Temporada de ciclones no Pacífico Sul de 2009-2010

Temporada de ciclones no Pacífico Sul

Temporada de ciclones no Pacífico Sul de 2009-2010
imagem ilustrativa de artigo Temporada de ciclones no Pacífico Sul de 2009-2010
Mapa resumo da temporada
Datas
Início da atividade 3 de dezembro de 2009
Fim da atividade 5 de abril de 2010
Tempestade mais forte
Nome Ului
 • Ventos máximos 215 km/h (130 mph)
 • Pressão mais baixa 915 hPa (mbar)
Estatísticas sazonais
Distúrbios totais 15
Total depressões 13
Ciclones tropicais 8
Ciclones tropicais severos 5
Total fatalidades 12 total
Danos $163.00 (2010 USD)
Artigos relacionados
Temporadas de ciclones tropicais no Pacífico Sul
2007–08, 2008–09, 2009–10, 2010–11, 2011–12

A temporada de ciclones no Pacífico Sul começou em 3 de dezembro de 2009 com a formação da perturbação Tropical 01F, 32 dias após a temporada de ciclones ter começado oficialmente em 1 de novembro de 2009. A temporada terminou em 30 de abril de 2010. Estas datas delimitam convencionalmente o período de cada ano quando a maioria dos ciclones tropicais se formam no Oceano Pacífico Sul a leste de 160° E. Adicionalmente, o plano operacional regional para ciclones tropicais define um ano de ciclone tropical separadamente de uma temporada de ciclones tropicais; o "ano do ciclone tropical" começou em 1 de julho de 2009 e terminou em 30 de junho de 2010.[1] Os ciclones tropicais entre 160° E 120°W e a norte de 25° S são monitorizados pelo Serviço Meteorológico de Fiji. Aqueles que se movem para sul de 25° S são monitorados pelo Centro de aviso de ciclone Tropical em Wellington, Nova Zelândia.[1] A primeira perturbação tropical da temporada formou-se em 3 de dezembro, a cerca de 1015 km a norte de Suva, Fiji e mais tarde intensificou-se para o ciclone tropical Mick. O último sistema, 15F, dissipou-se em 5 de abril do ano seguinte.

Resumo sazonal editar

Ciclone TomasCiclone UluiCiclone PatCiclone OliEscalas de ciclones tropicais#Comparações entre bacias

Sistemas editar

Ciclone tropical Mick editar

ciclone tropical categoria 2 (Escala Australiana)
Ciclone tropical categoria 1 (SSHWS)
 
Imagem de satélite
 
Trajetória
Duração 3 de dezembro – 15 de dezembro
Intensidade máxima 110 km/h (70 mph) (10-min)  975 hPa (mbar)

Em 3 de dezembro, o Centro Meteorológico Regional Especializado (CMRE) de Nadi classificou uma área de perturbações meteorológicas como a perturbação tropical "01F".[1] Depois de vários dias sem mostrar sinais de organização, o sistema se intensificou para uma depressão tropical na noite (UTC) de 11 de dezembro.[2] No dia seguinte, o Joint Typhoon Warning Center (JTWC) classificou o sistema para um ciclone tropical significativo em 12 de dezembro.[3] No final daquela noite, o CMRE de Reunião classificou o sistema como o primeiro ciclone tropical significativo da temporada e lhe atribuiu o nome "Mick".[4] Mick continuou a se intensificar, e atingiu seu pico de intensidade, com ventos máximos sustentados de 130 km/h(1 minuto sustentado), segundo o JTWC,[5] ou 110 km/h(10 minutos sustentados), segundo o CMRE de Nadi, assim que fez landfall em Fiji.

A partir de então, Mick se enfraqueceu rapidamente devido à interação com terra e ao forte aumento do cisalhamento do vento. Com isso, o CMRE de Nadi desclassificou Mick para uma depressão extratropical na manhã (UTC) de 15 de dezembro e emitiu seu aviso final sobre o sistema. O JTWC fez o mesmo mais tarde naquele dia.[6]

Mick causou severas enchentes em boa parte de Fiji. A capital, Suva, ficou sem o fornecimento de eletricidade.[7] Várias residências foram danificadas. Estradas foram interrompidas por deslizamentos de terra e alagamentos.[8] Segundo o governo de Fiji, Mick causou mais de 13 milhões de dólares em danos.[9] Pelo menos 3.000 pessoas ficaram desabrigadas e quatro mortes foram confirmadas.[10]

Perturbação tropical 02F editar

 
Imagem de satélite
 
Trajetória
Duração 6 de dezembro de 2009 – 12 de dezembro de 2009
Intensidade máxima Ventos não especificados  1003 hPa (mbar)

Na noite (UTC) 6 de dezembro, o Centro Meteorológico Regional Especializado (CMRE) de Nadi classificou uma área de perturbações meteorológicas a várias centenas de quilômetros ao norte de Fiji para a segunda perturbação tropical da temporada.[11] No entanto, o sistema logo começou a se desorganizar e se dissipou em 11 de dezembro.[12]

Depressão extratropical 03F editar

Depressão tropical (Escala Australiana)
 
Imagem de satélite
 
Trajetória
Duração 7 de janeiro – 10 de janeiro
Intensidade máxima 65 km/h (40 mph) (10-min)  1002 hPa (mbar)

