Sobre Todas as Coisas

Sobre Todas as Coisas é o décimo primeiro álbum da cantora e compositora brasileira Zizi Possi, lançado em 1991, pela gravadora Eldorado.[1] É considerado um marco em sua carreira, e surgiu como um registro do aclamado e exitoso show acústico que estreou em Curitiba, em 1990.[2] As canções do show foram arranjadas com três instrumentos: piano, violoncelo, e percussão.[2]

Sobre Todas as Coisas
Sobre Todas as Coisas
Álbum de estúdio de Zizi Possi
Lançamento 1991
Gravação Multi Estúdio, RJ / Estúdio Veridiana, SP
Gênero(s) MPB, pop, pop latino
Idioma(s) Português, Espanhol
Formato(s) LP
Gravadora(s) Eldorado
Produção Zizi Possi e Antonio Duncan
Cronologia de Zizi Possi
Estrebucha Baby
(1989)
Valsa Brasileira
(1993)

Após a baixa repercussão de seu trabalho anterior, "Estrebucha Baby" (1989), e problemas pessoais devido à separação de Líber Gadelha, seu parceiro artístico e ex-marido, Zizi buscou novos caminhos. Um convite para um show em Curitiba levou à concepção do espetáculo com arranjos minimalistas. Uma gravação não oficial do show resultou na ideia de lançar um disco, que foi apresentado à gravadora Eldorado.

O álbum, mantendo a essência do show original, recebeu elogios da crítica especializada pela sonoridade minimalista e interpretações elegantes de Possi. Recebeu uma nomeação ao Prêmio Sharp de 1991 e ganhou o prêmio de "Melhor Cantora do Ano". Comercialmente, alcançou sucesso, atingindo o topo das listas de álbuns mais vendidos de MPB.

Antecedentes editar

Após a baixa repercussão de seu trabalho anterior, Estrebucha Baby, de 1989, Possi encontrava-se em meio a problemas de ordem pessoal (separando-se de Líber Gadelha, que era compositor, diretor e produtor de alguns de seus discos e shows)[3] e frustrações com as vendas daquele que, até então, considerava o seu melhor disco.[3]

Possi atribuiu o desempenho do disco, a fraca divulgação que a sua gravadora, PolyGram, tinha dado.[3] Um novo presidente assumiu o cargo e ao questioná-la sobre uma forma de reatar os laços e a parceria (que durou 12 anos e rendeu 11 discos gravados),[4] a cantora pediu a liberação do contrato.[3]

Nessa época, empresários do Teatro Paiol, de Curitiba, pediram um show, e ela o dirigiu em parceria com Jetter Garotti e Marcus Suzano.[3] Os três tiveram a ideia de gravar clássicos da música brasileira com uma instrumentação minimalista.[3] Após o êxito, o show seguiu para o Rio de Janeiro e um violoncelista foi integrado, formando um trio.[3]

Produção e gravação editar

Após um encontro com um fã, no qual ele pediu um autógrafo em uma fita com o espetáculo gravado (ilegalmente), Possi teve a ideia de lança-lo em um disco e utilizou a gravação para apresentá-la ao dono da gravadora Eldorado.[3] Na reunião, ele afirmou que não tinha dinheiro, mas comprometeu-se a pagar os custos da gravação e lançá-lo no mercado, o que satisfez a cantora, que exigiu apenas que não houvesse mudança nas suas ideias e tentativas de tornar o projeto mais comercial.[3]

O álbum é exatamente como o show - que foi concebido, arranjado e dirigido cênica e musicalmente por ela - com os mesmos músicos e arranjos minimalistas.[5][6]

Recepção crítica editar

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
O Pioneiro Favorável[7]
Tribuna da Imprensa Favorável[8]

A recepção da crítica especializada foi aclamadora.

