Sociedade asteca

A sociedade Asteca pré-Colombiana era altamente complexa e estratificada, que se desenvolveu entre os povos Astecas do México Central, nos séculos anteriores à Conquista Espanhola do México, e que foi construído sobre as fundações culturais da maior região da Mesoamérica. Politicamente, a sociedade foi organizada em cidades-estados independentes, chamados de altepetls, compostas de pequenas divisões (calpulli), que foram, novamente, compostas de um ou mais grupos maiores de parentesco. Socialmente, a sociedade dependia de uma vez divisão rígida entre nobres e plebeus livres, em que, estes próprios, eram divididos entre hierarquias de status social, responsabilidades poder. Economicamente, a sociedade era dependente da agricultura, e, também, em grande medida, na guerra. Outros importantes fatores econômicos foram o comércio - de longa distância e local - e um alto grau de comércio de especialização.

Visão geralEditar

A sociedade pode traçar suas raízes para origens mesoamericanas. Sua linguagem, estilo de vida e tecnologia foram todos afetados pelo contato com culturas vizinhas. Mas, enquanto eles foram impactados por diversas fontes, eles desenvolveram seus próprios grupos sociais, estruturas políticas, tradições e atividades de lazer.

Origens mesoamericanasEditar

Em meados do primeiro milênio depois de Cristo, as primeiras ondas de tribos falantes dos antepassados das línguas Nahuan migraram para o sul, em direção à Mesoamérica. Eles eram nômades caçadores-coletores e chegaram a uma região que já era preenchidoa por sociedades complexas de avançado nível tecnológico. Sob a influência de civilizações Mesoamericanas clássicas, tais como os Teotihuacanos, os Maias, a Totonacas e os Huastecs, os proto-Astecas tornaram-se sedentários, agricultores e alcançaram os mesmos níveis de tecnologia que seus povos vizinhos. Eles mantiveram em sua língua, muitos dos seus sistemas religiosos, e, provavelmente, aspectos de seus costumes sociais pretéritos. Assim, as bases da "sociedade Asteca" foram desenvolvidas como uma síntese entre sociedades Mesoamericanas e tradições astecas, apesar de hoje não poderem ser facilmente distinguidas que partes vieram de onde. A sociedade asteca não foi isolada do contexto Mesoamericano, e, na verdade, a maioria de seus aspectos foram semelhantes em estrutura em relação a que existia em sociedades circundantes.[1]

Os astecasEditar

Michael E. Smith define "Asteca" incluindo todos os povos que falam a língua Nauátle,[2] em oposição a uma definição restrita do termo "Asteca" para cobrir os habitantes de Tenochtitlan ou as partes na Tríplice Aliança Asteca. Esta definição refere-se a circunstâncias específicas de um determinado grupo Asteca que será feito com o etnônimo referindo-se especificamente a esse grupo, como os Mexicas para os habitantes de México-Tenochtitlan, Tlaxcaltecas para aqueles de Tlaxcallan e assim por diante.

Organização socialEditar

A divisão social mais básica na sociedade asteca era aquela entre nobres (Nahuatl pīpiltin) e plebeus (Nahuatl mācehualtin). Os nobres possuíam um grande número de privilégios não compartilhados pelos plebeus, principalmente o direito de receber tributos de plebeus em suas terras. Os plebeus, por outro lado, eram livres para possuir e cultivar terras e para administrar seus próprios bens, enquanto ainda completavam os serviços exigidos por seus senhores e seus calpulli, tais como pagamento de tributo e serviço militar. A mobilidade entre as duas camadas sociais era difícil, mas na prática ambos os grupos de plebeus e de nobres foram estruturados em hierarquias mais refinadas e um alto grau de mobilidade social era possível dentro de uma dada camada. Por exemplo, os pochteca, comerciantes de longa distância, eram considerados plebeus e, ao mesmo tempo, mantinham vários privilégios comparáveis aos da nobreza menor.