Uma depressão com características subtropicais formou-se a sudoeste da Polinésia Francesa em 7 de janeiro.[13] No entanto, o sistema não foi capaz de se organizar e se dissipou em 10 de janeiro.[14]

Depressão tropical 04F (Olga) editar

Depressão tropical (Escala Australiana)
 
Imagem de satélite
 
Trajetória
Duração 18 de janeiro – 20 de janeiro(cruzou 160°E)
Intensidade máxima Ventos não especificados  1002 hPa (mbar)
 Ver artigo principal: Ciclone Olga (2010)

Em 18 de janeiro, uma perturbação tropical se formou a sudoeste das Ilhas Salomão.[15] No dia seguinte, o sistema se intensificou para uma depressão tropical,[16] mas o sistema deixou a área de responsabilidade do CMRE de Nadi em 21 de janeiro, e adentrou a área de responsabilidade do CACT de Brisbane, onde se tornou o ciclone Olga.[17]

As chuvas torrenciais causadas pela depressão sobre as Ilhas Salomão causaram a morte de duas crianças, além de danos à agricultura e a residências.[18]

Depressão tropical 05F editar

Depressão tropical (Escala Australiana)
 
Imagem de satélite
 
Trajetória
Duração 23 de janeiro – 28 de janeiro
Intensidade máxima Ventos não especificados  998 hPa (mbar)

Em 23 de janeiro, uma área de perturbações meteorológicas ao sul de Tuvalu se organizou para a perturbação tropical "05F", segundo o CMRE de Nadi[19] e se intensificou para uma depressão tropical em 25 de janeiro.[20] No entanto, o sistema não foi capaz de se intensificar e se dissipou em 28 de janeiro.[21]

Ciclone tropical Nisha editar

ciclone tropical categoria 1 (Escala Australiana)
Tempestade tropical (SSHWS)
 
Imagem de satélite
 
Trajetória
Duração 27 de janeiro – 31 de janeiro
Intensidade máxima 75 km/h (45 mph) (10-min)  990 hPa (mbar)

A mesma área de perturbações meteorológicas ao sul de Tuvalu que gerou a depressão tropical 05F também gerou a depressão tropical 06F em 27 de janeiro, segundo o CMRE de Nadi.[22] Ainda naquele dia, o Joint Typhoon Warning Center (JTWC) classificou o sistema para um ciclone tropical significativo, atribuindo-lhe a designação "10P".[23] Horas mais tarde, o CMRE de Nadi também classificou o sistema para um ciclone tropical significativo e lhe atribuiu o nome "Nisha".[24] O ciclone logo seu pico de intensidade no dia seguinte, com ventos máximos sustentados de 95 km/h(1 minuto sustentado),[25] segundo o JTWC, ou 75 km/h(10 minutos sustentados), segundo o CMRE de Nadi.

Com a piora das condições meteorológicas, Nisha se enfraqueceu para uma depressão tropical, segundo o CMRE de Nadi, em 29 de janeiro, quando o último aviso sobre o sistema foi emitido.[26] No dia seguinte, o JTWC também emitiu seu aviso final sobre o sistema.[27]

Nisha afetou a Samoa Americana em 27 de janeiro, trazendo fortes chuvas e ventos à região. Algumas residências foram danificadas e árvores caídas bloquearam estradas.[28] Entretanto, não houve relatos de vítimas.

Ciclone tropical severo Oli editar

ciclone tropical severo categoria 4 (Escala Australiana)
Ciclone tropical categoria 4 (SSHWS)
 
Imagem de satélite
 
Trajetória
Duração 29 de janeiro – 8 de fevereiro
Intensidade máxima 185 km/h (115 mph) (10-min)  925 hPa (mbar)
 Ver artigo principal: Ciclone Oli

Em 29 de janeiro, o CMRE de Nadi classificou uma área de perturbações meteorológicas a nordeste de Fiji para a perturbação tropical 07F.[29] O sistema começou a se organizar enquanto seguia para leste e se tornou uma depressão tropical, segundo o CMRE de Nadi, em 31 de janeiro.[30] No dia seguinte, o Joint Typhoon Warning Center (JTWC) classificouo sistema para um ciclone tropical significativo e lhe atribui a designação "12P".[31] Horas mais tarde, o CMRE de Nadi também classificou o sistema para um ciclone tropical significativo e lhe atribuiu o nome "Oli".[32] Seguindo para uma região com exelentes condições favoráveis, Oli começou a se intensificar rapidamnete, e se tornou o primeiro ciclone tropical severo no Oceano Pacífico Sul desde o ciclone Gene, na temporada de 2007-2008, no início da noite de 3 de fevereiro.[33] Seguindo para sudeste, próximo à Polinésia Francesa, Oli atingiu seu pico de intensidade em 4 de fevereiro, com ventos máximos sustentados de 215 km/h(1 minuto sustentado), segundo o JTWC,[34] ou 185 km/h(10 minutos sustentados), segundo o CMRE de Nadi.

