e político brasileiro.[2]

Sidney nasceu e cresceu em Maués, município localizado na região do baixo Amazonas. Órfão de pai, começou a trabalhar aos 12 anos de idade para complementar a renda da família. Durante sua trajetória escolar, Sidney estudou em escolas públicas, onde deu os primeiros passos como líder de movimentos estudantis. Aos 14 anos, preocupado com a situação da escola onde estudava, fundou a União dos Estudantes Secundaristas de Maués (Amazonas)|Maués, junto com outros alunos. Em Manaus, foi também presidente do Centro Universitário de Comunicação Social (Cucos), da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), e participou da diretoria do Diretório Central dos Estudantes (DCE).[3]


PolíticaEditar

 
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde fevereiro de 2019). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Em 2018 foi eleito deputado federal pelo estado do Amazonas, pelo PSD. Segundo Sidney, seu mandato será focado em resolver problemas sérios do estado como a segurança das fronteiras, melhorar os índices de educação do Amazonas e promover o desenvolvimento econômico e sustentável.

No ano de 1993, Sidney Leite exerceu os primeiros cargos públicos de sua carreira política. Com apenas 25 anos, acumulava as funções de vice-prefeito de Maués (Amazonas)|Maués e de secretário municipal de Educação. Em 1994, assumiu pela primeira vez a Prefeitura do município. Em 1997, Sidney foi presidente do Instituto de Cooperação Técnica Intermunicipal (Icoti). No ano seguinte, ainda na presidência da entidade, foi nomeado presidente do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário do Amazonas (Idam), pelo então governador do Estado, Amazonino Mendes. Em 2000, ganhou a eleição municipal de Maués (Amazonas)|Maués com a maior diferença de votos da história política do município. No ano de 2003, foi eleito presidente da Associação Amazonense dos Municípios (AAM), cargo que renunciou em 2004 para concorrer novamente à Prefeitura. Reeleito, Sidney Leite assumiu pela segunda vez a Prefeitura de Maués (Amazonas)|Maués, e também a presidência da AAM, no ano de 2005. Em 2006, concorreu ao cargo de vice-governador do Estado, na candidatura de Amazonino Mendes. Em 2009 assumiu a Secretaria Municipal de Projetos Especiais e Gestão Tecnológica (Semtec) da Prefeitura de Manaus. Como secretário da pasta, Sidney Leite implantou na capital o Programa Bolsa Universidade (PBU), que já beneficiou milhares de estudantes de baixa renda com a concessão de bolsas de estudo, realizada por meio de parcerias com instituições particulares de ensino superior. Após o trabalho pioneiro executado na Semtec, Sidney deixou o órgão para concorrer ao cargo de deputado estadual em 2010, sendo eleito com a expressiva votação de 30.399 votos.

O parlamentar foi reeleito em 2014 para o cargo de deputado estadual. Em março de 2015, Sidney Leite licenciou-se do parlamento para assumir a Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror), onde permaneceu até novembro de 2016, onde o seu principal desafio foi o desenvolvimento do Programa de Mecanização Agrícola e Pró-calcário. [3]

Realizações na EducaçãoEditar

 
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde fevereiro de 2019). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Quando prefeito de Maués (Amazonas)|Maués, Sidney Leite construiu mais de 150 escolas na zona urbana e em todas as comunidades rurais e indígenas do município.[carece de fontes?] Além disso, foi o primeiro prefeito do Brasil a levar para as salas de aula o ensino em português e na língua indígena Sateré-Mawé, tornando-se assim uma referência nacional em educação indígena.[carece de fontes?] Por meio de parcerias com a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e a Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Sidney graduou todos os professores da rede municipal de ensino em nível superior; pagou também 15º salário aos docentes e instituiu o Plano de Cargos e Salários (PCCS) da categoria.[carece de fontes?] Outras ações importantes foram a criação do Telecentro de Informática de Maués (Amazonas)|Maués, em parceria com o Sebrae, e do programa Aldeia da Juventude, que funcionava como um espaço multiuso, dotado de cursos de formação para jovens em diversas áreas.[carece de fontes?] O objetivo da Aldeia da Juventude era preparar os estudantes para o mercado de trabalho, oferecer cursos de dança e música e um espaço para a cultura e o lazer.[carece de fontes?] Uma das grandes conquistas alcançadas por Sidney Leite para a transformação da qualidade do ensino no município foi a ampliação dos recursos recebidos para a educação.[carece de fontes?] Durante sua gestão, o volume de recursos repassados pelo Governo Federal cresceu em cinco vezes.[carece de fontes?] No ano em que Sidney Leite entregou a administração da cidade (2006) para o então vice-prefeito, a Prefeitura recebia R$ 13 milhões ao ano só em Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).[carece de fontes?] O avanço da qualidade do ensino no município foi comprovado pelos dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), que apontaram que nos dois primeiros anos da administração de Sidney Leite, o número de alunos matriculados no ensino médio aumentou 70% e no ensino fundamental, 150%.[3]

Referências


  Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.