Abrir menu principal

Wikipédia β

Subordinacionismo

Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

O subordinacionismo era a crença cristã primitiva de que Jesus Cristo era subordinado a Deus, o Pai em essência (igualdade ontológica). Esta ideia não é aceita hoje pelas igrejas ortodoxas, pois ela contraria a doutrina da Trindade.

Índice

DogmasEditar

A subordinação de cristo ao Pai no novo testamentoEditar

Existem vários versículos no Novo Testamento que dão a ideia de subordinação de Cristo ao Pai e de superioridade do Pai (I Coríntios 11:3; I Coríntios 15:24-28, João 14:28)

O ensino da subordinação dos Pais da IgrejaEditar

Na verdade de um modo ou de outro, muitos dos teólogos da primitiva igreja ensinavam que o filho era subordinado ao Pai. Apologistas (os pais da igreja) como Justino, Ireneu, Clemente de Alexandria e outros, consideravam Jesus como servo subordinado a Deus, o Pai.

A DidaquêEditar

A ideia de Jesus ser subordinado a Deus se encontra também na Didaquê, que é uma primitiva catequese cristã. Nela Jesus é chamado de servo do Pai, porém o texto não deixa explícito o sentido ou tipo de subordinação ao ele se refere.

Rejeição à doutrina da subordinaçãoEditar

 Ver artigo principal: Controvérsia ariana

Foi somente no Primeiro Concílio de Niceia (325 d.C.) que a doutrina da subordinação de Cristo ao Pai, que era defendida por Ário, foi rejeitada pela Igreja em favor da ideia da igualdade entre o Pai e o filho.

Hoje as ideias subordinacionalistas são encontradas em igrejas cristãs como as Testemunhas de Jeová, cristadelfianos e pelos unitários bíblicos.

Ligações externasEditar