A artir de então, Oli começou a se enfraquecer assim que deixava a área de responsabilidade do CMRE de Nadi para adentrar a área de responsabilidade do Centro de Aviso de Ciclone Tropical de Wellington, Nova Zelândia, em 5 de fevereiro.[35] Naquele dia, Oli deixou de ser um ciclone tropical severo,[36] e se tornou um ciclone extratropical no dia seguinte, quando o CACT de Wellington emitiu seu aviso final sobre o sistema.[37] O JTWC também emitiu seu aviso final sobre o sistema ainda naquele dia.[38]

Oli causou severos danos na Polinésia Francesa, especialmente na ilha de Tubuai, onde praticamente todas as residências foram destruídas por Oli. As comunicações com a ilha também foram interrompidas pelo ciclone. Praticamente todas as 2.200 da ilha focaram desabrigadas. Os prejuízos econômicos somaram 35,5 milhões de dólares em todas as ilhas da Polinésia Francesa afetadas.[39][40] Em Raiatea, uma morte foi registada devido aos efeitos de Oli na região.[41]

Depressão tropical 08F editar

Depressão tropical (Escala Australiana)
 
Imagem de satélite
 
Trajetória
Duração 1 de fevereiro – 4 de fevereiro
Intensidade máxima 55 km/h (35 mph) (10-min)  997 hPa (mbar)

O CMRE de Nadi classificou uma área de perturbações meteorológicas a norte-nordeste do Taiti, Polinésia Francesa, para a depressão tropical "08F" em 2 de fevereiro. No entanto, o sistema não se desenvolveu devidso à proximidade do ciclone Oli e se dissipou em 4 de fevereiro, já na área de responsabilidade do CACT de Wellington.[42]

Ciclone tropical severo Pat editar

ciclone tropical severo categoria 3 (Escala Australiana)
Ciclone tropical categoria 2 (SSHWS)
 
Imagem de satélite
 
Trajetória
Duração 6 de fevereiro – 11 de fevereiro
Intensidade máxima 140 km/h (85 mph) (10-min)  960 hPa (mbar)
 Ver artigo principal: Ciclone Pat

Uma área de perturbações meteorológicas que persitia a nordeste de Pago Pago, Samoa Americana, foi classificada para uma depressão tropical em 6 de fevereiro, segundo CMRE de Nadi, que lhe atribuiu a designação "09F".[43] O sistema se organizou e o Joint Typhoon Warning Center classificou-o como um ciclone tropical significativo no dia seguinte, atribuindo-lhe a designação "14P".[44] No início da madrugada (UTC) de 8 de fevereiro, o CMRE de Nadi também classificou o sistema para um ciclone tropical significativo e lhe atribuiu o nome "Pat".[45] Seguindo para sudeste e então para sul, o sistema se intensificou gradativamente e se tornou o segundo ciclone tropical severo da temporada, segundo o CMRE de Nadi, na madrugada de 10 de fevereiro.[46] Horas mais tarde, Pat atingiu seu pico de intensidade, com ventos máximos sustentados de 195 km/h(1 minuto sustentado), segundo o JTWC,[47] ou 155 km/h, segundo o CMRE de Nadi.

A partir de então, Pat começou a se enfraquecer ao encontrar condições meteorológicas mais desfavoráveis enquanto seguia para sudoeste. O sistema deixou de ser um ciclone tropical severo no início da madrugada de 11 de fevereiro,[48] e o CMRE de Nadi emitiu seu aviso final sobre o sistema assim que Pat a se dissipar a oeste das Ilhas Cook, ainda naquele dia.[49] Praticamente ao mesmo tempo, o JTWC também emitiu seu aviso final sobre o sistema.[50]

Pat causou danos severos nas Ilhas Cook, especialmente na ilha Aitutaki, onde 90% das residências foram danificadas ou destruídas e boa parte da agricultura local foi perdida. A ilha ficou sem o fornecimento de eletricidade e sem comunicação após a passagem do ciclone, e duas pessoas ficaram feridas.[51]

Ciclone tropical severo Rene editar

ciclone tropical severo categoria 3 (Escala Australiana)
Ciclone tropical categoria 3 (SSHWS)
 
Imagem de satélite
 
Trajetória
Duração 9 de fevereiro – 17 de fevereiro
Intensidade máxima 155 km/h (100 mph) (10-min)  945 hPa (mbar)

Uma área de perturbações que persistia a noroeste da Samoa Americana começou a mostrar sinais de organização em 9 de fevereiro. O CMRE de Nadi notou a formação do sistema e o classificou para uma depressão tropical, e lhe atribuiu a designação "10F".[52] O sistema continuou a se organizar e se tornou um ciclone tropical significativo, segundo o Joint Typhoon Warning Center (JTWC), em 11 de fevereiro, e lhe atribuiu a designação "15P".[53] Mais tarde naquele dia, o CMRE de Nadi também classificou-o para um ciclone tropical significativo e lhe atribuiu o nome "Rene".[54] O ciclone se intensificou gradativamente, e se tornou o terceiro ciclone tropical severo da temporada na manhã (UTC) de 14 de fevereiro.[55] Seguindo continuamente para sudoeste, Rene atingiu seu pico de intensidade ainda naquela noite, com ventos máximos sustentados de 185 km/h(1 minuto sustentado), segundo o JTWC,[56] ou 165 km/h(10 minutos sustentados), segundo o CMRE de Nadi.