NotasEditar

  1. Smith (2001) p. 6-13
  2. Smith (2001) p. 5

ReferênciasEditar

Berdan, Frances. The Aztecs of Central Mexico: An Imperial Society. Col: Case Studies in Cultural Anthropology. [S.l.: s.n.] ISBN 0-03-055736-4. OCLC 7795704 
Curl, John. Ancient American Poets: The Flower Songs of Nezahualcoyotl. [S.l.: s.n.] ISBN 1-931010-21-8. OCLC 52813965 
Díaz del Castillo, Bernal. The Conquest of New Spain. Col: Penguin Classics. [S.l.: s.n.] ISBN 0-14-044123-9. OCLC 162351797 
Durán, Diego. The History of the Indies of New Spain. Col: Civilization of the American Indian series, #210. [S.l.: s.n.] ISBN 0-8061-2649-3. OCLC 29565779 
Hassig, Ross. Trade, Tribute, and Transportation: The Sixteenth-Century Political Economy of the Valley of Mexico. Col: Civilization of the American Indian series, no. 171. [S.l.: s.n.] ISBN 0-8061-1911-X. OCLC 11469622 
Hassig, Ross. Aztec Warfare: Imperial Expansion and Political Control. Col: Civilization of the American Indian series, no. 188. [S.l.: s.n.] ISBN 0-8061-2121-1. OCLC 17106411 
«Xicotencatl: rethinking an indigenous Mexican hero» (PDF). Estudios de cultura náhuatl. 32. ISSN 0071-1675. OCLC 1568281 
Hogan, C. Michael. N. Stromberg, ed. Wild turkey: Meleagris gallopavo. [S.l.: s.n.] Consultado em 25 de novembro de 2018. Arquivado do original em 25 de julho de 2017 
Lockhart, James. The Nahuas After the Conquest: A Social and Cultural History of the Indians of Central Mexico, Sixteenth Through Eighteenth Centuries. [S.l.: s.n.] ISBN 0-8047-2317-6. OCLC 24283718 
Ortiz de Montellano, Bernard R. Aztec Medicine, Health, and Nutrition. [S.l.: s.n.] ISBN 0-8135-1562-9. OCLC 20798977 
Sahagún, Bernardino de. Florentine Codex: General History of the Things of New Spain, 13 vols. in 12. Col: vols. I-XII. [S.l.: s.n.] ISBN 0-87480-082-X. OCLC 276351 
Sahagún, Bernardino de. Primeros Memoriales. Col: The Civilization of the American Indians Series vol. 200, part 2. [S.l.: s.n.] ISBN 978-0-8061-2909-9. OCLC 35848992 
Smith, Michael E. «Aztec City-States». In: Mogens Herman Hansen. A Comparative Study of Thirty City-State Cultures. [S.l.: s.n.] ISBN 87-7876-177-8. OCLC 44698452 
Smith, Michael E. The Aztecs. [S.l.: s.n.] ISBN 0-631-23015-7. OCLC 48579073 
Smith, Michael E. Aztec City State Capitals. [S.l.: s.n.] ISBN 978-0-8130-3245-0 
«City Size in Late Post-Classic Mesoamerica» (PDF). Journal of Urban History. 31. OCLC 1798556. doi:10.1177/0096144204274396 
Soustelle, Jacques. Daily Life of the Aztecs: On the Eve of the Spanish Conquest. [S.l.: s.n.] ISBN 1-84212-508-7. OCLC 50217224 
Townsend, Richard F. The Aztecs. [S.l.: s.n.] ISBN 0-500-28132-7. OCLC 43337963 
Weaver, Muriel Porter. The Aztecs, Maya, and Their Predecessors: Archaeology of Mesoamerica. [S.l.: s.n.] ISBN 0-12-739065-0. OCLC 25832740 
Zantwijk, Rudolph van. The Aztec Arrangement: The Social History of Pre-Spanish Mexico. [S.l.: s.n.] ISBN 0-8061-1677-3. OCLC 11261299 

BibliografiaEditar

(search return) specifically: Kathleen Kuiper - Pre-Columbian America: Empires of the New World The Rosen Publishing Group, 2010 ISBN 161530150X