Abrir menu principal

Teatro de Comédia do Paraná (TCP) é um grupo teatral da Fundação Teatro Guaíra e sua sede esta localizada em Curitiba. O TCP é considerado o primeiro grupo "oficial" de teatro do estado do Paraná[1].

O TCP nasceu de um curso de teatro de curta duração oferecido pelo Teatro Guaíra (TG) em 1962, e com os ótimos resultados desta atividade e a intenção de recriar um grupo oficial, pois o primeiro grupo formado em 1956, por Ary Fontoura e Glauco Flores de Sá Britto, o Teatro Experimental Guaíra[2] que estava desativado, a diretoria do TG resolveu fundar o TCP em 1963, convidando o ator e diretor teatral Cláudio Corrêa e Castro para desenvolver a ideia e ser o diretor. Cláudio trouxe para Curitiba alguns dos nomes que se destacavam no eixo Rio-São Paulo para atuar e lecionar (no projeto Curso Permanente de Teatro), como o casal Nicete Bruno e Paulo Goulart [3], além de Leonor Bruno e Sílvia Paredo[4].

A primeira montagem do TCP ocorreu em 1963, com a peça "Um Elefante no Caos", escrita por Millôr Fernandes. Outras peças de destaques encenadas pelo TCP, foram:

  • "A Megera Domada" (1964), de Shakespeare;
  • "Schweyk na Segunda Guerra Mundial" (1967), de Brecht;
  • "Paraná Terra de Todas as Gentes" (1974), esta produção é que inaugurou o Guairão, em 1974;
  • "O Contestado" (1979), de Romário Borelli;
  • "Zumbi" (1984), de Gianfrancesco Guarnieri e Augusto Boal;
  • "Colônia Cecília" (1984), de Renata Pallottini;
  • "A Vida de Galileu" (1989), de Brecht;
  • "As Bruxas de Salém" (1990), de Arthur Miller;
  • "New York por Will Eisner" (1990), de Edson Bueno;
  • "A Aurora da Minha Vida" (1997), de Naum Alves de Souza;
  • "Memórias Póstumas de Brás Cubas" (2006), de Machado de Assis, entre outras produções, encenadas no Teatro Guaíra, como no interior do Paraná e em outras cidades como Rio e São Paulo.

Entre os inúmeros atores, diretores e profissionais de teatro que já trabalharam no TCP, podemos citar alguns como: Cláudio Corrêa e Castro, Nicette Bruno, Paulo Goulart, Lala Schneider, Joel de Oliveira, Armando Maranhão, Miguel Esposito, Sale Wolokita, Maurício Távora, Danilo Avelleda, Sinval Martins, José Maria Santos, Celina Alvetti, Yara Sarmento, Rogério Dellê, Fernando Zeni, Wilde Quintana, Felix Miranda, Edson D'Ávila, Delcy D'Ávila, Sansores França Odelair Rodrigues[5], entre outros

Referências