Em 14 de fevereiro, Rene começou a encontrar condições meteorológicas mais desfavoráveis e começou a se enfraquecer, deixando de ser um ciclone tropical severo no dia seguinte.[57] O enfraquecimento de Rene continuou e o ciclone foi desclassificado para uma área de baixa pressão remanescente assim que adentrava a área de responsabilidade do CACT de Wellington, que emitiu seu aviso final sobre o sistema em 16 de fevereiro.[58] O JTWC também fez o mesmo no dia seguinte.

Rene causou destruição ao passar sobre Tonga 15 de fevereiro. A capital Nuku'alofa foi severamente afetada pelo ciclone; várias residências foram danificadas ou destruídas e a eletricidade e as comunicações foram cortadas pelo ciclone. Boa parte da agricultura de Tonga foi perdida e o porto da capital foi praticamente destruído.[59] Apesar dos danos, nenhuma pessoa ficou ferida em Tonga. Entretanto, uma pessoa morreu na Samoa Americana quando preparava sua residência para a chegada do ciclone na ilha.[60]

Ciclone tropical Sarah editar

ciclone tropical categoria 1 (Escala Australiana)
Tempestade tropical (SSHWS)
 
Imagem de satélite
 
Trajetória
Duração 17 de fevereiro – 3 de março
Intensidade máxima 65 km/h (40 mph) (10-min)  995 hPa (mbar)

Uma área de perturbações meteorológicas a sudeste da Samoa Americana começou a mostrar sinais de organização em 20 de fevereiro, quando o CMRE de Nadi classificou o sistema para uma depressão tropical, atribuindo-lhe a designação "11F".[61] O sistema começou a se organizar e o Joint Typhoon Warning Center classificou-o para um ciclone tropical significativo na noite (UTC) de 21 de fevereiro, e lhe atribuiu a designação "17P".[62] No entanto, o sistema estava localizado numa região com forte cisalhamento do vento e não foi capaz de se intensidade. Com isso, a depressão logo atingiu seu pico de intensidade em 22 de fevereiro, com ventos máximos sustentados de 65 km/h(1 minuto sustentado),[63] segundo o JTWC, ou 55 km/h(10 minustos sustentados), segundo o CMRE de Nadi.

Ainda na noite (UTC) de 22 de fevereiro, o JTWC emitiu seu aviso final sobre o sistema assim que 17P se desorganizava sob o forte cisalhamento do vento.[64] Ao mesmo tempo, o CMRE de Nadi emitiu seu aviso final sobre o sistema.[65] O CMRE de Nadi voltou a classificar o sistema para uma perturbação tropical ainda naquela noite, mas parou novamente de emitir avisos regulares na madrugada seguinte. Horas depois, o CMRE de Nadi voltou mais uma vez a classificar o sistema para uma perturbação tropical,[66] e depois para uma depressão tropical plena.[67] Com a diminuição do cisalhamento do vento, o sistema conseguiu se organizar, e o CMRE de Nadi classificou a depressão para um ciclone tropical significativo em 26 de fevereiro, e lhe atribuiu o nome "Sarah".[68]

Ciclone tropical severo Ului editar

ciclone tropical severo categoria 5 (Escala Australiana)
Ciclone tropical categoria 5 (SSHWS)
 
Imagem de satélite
 
Trajetória
Duração 9 de março – 14 de março (Exited basin)
Intensidade máxima 215 km/h (130 mph) (10-min)  915 hPa (mbar)
 Ver artigo principal: Ciclone Ului

A perturbação tropical 13F se formou em 9 de março entre as cordenadas 12,0 º S e 167,0 º E, cerca de 80 quilômetros ao norte de HIW Island, Vanuatu. No dia seguinte, ele foi classificado como uma depressão tropical. Em 12 de março, 13F foi atualizado para o ciclone tropical Ului. No início do dia 13, tornou-se um ciclone de categoria 2. Mais tarde, naquele dia, Ului fortaleceu-se para a categoria 3, tornando-se um ciclone tropical severo. A tempestade continuou a se fortalecer ao longo do dia e da noite quando se tornou um ciclone de categoria 5. Ului se tornou o primeiro ciclone de categoria 5 do ciclone do Pacífico desde o Ciclone Percy, em fevereiro de 2005. Em 14 de março, Ului saiu da região do Pacífico, e entrou na região australiana.

Ciclone tropical severo Tomas editar

ciclone tropical severo categoria 4 (Escala Australiana)
Ciclone tropical categoria 4 (SSHWS)
 
Imagem de satélite
 
Trajetória
Duração 10 de março – 17 de março
Intensidade máxima 185 km/h (115 mph) (10-min)  925 hPa (mbar)
 Ver artigo principal: Ciclone Tomas

Pouco depois do primeiro aviso sobre a Perturbação tropical 13F foi emitido em 9 de março, a FMS começou a monitorar um novo distúrbio, designado como 14F, mais a leste. No dia seguinte, a convecção profunda começou a se desenvolver em torno da perturbação da circulação de baixo nível, alertando o JTWC para começar a monitorar tanto para o desenvolvimento ciclônico possível. Mais tarde, em 10 de março, a FMS classificou o sistema como uma depressão tropical assim que continuou a se tornar mais organizado. Localizado dentro de um ambiente caracterizado por baixos ventos de cisalhamento, a intensificação foi antecipado, e a convecção continuou a desenvolver-se todo o sistema em expansão. Por volta de 15:00 UTC de 11 de março, o JTWC emitiu seu primeiro aviso sobre o ciclone, classificando-a como tempestade tropical 19P. Várias horas depois, a FMS atualizado o sistema para um ciclone de categoria 1 e deu-lhe o nome de Tomas. A rápida intensificação era esperado para ocorrer durante as próximas 48 horas, pois as temperaturas da superfície do mar antes da tempestade, estavam na média de 30 °C, bem acima do limiar para o desenvolvimento de ciclones tropicais. Ao longo do dia em 12 de março Tomas intensificou-se continuamente, e no início do dia seguinte, o JTWC classificou a tempestade equivalente a um furacão da categoria 1 com ventos de 120 km/h.

