Szczytna

Loudspeaker.svg? Szczytna (até 1945 em alemão: Rückers) é um município da Polônia localizado na voivodia da Baixa Silésia, no condado de Kłodzko e a sede da comuna urbano-rural de Szczytno.[3] Está situado no sopé dos Montes Tabulares e o rio Bystrzyca Dusznicka passa por ele.

Polónia Szczytna 
  cidade em uma comuna urbano-rural  
Panorama de Szczytna
Panorama de Szczytna
Símbolos
Brasão de armas de Szczytna
Brasão de armas
Localização
Szczytna está localizado em: Polônia
Szczytna
Szczytna no mapa da Polônia
Mapa dinâmico da cidade
Coordenadas 50° 25' N 16° 26' 28" E
País Polônia
Voivodia Baixa Silésia
Condado Kłodzko
Comuna Szczytna
História
Elevação à cidade 1 de janeiro de 1973
Administração
Tipo Prefeitura
Prefeito Marek Spanier (2021)
Características geográficas
Área total 80,4 km²
População total (2020) [1] 5 044 hab.
Densidade 62,7 hab./km²
Altitude [2] 460−852 m
Fuso horário CET (UTC+1)
Horário de verão CEST (UTC+2)
Código postal 57-330
Código de área +48 74
Cidades gêmeas
Międzychód  Polônia
Velké Poříčí  República Tcheca
Tegernheim  Alemanha
Náměšť na Hané  República Tcheca
Outras informações
Matrícula DKL
Commons-logo.svg Mídia no Commons
Website Szczytna na rede Internet

Szczytna é um centro industrial e de serviços, bem como um centro turístico. Na indústria destacam-se a de metal e a de produtos da madeira, até 2012 existia também uma vidraria artesanal e uma fábrica de lapidação de objetos de cristal.

A rota internacional E67 e a linha ferroviária Kudowa-Zdrój - Kłodzko passam pelo município.

Estende-se por uma área de 80,4 km², com 5 044 habitantes, segundo o censo de 31 de dezembro de 2020, com uma densidade populacional de 62,7 hab/km².[1]

GeografiaEditar

LocalizaçãoEditar

Szczytna é uma cidade localizada na parte oriental da Depressão Dusznickie, no vale entre os Montes Tabulares no norte e as Montanhas Bystrzyckie, a uma altitude de 460-852 m acima do nível do mar.[2] A cidade é atravessada pelo rio Bystrzyca Dusznicka, o afluente esquerdo do rio Nysa Kłodzka e o tributário do próprio Bystrzyca, o córrego Kamienny.[2] Segundo dados de 1 de janeiro de 2011, a área da cidade era de 80,4 km².[4]

Divisão administrativaEditar

A cidade pertencia ao condado de Kłodzko. Nos anos de 1975 a 1998, a cidade pertencia administrativamente à voivodia de Wałbrzych.

NomeEditar

Em um documento de 1347, Szczytna aparece com o nome de Rukers e sobreviveu com um nome semelhante - Rückers - até o final da Segunda Guerra Mundial[2] Inicialmente, os colonos poloneses usaram uma forma polonizada, chamando hoje Szczytna Rucew (a estação ferroviária foi brevemente chamada de Ruchock). O nome atual foi aprovado administrativamente em 19 de maio de 1946.[5]

HistóriaEditar

 
Vista da vila antes de 1945

Os primeiros registros de Szczytna datam do século XIV, quando o povoado pertencia ao Senhorio de Hummel, e seu desenvolvimento estava relacionado ao comércio (localizada na Rota do Âmbar) e ao desenvolvimento do artesanato e, posteriormente, da indústria.[2] No século XVI, foi comprada junto com as propriedades vizinhas por Jan Crato von Kraffstein, um médico e reformador religioso conhecido na Europa, e então foi significativamente expandida.[2] Além da fazenda já existente, foram construídas serraria, moinho, cervejaria e diversas oficinas de artesanato.[2] No século XVII, foram construídas as primeiras vidrarias,[2] um moinho e várias oficinas de tecelagem. No século XIX, a fábrica de vidros foi ampliada, uma oficina de lapidação de objetos de cristal foi inaugurada.

Desde 2007, a Irmandade dos Cavaleiros de Nossa Senhora, Rainha da Paz, opera em Szczytna, bem como uma associação católica e regional que apoia iniciativas de promoção da comuna e focadas, entre outras coisas, na preservação do patrimônio nacional e cultural por meio do cuidado material dos monumentos em Szczytna e na popularização da história de cidades e lugares na comuna de Szczytna.

Em 2014, a Fábrica de Cristal "Sudety" local foi fechada e os edifícios da fábrica foram demolidos.

