TV Escola

canal de televisão educativo brasileiro

TV Escola é um canal de televisão brasileiro fundado no dia 4 de março de 1996. É mantido pela Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto (Acerp), uma organização social e é transmitido em algumas localidades do Brasil pelas TVs abertas e em todo o país pelas antenas parabólicas digitais e TVs por assinatura. O canal serve para promover a capacitação e a atualização permanente dos professores do Brasil.[2]

TV Escola
Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto
TV Escola
Tipo Canal de televisão educativo
País Brasil
Fundação 4 de março de 1996 (28 anos)[nota 1]
por Ministério da Educação
Pertence a Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto
Antigo proprietário Ministério da Educação (1996-2019)
Cidade de origem Rio de Janeiro, RJ
Sede Rio de Janeiro, RJ
Estúdios Rio de Janeiro, RJ
Slogan É bom saber
Formato de vídeo
Cobertura internacional Partes da América Latina
Página oficial tvescola.org.br
Disponibilidade aberta e gratuita
Disponibilidade por satélite
Canal 200
Canal 17
TVN
Canal 25
CaboNNet
Canal 10
SP2
Canal 20
TCM
Canal 22.6
Canal 227
Canal 308
Canal 105

História

editar

A emissora foi criada em setembro de 1995, indo ao ar oficialmente no dia 4 de março de 1996. Em dezembro de 2003, realizou uma das primeiras transmissões de TV digital por IP, através de um projeto experimental denominado TV Escola Digital Interativa (TVEDI). O canal esteve garantido por lei em todas as operadoras de TV por assinatura.[3]

A TV Escola exibiu 24 horas diárias de séries e programas educativos,[4] além de produzir programas voltados para os professores, como o Sala de Professor[5] e o Salto para o Futuro,[6] e outros programas voltados aos alunos, como o Hora do Enem.[7] Os programas produzidos foram distribuídos gratuitamente pela internet, podendo o usuário assistir online ou baixar os conteúdos.[4]

No dia 20 de abril de 2018, a TV Escola encerrou suas transmissões em sinal analógico no satélite StarOne C2, passando a contar somente com o seu sinal digital no mesmo satélite.

Em 12 de dezembro de 2019, foi revelado que a TV Escola seria encerrada por decisão do então ministro da Educação Abraham Weintraub, que não renovou o contrato de gestão com a ACERP, associação que gere a emissora.[8] No dia seguinte à decisão, funcionários desocupam e retiram equipamentos da sala do canal no Ministério da Educação, em Brasília, para acatar a uma liminar de 24 de outubro que pedia o despejo do local até 29 de novembro, sendo ingresso um mandado de segurança à Justiça Federal para que fosse garantido tempo a fim de encontrar uma locação adequada.[9][10] Posteriormente uma resposta a esta ação foi divulgada pela associação.[11]

Após os atritos entre o MEC e a ACERP, em 26 de abril de 2022, o Ministério da Educação realizou o lançamento de dois novos canais: Canal Educação e Canal Libras.[12] Com isso, a TV Escola, que era transmitida na Multiprogramação dos canais digitais, foi trocada pelo recém-lançado canal, porém ainda disponibiliza seu sinal via satélite. Depois de ter seu contrato rompido para operar a TV Escola para o Ministério da Educação no final de 2019, a Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto (Acerp) manteve suas operações no satélite em em plataformas digitais.[1]

Prêmios

editar
Prêmios em que o canal venceu
  • Dragão de Prata do II Festival Internacional do Filme Científico de Beijin (China) para Arte e Matemática - Episódio: "Ordem no Caos" na categoria Programas para a Juventude (2003)[13]
  • Prêmio SBGames na categoria Serious Game para Chico na Ilha dos Jurubebas (2014)
  • 7ª edição do Festival ComKids - Prix Jeunesse Iberoamericano - Categoria Interatividade para Chico na Ilha dos Jurubebas (2015)

Notas e referências

Notas

  1. Voltou ao ar só em 28 de abril de 2022, agora sob o comando da ACERP.[1]

Referências

  1. a b Redação (28 de abril de 2022). «TV Escola, da Roquette Pinto, volta à TV aberta no Rio e em São Paulo». TELA VIVA News. Consultado em 10 de janeiro de 2023 
  2. «TV Escola, modo de usar - IPAE». www.ipae.com.br. Consultado em 8 de novembro de 2016 
  3. «Sky não consegue liminar e tem que incluir canais abertos na programação». convergenciadigital.uol.com.br. 20 de junho de 2013. Consultado em 8 de novembro de 2016 
  4. a b «TV Escola - Ministério da Educação». portal.mec.gov.br/tv-escola. Consultado em 8 de novembro de 2016 
  5. «TV Escola - Ministério da Educação». tvescola.mec.gov.br. Consultado em 8 de novembro de 2016 
  6. «TV Escola e o Programa Salto para o Futuro». www.educacao.rs.gov.br. Consultado em 8 de novembro de 2016 
  7. «Conheça». TV Escola. Consultado em 9 de março de 2017 
  8. Robson Bonin e Evandro Éboli (12 de dezembro de 2019). «Depois de 20 anos no ar, TV Escola vai acabar por obra de Weintraub». Veja. Consultado em 13 de dezembro de 2019 
  9. Paulo Saldaña (13 de dezembro de 2019). «Ministro despeja TV Escola do MEC e encerra contrato com Associação Roquette Pinto». Folha de S.Paulo. Consultado em 13 de dezembro de 2019 
  10. «Ministro Abraham Weintraub expulsa TV Escola do prédio do MEC». Roquette Pinto. 13 de dezembro de 2019. Consultado em 15 de dezembro de 2019 
  11. «RESPOSTA AO MEC – ENCERRAMENTO DE GESTÃO DA TV ESCOLA». Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto. TV Escola - Notícias. 14 de dezembro de 2019. Consultado em 29 de outubro de 2021. Arquivado do original em 16 de dezembro de 2019 
  12. «MEC lança Canal Educação e Canal Libras». Ministério da Educação. Consultado em 2 de maio de 2022 
  13. «Programa co-produzido pela TV Escola ganha prêmio na China». memoria.ebc.com.br. 23 de março de 2003. Consultado em 8 de novembro de 2016 

Ligações externas

editar