As bandas convectivas aumentou substancialmente em 13 de março, permitindo Tomas tornar-se o quarto ciclone tropical severo da temporada na manhã seguinte. Ao mesmo tempo, o JTWC avaliou a tempestade ter atingido ventos de 155 km/h, classificando-a como um ciclone de Categoria 2. Na tarde de 14 de março, Tomas tinha desenvolvido um olho cercado por áreas de convecção profunda. Neste ponto, o FMS avaliou que a tempestade tinha ventos de 150 km/h e uma pressão de 950 hPa (mbar). O JTWC também observou uma maior intensificação, quando Tomas atingiu a categoria 3. Tomas intensificou-se na noite de 14 de Março, tornando-se um ciclone de categoria 4 (de acordo com o Serviço Meteorológico de Fiji), com ventos de até 215 km / e rajadas de até 260 kmh. Os telhados voaram de algumas casas, danificando prédios ao redor no lado leste de Vanua Levu.

Uma pessoa morreu na cidade de Savusavu depois de ter sido varrido para fora do mar pelas ondas grandes, enquanto tentava salvar suas duas irmãs, uma sobrinha e um sobrinho perto de Baía Namilamila.

Depressão tropical 15F editar

Depressão tropical (Escala Australiana)
 
Imagem de satélite
 
Trajetória
Duração 30 de março – 5 de abril
Intensidade máxima 55 km/h (35 mph) (10-min)  999 hPa (mbar)

Nomes das tempestades editar

Áreas de baixa pressão de escala sinótica que se formam sobre águas quentes são nomeados a qualquer momento, desde que análises via Técnica Dvorak indiquem ventos fortes perto do centro do sistema. Diferentemente do padrão atlântico, um sistema tropical não nomeado poderá ter ventos fortes em um ou mais quadrantes, mas nunca perto do centro.[69]

Ciclones tropicais que se formam entre os meridianos entre 160°E e 120°W são monitorados pelo Serviço Meteorológico de Fiji (SMF). Nunca foi observado a formação de um ciclone tropical a leste do meridiano 120°W e a costa oeste da América do Sul.[70] Se futuramente um ciclone tropical se formar nesta região, é incerto como ele será monitorado. Os nomes dos ciclones são dados em listas seqüenciais. O primeiro nome a ser utilizado nesta temporada é Mick.

  • Tomas (em atividade)
  • Usha (Sem usar)
  • Vania (Sem usar)
  • Wilma (Sem usar)
  • Yasi (Sem usar)
  • Zaka (Sem usar)

[71]

Efeitos sazonais editar

Esta tabela lista todas as tempestades que se desenvolveram no Pacífico Sul a leste de 160°de longitude E durante a temporada 2009-2010. Ele inclui sua intensidade na escala de intensidade de ciclones tropicais australianos, duração, nome, aterros, mortes e danos. Todos os dados são retirados de RSMC Nadi e ou TCWC Wellington. Os valores dos danos são todos de 2010 USD.

Nome Datas ativo Classificação máxima Velocidade de vento
sustentados
Pressão Áreas afetadas Danos
(USD)
Fatalidades Refs
Mick 3 de dezembro – 15 Ciclone tropical categoria 2 110 km/h (70 mph) 975 hPa (28.79 inHg) Fiji $33 000 000 3 [72][73]
02F 6 de dezembro – 12 Distúrbio tropical Desconhecido 1003 hPa (29.62 inHg) Nenhum Nenhum Nenhum
03F 7 de janeiro – 10 Depressão 65 km/h (40 mph) 1002 hPa (29.59 inHg) French Polynesia, Southern Cook Islands Nenhum Nenhum
Olga 18 de janeiro – 21 Depressão tropical Desconhecido 1002 hPa (29.59 inHg) Ilhas Salomão Desconhecido 2 [74]
05F 23 de janeiro – 28 Depressão tropical N/A 998 hPa (29.47 inHg) Nenhum Nenhum Nenhum
Nisha 27 de janeiro – 31 Ciclone tropical categoria 1 75 km/h (45 mph) 990 hPa (29.23 inHg) Ilhas Samoa, Sul das Ilhas Cook Nenhum Nenhum [75]
Oli 29 de janeiro – fevereiro 7 Ciclone tropical severo categoria 4 185 km/h (115 mph) 925 hPa (27.32 inHg) Ilhas Samoa, Ilhas Cook Islands, Polinésia Francesa $70 000 000 1
08F 2 de fevereiro – 4 Depressão tropical 55 km/h (35 mph) 997 hPa (29.44 inHg) Polinésia Francesa, Sul Ilhas Cook Nenhum Nenhum
Pat 6 de fevereiro – 11 Ciclone tropical severo categoria 3 140 km/h (85 mph) 960 hPa (28.32 inHg) Ilhas Cook $13 700 000 Nenhum
Rene 9 de fevereiro – 17 Ciclone tropical severo categoria 3 155 km/h (100 mph) 945 hPa (27.91 inHg) Ilhas Samoa, Tonga $18 000 000 Nenhum
Sarah 17 de fevereiro – março 3 Ciclone tropical categoria 1 65 km/h (40 mph) 995 hPa (29.38 inHg) Ilhas Cook Desconhecido Nenhum
12F 20 de fevereiro10 Tropical Disturbance Desconhecido Desconhecido Nenhum Nenhum Nenhum
Ului 9 de março – 14 Ciclone tropical severo categoria 5 215 km/h (130 mph) 915 hPa (27.02 inHg) Vanuatu, Ilhas Salomão Desconhecido 1
Tomas 9 de março – 17 Ciclone tropical severo categoria 4 185 km/h (115 mph) 925 hPa (27.32 inHg) Wallis e Futuna, Fiji $45 000 000 3 [76]
15F 30 de março – abril 5 Depressão tropical 55 km/h (35 mph) 999 hPa (29.50 inHg) Nenhum Nenhum Nenhum
Totais da temporada
15 sistemas 3 de dezembro – 5 de abril 215 km/h (130 mph) 925 hPa (27.32 inHg) >$164 700 000 10

