Abrir menu principal
Armênia em 150. Arzanena situa-se dentre as províncias mais a Ocidente

Taique (em armênio/arménio: Տայք; transl.: Tayk ou Taiq), nos textos relacionados com a história da Armênia, é frequentemente utilizado como sinédoque à região noroeste do Armênia histórica, agora situada no nordeste da Turquia. Em sentido restrito, refere-se a décima quarta província da Armênia segundo o geógrafo armênio do século VII Ananias de Siracena.[1] Seus equivalentes georgianos são Tao (em georgiano: ტაო, à província) e Tao-Clarjétia (em georgiano: ტაო–კლარჯეთი; transl.: Tao-Klarjeti; à região).

Foi por muito tempo uma possessão da família Mamicônio. Taique foi legada, em 1001, pelo último príncipe dos bagrátidas armênios, Davi III (r. 930–1001), ao imperador bizantino Basílio II Bulgaróctono.[2]

DistritosEditar

A província era constituída por oito distritos ou cantões (em armênio/arménio: գավառ):[3]

  • Koł (Կող);
  • Berdac’p’or (Բերդաց փոր);
  • Partizac’p’or (Պարտիզաց փոր);
  • Čakk’ (Ճակք);
  • Bołxa (Բուղխա);
  • Ok’aŀē (Ոքաղե);
  • Azordac’p’or (Ազորդաց փոր);
  • Arseac’p’or (Ալաեաց փոր).

Referências

  1. Dédéyan 2007, p. 43.
  2. Cheynet 2006, p. 37.
  3. Hewsen 2001, p. 103.

BibliografiaEditar

  • Cheynet, Jean-Claude (2006). Le monde byzantin. vol. II : L'Empire byzantin (641-1204). Col: Nouvelle Clio — L'histoire et ses problèmes. Paris: Presses universitaires de France. ISBN 978-2-13-052007-8 
  • Hewsen, Robert H. (2001). Armenia: A historical Atlas. Chicago e Londres: The University of Chicago Press. ISBN 0-226-33228-4