DemografiaEditar

Pirâmide etária dos habitantes de Szczytna em 2014.[1]
 

Monumentos históricosEditar

 
Castelo Leśna
 
Casa histórica na
rua Wolności  7

Estão inscritos no registro provincial de monumentos:[6]

  • Igreja paroquial de São João Batista, barroco de 1721-1723, reconstruída em 1907-1908, o altar-mor e o tabernáculo rococó de 1770, o altar de São José de 1730, o altar dos Arcanjos de 1740, um púlpito de 1748, cadeiral e confessionários da oficina de Ludwig Jaschek de Bard de 1760, uma pia batismal barroca de 1730. No pórtico há uma lápide classicista dos Hochbergs (construtores do castelo) por volta de 1834,[7]
  • Cemitério da igreja,
  • Capela de Santa Ana, em Batorów, do século XVIII,
  • Complexo de castelos, do século XIX, com o castelo neogótico Leśna (hoje Casa de Saúde para Crianças), de 1832-1838, reconstruído no final do século XIX,

Este castelo no topo do monte Szczytnik é a maior atração turística. Seu nome anterior, Burg Waldstein (literalmente: Castelo "Pedra da Floresta") refletia bem o caráter do edifício neogótico. Situado nas rochas, ele se eleva sobre Szczytna. Agora há um mirante próximo ao castelo - dele avista-se as montanhas e a Depressão Dusznicki, na qual Szczytna está localizada,

  • Imagem de São João Nepomuceno no centro da cidade, no córrego Kamienny, policromada, de 1711[7],
  • Parque, da primeira metade do século XIX,
  • Casa de 1711, rua Wolności 7,

Outros monumentos:

  • Estação ferroviária local construída por volta de 1890.

EsportesEditar

 
Campo de golfe Chopin Golf Szczytna
 
Igreja de São João Batista

O Centro Esportivo de Recreação Ativa e Reabilitação Motora foi fundado em Szczytna. Junto ao pavilhão desportivo existente, foram construídos campos com superfície artificial para a prática de handebol, futebol, tênis, rocódromo com arborismo, parque infantil e uma pista de skate com pista para aprendizagem de andar em cadeira de rodas, o recém-criado pump track para o ciclismo e o chamado street workout.

Em 2009, um campo de golfe público foi inaugurado.[8] Torneios e eventos esportivos são organizados lá em cooperação com o clube de golfe Nebeská Rybná na República Tcheca.[8]

Comunidades religiosasEditar

  • Igreja católica:
    • Paróquia de Nossa Senhora Rainha da Paz
    • Paróquia de São João Batista
  • Testemunhas de Jeová:
    • Igreja Szczytna-Duszniki (Salão do Reino: Duszniki-Zdrój, rua Słowackiego 2)

Rotas turísticasEditar

Duas rotas turísticas passam por Szczytna:[9]

  •   estrada Szklary–Samborowice – Jagielno – Przeworno – Gromnik – Biały Kościół – Żelowice – Ostra Góra – Niemcza – Gilów – Piława Dolna – Góra Parkowa – Bielawa – Kalenica – Nowa Ruda – Przełęcz pod Krępcem – Tłumaczów – Radków – Skalne Wrota – Pasterka – Przełęcz między Szczelińcami – Karłów – Lisia Przełęcz – Białe Skały – Skalne Grzyby – Batorów – Skała Józefa – Duszniki-Zdrój – Schronisko PTTK „Pod Muflonem” – Stare Bobrowniki – Nowe Bobrowniki – Szczytna – Zamek Leśna – Polanica-Zdrój – Przełęcz Sokołowska – Łomnicka Równia – Huta – Bystrzyca Kłodzka – Igliczna – Międzygórze – Przełęcz Puchacza,
  •   Kamienna Góra – Wolarz – Szczytna – Chocieszów – Wambierzyce.


Panorama de Szczytna e os Montes Tabulares


Referências

  1. a b c «Szczytna (Baixa Silésia) mapas, imóveis, OSC, acomodações, escolas, região, atrações, códigos postais, salário, desemprego, ganhos, tabelas, educação, jardins de infância, demografia». Polska w liczbach (em polonês). Consultado em 10 de novembro de 2021 
  2. a b c d e f g h Marek Staffa, ed. (1992). «Góry Bystrzyckie i Orlickie». Słownik geografii turystycznej Sudetów. 14. Varsóvia; Cracóvia: Wydawnictwo PTTK „Kraj”. pp. 249–255. ISBN 83-7005-340-8 
  3. «Escritório Central de Estatística». eteryt.stat.gov.pl. Consultado em 10 de novembro de 2021 
  4. «Powierzchnia i ludność w przekroju terytorialnym w 2013 r.». Varsóvia: Główny Urząd Statystyczny. Powierzchnia i Ludność w Przekroju Terytorialnym. 26 de julho de 2013. ISSN 1505-5507 
  5. «Zarządzenie Ministrów: Administracji Publicznej i Ziem Odzyskanych z dnia 7 maja 1946 r. o przywróceniu i ustaleniu urzędowych nazw miejscowości.». isap.sejm.gov.pl. Consultado em 10 de novembro de 2021 
  6. «Rejestr zabytków nieruchomych woj. dolnośląskiego» (PDF). Narodowy Instytut Dziedzictwa. pp. 83, 84. Consultado em 10 de novembro de 2021 
  7. a b Janusz Czerwiński, Ryszard Chanas: Dolny Śląsk – przewodnik. Varsóvia: Sport i Turystyka, 1977 p. 158.
  8. a b «Polski Związek Golfa». Consultado em 10 de novembro de 2021 
  9. «Mapa szlaków turystycznych». Consultado em 10 de novembro de 2021 

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar