Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde maio de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Como ler uma infocaixa de taxonomiaSuinã
Flor da Erythrina velutina
Flor da Erythrina velutina
árvore Erythrina velutina sem folhas
árvore Erythrina velutina sem folhas
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Fabales
Família: Fabaceae
Subfamília: Faboideae
Género: Erythrina
Espécie: E. velutina
Nome binomial
Erythrina velutina
Willd.

A suinã (nome científico: Erythrina velutina), conhecida também como mulungu, é uma espécie de árvore do gênero Erythrina.[1][2][3] No Brasil ocorre no cerrado, mata atlântica e principalmente na caatinga.[1][2][4][5] Ocorre também em outros países da América do Sul.[2]

Outros nomes populares são: sanandu, canivete, corticeira, corticeira-do-banhado, mulungu-da-caatinga[2] e eritrina.

CaracterísticasEditar

 
Casca do tronco cinza com raias brancas e espinhos

Simbolicamente, ela é conhecida por possuir alto poder de regeneração. Mesmo quando cortada, a árvore de mulungu renasce ainda mais forte e florida. Muitas pessoas usam suas folhas em chás, devido à sua propriedade calmante.

Cresce de 8 a 12 m de altura.[6] Tronco e ramos  com muitos acúleos, casca lisa, com estrias longitudinais mais claras; ramos esverdeados com fissuras e pontuações mais claras. Flores vermelhas, dispostas em recemos. Fruto logume, semi tortuoso, com sementes em formato de feijão, de cor avermelhada. Possui caule espinhoso e folhas grandes. Suas flores são vermelhas vistosas em forma de candelabro. Floresce de julho á setembro quando, nos lugares mais frios e secos, perde todas as folhas.

A floração depende do índice fluviário do estado, no Ceará (CE) do mês de janeiro a março.[carece de fontes?]

Suas vagens são marrons e abrigam as sementes. As sementes, por sua vez, são vermelhas ou laranjas e possuem substâncias tóxicas que podem levar a morte, por isto não devem ser ingeridas.

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b Souza, José Wilson Nascimento de; Lima, Ana Késya Bernardo; Azevedo, Rodrigo Aleixo Brito de; Coelho, Maria de Fatima Barbosa; Santos, Laércio Wanderley dos (12 de maio de 2014). «Erythrina velutina Willd. - Fabaceae: Árvore de múltiplos usos no nordeste brasileiro». Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável. 8 (5): 72–80. ISSN 1981-8203 
  2. a b c d «Mulungu-da-caatinga (Erythrina velutina Willd.)». Consultado em 5 de maio de 2019 
  3. Silva-Mann, Renata; Zucchi, Maria Imaculada; Pinheiro, José Baldin; Gonçalves, Luciana Oliveira (28 de janeiro de 2014). «Caracterização genética de mulungu (Erythrina velutina Willd.) em áreas de baixa ocorrência». Revista Ciência Agronômica. 45 (2): 290–298. ISSN 1806-6690 
  4. Miguel, Obdulio Gomes; Virtuoso, S. (2005). «ESTUDO FITOQUÍMICO E BIOLÓGICO DAS CASCAS DE Erythrina velutina Willd. - FABACEAE (LEGUMINOSAE - PAPILIONOIDEAE)». Visão Acadêmica. 6 (1). ISSN 1518-8361. doi:10.5380/acd.v6i1.576 
  5. «Mulungu (Erythrina velutina). - Portal Embrapa». www.embrapa.br. Consultado em 6 de maio de 2019 
  6. «Trilhas da ESALQ». www.esalq.usp.br. Consultado em 5 de maio de 2019 

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Suinã
  Este artigo sobre leguminosas (família Fabaceae), integrado no Projeto Plantas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.