Ver também editar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Temporada de ciclones no Pacífico Sul de 2009-2010
  • Temporadas furacões no Atlântico: 2009, 2010
  • Temporadas furacões no Pacífico: 2009, 2010
  • Temporadas tufões no Pacífico: 2009, 2010
  • Temporadas ciclones no Índico Norte: 2009, 2010

Referências

  1. «Tropical Disturbance Summary For area Equator to 25S, 160E to 120W» (em inglês). CMRE de Nadi. 3 de dezembro de 2009. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  2. «MARINE WEATHER BULLETIN FOR ISLANDS AREA» (em inglês). CMRE de Nadi. 11 de dezembro de 2009. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  3. «TROPICAL CYCLONE 04P (FOUR) WARNING NR 001» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 12 de dezembro de 2009. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  4. «Tropical Cyclone Mick» (em inglês). CMRE de Nadi. 13 de dezembro de 2009. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  5. «Tropical Cyclone 04P (Mick) Best Track» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 15 de dezembro de 2009. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  6. «TROPICAL CYCLONE 04P (MICK) WARNING NR 007» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 15 de dezembro de 2009. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  7. «Fiji: Save the Children assesses damage after Cyclone Mick». Save The Children (em inglês). Relief Web. 15 de dezembro de 2009. Consultado em 21 de fevereiro de 2010 
  8. «Cyclone Mick batters Fiji» (em inglês). ABC News. 14 de dezembro de 2009. Consultado em 21 de fevereiro de 2010 
  9. «Damage to Fiji from Cyclone Mick put at US$13m» (em inglês). Radio New Zealand International. 27 de janeiro de 2010. Consultado em 21 de fevereiro de 2010 
  10. «Four feared dead in cyclone-hit Fiji» (em inglês). ABC News. 15 de dezembro de 2009. Consultado em 21 de fevereiro de 2010 
  11. «MARINE WEATHER BULLETIN FOR ISLANDS AREA» (em inglês). CMRE de Nadi. 6 de dezembro de 2009. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  12. «Tropical Disturbance Summary For area Equator to 25S, 160E to 120W» (em inglês). CMRE de Nadi. 11 de dezembro de 2009. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  13. «Gale Warning 001 ISSUED FROM RSMC NADI Jan 07/0147 UTC 2010 UTC» (em inglês). CMRE de Nadi. 7 de janeiro de 2010. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  14. «MARINE WEATHER BULLETIN FOR ISLANDS AREA» (em inglês). CMRE de Nadi. 10 de janeiro de 2010. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  15. «ZONE OF DISTURBED WEATHER 10 1006 HPA» (em inglês). Tropical Disturbance Summary For area Equator to 25S, 160E to 120W. 18 de janeiro de 2010. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  16. «Tropical Disturbance Summary For area Equator to 25S, 160E to 120W» (em inglês). CMRE de Nadi. 19 de janeiro de 2010. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  17. «Tropical Disturbance Summary For area Equator to 25S, 160E to 120W» (em inglês). CMRE de Nadi. 21 de janeiro de 2010. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  18. «Flood-affected in Solomons' Guadalcanal given water» (em inglês). Radio New Zealand International. 25 de janeiro de 2010. Consultado em 17 de fevereiro de 2010 
  19. «ZONE OF DISTURBED WEATHER 10 1006 HPA» (em inglês). CMRE de Nadi. 23 de janeiro de 2010. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  20. «MARINE WEATHER BULLETIN FOR ISLANDS AREA» (em inglês). CMRE de Nadi. 25 de janeiro de 2010. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  21. «Tropical Disturbance Summary For area Equator to 25S, 160E to 120W A» (em inglês). CMRE de Nadi. 28 de janeiro de 2010. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  22. «MARINE WEATHER BULLETIN FOR ISLANDS AREA» (em inglês). CMRE de Nadi. 27 de janeiro de 2010. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  23. «TROPICAL CYCLONE 10P (TEN) WARNING NR 001» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 27 de janeiro de 2010. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  24. «TROPICAL DISTURBANCE ADVISORY NUMBER A3 ISSUED FROM RSMC NADI» (em inglês). CMRE de Nadi. 27 de janeiro de 2010. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  25. «Tropical Cyclone 10P (Nisha)» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 30 de janeiro de 2010. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  26. «TROPICAL DISTURBANCE ADVISORY NUMBER A11 ISSUED FROM RSMC NADI» (em inglês). CMRE de Nadi. 29 de janeiro de 2010. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  27. «TROPICAL CYCLONE 10P (NISHA) WARNING NR 006» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 30 de janeiro de 2010. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  28. «Cyclone batters American Samoa» (em inglês). Radio New Zealand International. 27 de janeiro de 2010. Consultado em 21 de fevereiro de 2010 
