Sophie Taeuber-Arp

Sophie Taeuber (Davos, Suíça, 1889 - Zurique, Suíça, 1943). Destacou-se como uma das principais figuras da arte abstrata, tendo importante participação junto ao Movimento Dada, na Suíça, e incursões pioneiras no Neoplasticismo e Construtivismo.

Sophie Taeuber-Arp
Nascimento 19 de janeiro de 1889
Davos
Morte 13 de janeiro de 1943 (53 anos)
Zurique
Cidadania Suíça
Cônjuge Hans Arp
Ocupação pintora, escultora, arquiteto, bailarina, professora, desenhista, artista têxtil
Empregador Zurich University of the Arts
Movimento estético dadaísmo
Causa da morte intoxicação por monóxido de carbono

FormaçãoEditar

Formada em artes pela Escola de Arte Aplicada de Hamburgo, Sophie Taeuber foi, durante pouco mais de uma década, professora na Escola de Artes e Ofícios de Zurique. Em 1915, toma parte do "Movimento Dada", junto a outros artistas, entre os quais Jean Arp, com quem se casou em 1921. A partir de 1928, passa a morar na França e, em 1930, participa da exposição internacional de "Arte Abstrata e tendências Construtivas" do Movimento Círculo e Quadrado. Ainda dentro da proposta deste grupo, George Vantongerloo e Sophie Taeuber fundam o Grupo Abstração-Criação. No período da II Guerra Mundial, refugia-se em Grasse, no sul da França, onde produz intensamente, com a colaboração de Alberto Magnelli, Jean Arp e Sônia Delaunay.

TrabalhoEditar

O trabalho de Taeuber-Arp orientou-se na busca da simplificação e da máxima liberdade, traduzindo uma grande riqueza de invenção, seu valor de pesquisa e inovação para a Arte Abstrata Geométrica tem sido cada vez mais reconhecido. Dissidente quanto ao rigor das relações ortogonais e das linhas e quanto ao uso das cores primárias, seus trabalhos são mais dinâmicos pelo uso de ortogonais e de cores variadas.

Sophie Taeuber-Arp morreu vítima de um acidente, em 1943, durante uma viagem à Suíça.

ExposiçõesEditar

Taeuber-Arp participou de inúmeras exposições. Por exemplo, ela foi incluída na primeira exposição de Carré nas Galeries 23 (Paris) em 1930, juntamente com outros notáveis ​​modernistas do início do século XX. Em 1943, Taeuber-Arp foi incluída na mostra Exhibition by 31 Women, de Peggy Guggenheim, na galeria Art of This Century, em Nova York. Muitos museus ao redor do mundo têm seu trabalho em suas coleções, mas na consciência pública sua reputação ficou por muitos anos atrás da de seu marido mais famoso. Sophie Taeuber-Arp começou a ganhar reconhecimento substancial somente após a Segunda Guerra Mundial, e seu trabalho agora é geralmente aceito como no primeiro nível do modernismo clássico.[1]

GaleriaEditar

Referências

  1. Butler, Cornelia H.; Schwartz, Alexandra (2010). Modern Women: Women Artists at The Museum of Modern Art. New York: Museum of Modern Art. p. 45. ISBN 978-0-87070-771-1

Links externosEditar