Luiz Carlos Fetter, do jornal O Pioneiro, notou que Possi restringiu-se "a sua região vocal e [ao] gênero [musical escolhido]" contrapondo-se ao ecletismo dos discos anteriores que possuíam "múltiplas referências rasteiras e superficiais".[7] Elogiou a sonoridade minimalista e "anticonvencional", os "vocais contidos e interpretações elegantes" e deu uma cotação de quatro (sendo cinco o máximo).[7]

Ricardo Ribeiro, do jornal Tribuna da Imprensa, disse que ela utilizou-se da fórmula perfeita: "uma mistura de sons com pérolas da música popular brasileira, e, [...] uma overdose de boa voz".[8]

Em relação a premiações, recebeu uma nomeação ao Prêmio Sharp de 1991, no gênero MPB, na categoria de melhor disco (que foi vencido pelo Song Book Noel Rosa) e venceu como "Melhor Cantora do Ano".[9]

Desempenho comercial editar

Comercialmente, segundo o jornal O Fluminense, de 30 de setembro de 1991, vendeu mais de 40 mil cópias em quatro meses de lançamento e apareceu no primeiro lugar em listas de álbuns mais vendidos do gênero MPB.[10]

Lista de faixas editar

  • Créditos adaptados do LP Sobre Todas as Coisas, de 1991.[11][12]
Lado A
N.º TítuloCompositor(es) Duração
1. "Citações / Onde Está Você / Com Que Roupa"  Marcos Suzano, Lui Coimbra, Alex Meirelles / Oscar Castro Neves, Luvercy Fiorini / Noel Rosa 5:33
2. "Sentimental Demais / Dedicado a Você"  Jair Amorim, Evaldo Gouveia / Dominguinhos, Nando Cordel 5:23
3. "Gato Gaiato (Não Minto Pra Mim)"  Jean Garfunkel, Paulo Garfunkel, Prata 4:18
4. "Corsário"  Aldir Blanc, João Bosco 2:36
5. "Alvorada / Eu Te Amo"  Carlos Cachaça, Cartola, Hermínio Bello de Carvalho / Chico Buarque, Tom Jobim 4:45
6. "Sobre Todas as Coisas"  Chico Buarque, Edu Lobo 2:56
Lado B
N.º TítuloCompositor(es) Duração
1. "Barato Total"  Gilberto Gil 2:31
2. "Isla Para Dos"  Cheín García, Alonso 2:51
3. "Rebento"  Gilberto Gil 3:46
4. "A Paz"  Gilberto Gil, João Donato 4:27
5. "O Que é o Que é"  Gonzaguinha 4:21
6. "Menino de Braçanã"  Arnaldo Passos, Luiz Vieira 3:07

Ligações externas editar

  • «IMMuB - Discografia de Zizi Possi» 🔗 

Referências

  1. «Sobre Todas as Coisas». Allmusic. Consultado em 19 de janeiro de 2015 
  2. a b Ferreira, Mauro (10 de abril de 2020). «Discos para descobrir em casa – 'Estrebucha baby', Zizi Possi, 1989». G1. Globo.com. Consultado em 21 de dezembro de 2021. Cópia arquivada em 13 de abril de 2020 
  3. a b c d e f g h i Gavin, Charles. Zizi Possi no programa "O Som do Vinil" do Canal Brasil. Canal Brasil. YouTube. Consultado em 6 de novembro de 2020 
  4. Xavier, Ivanir Fernandes (7 de setembro de 1991). «Uma nova Possi para a plateia santista assistir». A Tribuna. Consultado em 23 de dezembro de 2021 
  5. «Cantores para todos os ouvidos». Correio de Notícias: B-5. 28 de abril de 1991. Consultado em 23 de dezembro de 2021 
  6. «Zizi Possi traz o show "Sobre Todas as Coisas"». A Tribuna: 20. 3 de setembro de 1991. Consultado em 23 de dezembro de 2021 
  7. a b c Fetter, Luiz Carlos (7 de julho de 1991). «A nova Zizi Possi e coletânea de Strangler». O Pioneiro: 12. Consultado em 23 de dezembro de 2021 
  8. a b Ribeiro, Ricardo (22 de maio de 1991). «Sobre todas as coisas Zizi Possi». Tribuna da Imprensa: 6. Consultado em 23 de dezembro de 2021 
  9. Martins, Lula Branco (3 de junho de 1992). «Perto do Jazz, longe da mesmice». Jornal do Brasil: 6. Consultado em 23 de dezembro de 2021 
  10. Erthal, Márcia (30 de setembro de 1991). «Redescobrindo o prazer de cantar». O Fluminense. Consultado em 23 de dezembro de 2021 
  11. (1980) Créditos do álbum Sobre Todas as Coisas por Zizi Possi [LP]. Brasil: Eldorado (212.91.0622).
  12. «Zizi Possi ‎– LP/CD Sobre Todas as Coisas». Instituto Memória Musical Brasileira. Consultado em 23 de dezembro de 2021