  29. «MARINE WEATHER BULLETIN FOR ISLANDS AREA» (em inglês). CMRE de Nadi. 29 de janeiro de 2010. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  30. «Tropical Disturbance Summary For area Equator to 25S, 160E to 120W» (em inglês). CMRE de Nadi. 31 de janeiro de 2010. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  31. «TROPICAL CYCLONE 12P (TWELVE) WARNING NR 001» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 26 de janeiro de 2010. Consultado em 1 de fevereiro de 2009 
  32. «GALE WARNING 005 ISSUED FROM RSMC NADI Feb 01/1041 UTC 2010 UTC» (em inglês). CMRE de Nadi. 1 de fevereiro de 2010. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  33. «HURRICANE WARNING 027 ISSUED FROM RSMC NADI Feb 03/2137 UTC 2010 UTC» (em inglês). CMRE de Nadi. 3 de fevereiro de 2010. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  34. «Tropical Cyclone 12P (Oli) Best Track» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 7 de fevereiro de 2010. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  35. «HURRICANE WARNING 108» (em inglês). CACT de Wellington. 5 de fevereiro de 2010. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  36. «STORM WARNING 122» (em inglês). CACT de Wellington. 6 de fevereiro de 2010. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  37. «GALE WARNING 136» (em inglês). CACT de Wellington. 6 de fevereiro de 2010. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  38. «TROPICAL CYCLONE 12P (OLI) WARNING NR 012» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 6 de fevereiro de 2010. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  39. «The damage cost for Cyclone Oli: at least US$70.6 million» (em inglês). Tahiti Presse. 11 de fevereiro de 2010. Consultado em 21 de fevereiro de 2010 
  40. «French Polynesia begins assessing Cyclone Oli damage» (em inglês). ABC Asia Pacific News. 9 de fevereiro de 2010. Consultado em 21 de fevereiro de 2010 
  41. «Tahiti's president continues inspection of Cyclone Oli damage in French Polynesia» (em inglês). Tahiti Presse. 9 de fevereiro de 2010. Consultado em 21 de fevereiro de 2010 
  42. «GALE WARNING 085» (em inglês). CACT de Wellington. 4 de fevereiro de 2010. Consultado em 20 de fevereiro de 2010 
  43. «MARINE WEATHER BULLETIN FOR ISLANDS AREA» (em inglês). CMRE de Nadi. 6 de fevereiro de 2010. Consultado em 20 de fevereiro de 2010 
  44. «TROPICAL CYCLONE 14P (FOURTEEN) WARNING NR 001» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 7 de fevereiro de 2010. Consultado em 20 de fevereiro de 2010 
  45. «GALE WARNING 042 ISSUED FROM RSMC NADI Feb 08/0128 UTC 2010 UTC» (em inglês). CMRE de Nadi. 8 de fevereiro de 2010. Consultado em 20 de fevereiro de 2010 
  46. «Special Weather Bulletin Number ELEVEN for Southern Cooks» (em inglês). CMRE de Nadi. 10 de fevereiro de 2010. Consultado em 20 de fevereiro de 2010 
  47. «Tropical Cyclone 14P (Pat)» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 12 de fevereiro de 2010. Consultado em 20 de fevereiro de 2009 
  48. «STORM WARNING 058 ISSUED FROM RSMC NADI Feb 11/0114 UTC 2010 UTC» (em inglês). CMRE de Nadi. 11 de fevereiro de 2010. Consultado em 20 de fevereiro de 2010 
  49. «MARINE WEATHER BULLETIN FOR ISLANDS AREA» (em inglês). CMRE de Nadi. 11 de fevereiro de 2010. Consultado em 20 de fevereiro de 2010 
  50. «TROPICAL CYCLONE 14P (PAT) WARNING NR 009» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 11 de fevereiro de 2010. Consultado em 20 de fevereiro de 2010 
  51. «Cook Islands cyclone weakens» (em inglês). Stuff.co.nz. 11 de fevereiro de 2010. Consultado em 21 de fevereiro de 2010 
  52. «Tropical Disturbance Summary For area Equator to 25S, 160E to 120W» (em inglês). CMRE de Nadi. 9 de fevereiro de 2010. Consultado em 20 de fevereiro de 2010 
  53. «TROPICAL CYCLONE 15P (FIFTEEN) WARNING NR 001» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 11 de fevereiro de 2010. Consultado em 20 de fevereiro de 2010 
