Soyuz MS-14

Soyuz MS-14 foi um voo não-tripulado da Soyuz para a Estação Espacial Internacional lançado em 22 de agosto de 2019 as 03:38 UTC.[2][1] Seu objetivo foi testar uma modificação do sistema de aborto no lançamento para integração com o foguete Soyuz-2.1a.[5] Foi a primeira missão da Soyuz sem tripulação em 33 anos e a primeira missão da Soyuz não tripulada para a ISS.[6]

Soyuz MS-14
Insígnia da missão
Informações da missão
Operadora Roscosmos
Foguete Soyuz-2.1a
Espaçonave Soyuz MS 11F747
Base de lançamento Baikonur Pad 31/6
Lançamento 22 de agosto de 2019, 03:38 UTC[1][2]
Baikonur, Casaquistão
Aterrissagem 06 de setembro de 2019, 21:32 UTC[3]
147 km a sudeste de Dzhezkazgan[4]
Duração 15d 17h 45m
Inclinação orbital 51,6º
Navegação
Soyuz MS-13
Soyuz MS-15

Visão geralEditar

Ao contrário do foguete tradicional Soyuz-FG que é virado na plataforma para mirar o azimute do seu voo, o Soyuz-2 realiza uma manobra de giro durante seu voo para mudar de direção. A manobra pode disparar o sistema de aborto de lançamento projetado para a Soyuz-FG. Soyuz MS-14 testa uma solução para este problema. O 14º voo da Soyuz MS é o 143º voo de uma nave Soyuz. Se tudo tiver ocorrido bem, as missões tripuladas futuras usarão a mesma configuração começando com a Soyuz MS-16 no começo de 2020.[7]

Além de testar a integração do novo foguete e o sistema de aborto, Soyuz MS-14 também testou um sistema de navegação e propulsão atualizado.[8] Os resultados do teste serão usados no projeto do Soyuz GVK [en], uma nave não tripulada para o envio e retorno de carga, com o primeiro voo previsto para 2022.[8]

Ao contrário dos voos anteriores e futuros da nave Soyuz MS, Soyuz MS-14 estava sem vários sistemas de suporte a vida.

Na carga que a nave carregava para a ISS há, entre outras cosias, o robô humanoide FEDOR [en] que viajou no compartimento da tripulação (que estava disponível, já que não havia uma equipe). De acordo com a NASA, 660 kg de carga foram entregues para a estação.[6]

A nave entregou o telescópio JEM-EUSO [en] para a ISS.[9]

Depois da missãoEditar

Em agosto de 2021, o módulo de pouso foi dado à Magnitogorsk Iron and Steel Works [en] para ser colocado num museu.[10]

Primeira tentativa de acoplagemEditar

Seguindo um voo livre sem problemas que durou dois dias e rendezvous com a ISS, a MS-14 estava planejada para acoplar com o módulo Poisk as 5:30 am UTC de 24 de agosto. Durante as fases finais de aproximação, seu sistema automático Kurs para acoplagem, falhou na travagem com a estação e a nave não foi capaz de acoplar. Aleksei Ovchinin, comandante da Expedição 60, comandou que a MS-14 abortasse a acoplagem, após qual a nave se afastou da ISS e foi para uma distância segura da ISS.[11] Enquanto a maior parte dos veículos não tripulados da Rússia voando para a ISS também tem o sistema de reserva TORU [en], que permite aos cosmonautas assumirem o controle manual da nave a partir da ISS, esse sistema não estava disponível na MS-14.[12] O defeito foi localizado no amplificador do sinal Kurs do módulo Poisk, e planos iniciais precisam que os cosmonautas troquem esse amplificador antes de uma nova tentativa.[13] Foi então decidido que, dia 26 de agosto, a tripulação da Soyuz MS-13 iria tirar a nave do módulo Zvezda onde realizaram uma acoplagem manual no módulo Poisk, liberando um módulo para que a MS-14 pudesse acoplar usando Kurs no dia 27 de agosto de 2019.[12]

AcoplagemEditar

A nave acoplou com o módulo Zvezda de forma bem sucedida as 03:08 UTC do dia 27 de agosto de 2019.[14]

ReferênciasEditar

  1. a b «Госкомиссия утвердила программу полета МКС на 2019 год» [Comissão federal aprovou os planos de lançamento para a ISS em 2019] (em russo). Roscosmos. 26 de fevereiro de 2019. Consultado em 26 de fevereiro de 2019 
  2. a b https://www.space.com/russia-launches-humanoid-robot-on-soyuz-spacecraft.html
  3. Soyuz spacecraft, humanoid robot return to Earth after 16-day test flight
  4. «Expedition 60» 
  5. «"Роскосмос" испытает систему аварийного спасения до перехода на "Союз-2"» [Roscosmos vai testar o sistema de aborto no lançamento antes de mudar para a Soyuz-2] (em russo). RIA Novosti. 13 de outubro de 2018. Consultado em 28 de dezembro de 2018 
  6. a b http://russianspaceweb.com/soyuz-ms-14.html
  7. «Определены сроки запусков с Байконура к МКС, сообщил источник» [As datas de lançamento a partir de Baikonur estão definidas, de acordo com fonte] (em russo). RIA Novosti. 22 de dezembro de 2018. Consultado em 28 de dezembro de 2018 
  8. a b «РКК «Энергия»: старт беспилотного «Союза МС» планируется в августе 2019 года» [RKK Energia: o lançamento de uma Soyuz MS não tripulada está marcado para agosto de 2019] (em russo). RKK Energia. 18 de maio de 2018. Consultado em 28 de dezembro de 2018 
  9. http://jem-euso.roma2.infn.it/?page_id=818
  10. «Роскосмос передал спускаемый аппарат «Союз МС-14» в музейно-образовательный комплекс проекта «Притяжение»» (em russo). 20 de agosto de 2021. Consultado em 20 de agosto de 2021 
  11. Tariq, Malik (24 de agosto de 2019). «Russian Soyuz Spacecraft Carrying Humanoid Robot Aborts Docking at Space Station». Space.com (em inglês) 
  12. a b Clark, Stephen (24 de agosto de 2019). «Station crew to clear new port for second Soyuz docking attempt – Spaceflight Now» 
  13. «Russian Spacecraft Docking Attempt No Earlier Than Monday – Space Station». blogs.nasa.gov. 24 de agosto de 2019 
  14. Russian Spacecraft Second Docking Attempt Successful