Taique (em armênio/arménio: Տայք; romaniz.: Tayk ou Taiq), nos textos relacionados com a história da Armênia, é frequentemente utilizado como sinédoque à região noroeste do Armênia histórica, agora situada no nordeste da Turquia. Em sentido restrito, refere-se a décima quarta província da Armênia segundo o geógrafo armênio do século VII Ananias de Siracena.[1] Seus equivalentes georgianos são Tao (em georgiano: ტაო, à província) e Tao-Clarjétia (em georgiano: ტაო–კლარჯეთი; romaniz.: Tao-Klarjeti; à região).

Armênia em 150. Arzanena situa-se dentre as províncias mais a Ocidente

Foi por muito tempo uma possessão da família Mamicônio. Taique foi legada, em 1001, pelo último príncipe dos bagrátidas armênios, Davi III (r. 930–1001), ao imperador bizantino Basílio II Bulgaróctono.[2]

DistritosEditar

A província era constituída por oito distritos ou cantões (em armênio/arménio: գավառ):[3]

  • Koł (Կող);
  • Berdac’p’or (Բերդաց փոր);
  • Partizac’p’or (Պարտիզաց փոր);
  • Čakk’ (Ճակք);
  • Bołxa (Բուղխա);
  • Ok’aŀē (Ոքաղե);
  • Azordac’p’or (Ազորդաց փոր);
  • Arseac’p’or (Ալաեաց փոր).

Referências

  1. Dédéyan 2007, p. 43.
  2. Cheynet 2006, p. 37.
  3. Hewsen 2001, p. 103.

BibliografiaEditar

  • Cheynet, Jean-Claude (2006). Le monde byzantin. vol. II : L'Empire byzantin (641-1204). Col: Nouvelle Clio — L'histoire et ses problèmes. Paris: Presses universitaires de France. ISBN 978-2-13-052007-8 
  • Hewsen, Robert H. (2001). Armenia: A historical Atlas. Chicago e Londres: The University of Chicago Press. ISBN 0-226-33228-4