  54. «Tropical Disturbance Summary For area Equator to 25S, 160E to 120W» (em inglês). CMRE de Nadi. 11 de fevereiro de 2010. Consultado em 20 de fevereiro de 2010 
  55. «HURRICANE WARNING 069 ISSUED FROM RSMC NADI Feb 13/0716 UTC 2010 UTC» (em inglês). CMRE de Nadi. 13 de fevereiro de 2010. Consultado em 20 de fevereiro de 2010 
  56. «Tropical Cyclone 15P (Rene) Best Track» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 17 de fevereiro de 2010. Consultado em 20 de fevereiro de 2010 
  57. «STORM WARNING 078 ISSUED FROM RSMC NADI Feb 15/1906 UTC 2010 UTC» (em inglês). CMRE de Nadi. 15 de fevereiro de 2010. Consultado em 20 de fevereiro de 2010 
  58. «GALE WARNING 318» (em inglês). CACT de Wellington. 16 de fevereiro de 2010. Consultado em 20 de fevereiro de 2010 
  59. «Cyclone Rene pounds Tonga, major damage in capital» (em inglês). Miami Herald. 15 de fevereiro de 2010. Consultado em 21 de fevereiro de 2010 
  60. «Cyclone Rene slams into Tonga» (em inglês). News.com.au. 15 de fevereiro de 2010. Consultado em 21 de fevereiro de 2010 
  61. «Tropical Disturbance Summary For area Equator to 25S, 160E to 120W» (em inglês). CMRE de Nadi. 20 de janeiro de 2010. Consultado em 20 de fevereiro de 2010 
  62. «TROPICAL CYCLONE 17P (SEVENTEEN) WARNING NR 001» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 21 de fevereiro de 2010. Consultado em 21 de fevereiro de 2010 
  63. [fhttp://199.9.2.143/tcdat/tc10/SHEM/17P.SEVENTEEN/trackfile.txt «Tropical Cyclone 17P Best Track»] (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 22 de fevereiro de 2010. Consultado em 22 de fevereiro de 2010 
  64. «TROPICAL CYCLONE 17P (SEVENTEEN) WARNING NR 003» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 22 de fevereiro de 2010. Consultado em 22 de fevereiro de 2010 
  65. «MARINE WEATHER BULLETIN FOR ISLANDS AREA» (em inglês). CMRE de Nadi. 22 de fevereiro de 2010. Consultado em 26 de fevereiro de 2010 
  66. «Tropical Disturbance Summary For area Equator to 25S, 160E to 120W» (em inglês). CMRE de Nadi. 23 de fevereiro de 2010. Consultado em 26 de fevereiro de 2010 
  67. «MARINE WEATHER BULLETIN FOR ISLANDS AREA» (em inglês). CMRE de Nadi. 23 de fevereiro de 2010. Consultado em 26 de fevereiro de 2010 
  68. «ZONE OF DISTURBED WEATHER 10 1006 HPA» (em inglês). TROPICAL CYCLONE SARAH CENTRE [995HPA]. 26 de janeiro de 2010. Consultado em 26 de fevereiro de 2010 
  69. «Tropical Cyclone Operational Plan for the Southwest Indian Ocean and the Southern Pacific Ocean» (PDF). RA V Tropical Cyclone Committee. World Meteorological Organization. 10 de março de 2009. Consultado em 21 de maio de 2009 
  70. https://metocph.nmci.navy.mil/jtwc/best_tracks/shindex.html
  71. «Tropical Cyclone Names» (PDF). Organização Meteorológica Mundial (em inglês). 1 de julho de 2005. Consultado em 8 de outubro de 2008 
  72. McGree, Simon; Yeo, Stephen W.; Devi, Swastika (16 de dezembro de 2010). «Flooding in the Fiji Islands between 1840 and 2009» (PDF). Risk Frontiers. Consultado em 1 de julho de 2011. Arquivado do original (PDF) em 22 de fevereiro de 2011 
  73. Fiji National Disaster Management Council (8 de janeiro de 2010). Tropical Cyclone Mick Damages Assessments, Response & Relief Actions and Rehabilitation & Reconstruction Recommendations (PDF) (Relatório). Ministry of Provincial Development & National Disaster Management. Consultado em 17 de janeiro de 2012. Arquivado do original (PDF) em 4 de março de 2016 
  74. Solomon Islands National Disaster Council (5 de fevereiro de 2010). «National Disaster Council Situation Report No.6 2010-02-05» (PDF). Pacific Disaster.Net. Consultado em 30 de janeiro de 2011. Arquivado do original (PDF) em 24 de julho de 2011 
  75. Unattributed (2010). «Storm events for American Samoa: Tropical Storm Nisha». National Climatic Data Center. National Oceanic and Atmospheric Administration. Consultado em 30 de janeiro de 2011. Arquivado do original em 30 de janeiro de 2011 
  76. Fiji National Disaster Management Council (1 de junho de 2010). Tropical Cyclone Tomas Damages Assessments, Response & Relief Actions and Rehabilitation & Reconstruction Recommendations (PDF) (Relatório). Ministry of Provincial Development & National Disaster Management. Consultado em 17 de janeiro de 2012. Arquivado do original (PDF) em 4 de março de 2016 

Ligações externas editar