Abrir menu principal

The Ballad of Jack and Rose

filme de 2005 dirigido por Rebecca Miller
The Ballad of Jack and Rose
A Balada de Jack e Rose[1] (PRT)
O Mundo de Jack e Rose (BRA)
 Estados Unidos
2005 •  cor •  112 min 
Direção Rebecca Miller
Produção Caroline Kaplan
Graham King
Lemore Syvan
Melissa Marr
Ethan Smith
Roteiro Rebecca Miller
Elenco Camilla Belle
Daniel Day-Lewis
Catherine Keener
Paul Dano
Gênero drama
Música Michael Rohatyn
Cinematografia Ellen Kuras
Edição Sabine Hoffman
Distribuição IFC Films
Lançamento 23 de janeiro de 2005 (Sundance)
25 de março de 2005
Idioma inglês
Orçamento US$1,5 milhões
Receita US$1 126 258[2]
Página no IMDb (em inglês)

The Ballad of Jack and Rose (O Mundo de Jack e Rose BRA ou A Balada de Jack e Rose PRT) é um filme de drama de 2005 escrito e dirigido por Rebecca Miller que conta a história de um ambientalista e sua filha adolescente que moram em uma ilha isolada. É protagonizado pela marido de Miller, Daniel Day-Lewis, além de Camilla Belle, Catherine Keener, Paul Dano, Ryan McDonald, Jason Lee, Jena Malone, Susanna Thompson e Beau Bridges. Foi filmado em Rock Barra, Ilha do Príncipe Eduardo, Canadá e em New Milford, Connecticut.

ElencoEditar

RecepçãoEditar

O Mundo de Jack e Rose estreou no Festival Sundance de Cinema em 23 de janeiro de 2005; mais tarde recebeu um lançamento teatral limitado em 23 de março de 2005, arrecadando 59 459 dólares em seu fim de semana de abertura, em quatro salas de cinema. A posição mais alta alcançada foi durante a segunda semana de lançamento, arrecadando $ 135 100, e a posição mais baixa alcançada foi na última semana, arrecadando $ 406. Foi ao todo apresentado em 74 salas de cinema. O filme arrecadou 712 275 de dólares no mercado interno e apenas 916 051 em todo o mundo.

A recepção crítica ao filme estava fortemente dividida; alguns críticos não gostaram do filme, como Todd McCarthy da Variety, que escreveu que "fica envolvido em distrações incidentais que levam ao desvio do drama".[3] Outros o elogiaram: Kenneth Turan, do Los Angeles Times, chamou o filme de um "modelo de cinema artístico e provocativo americano".[4]

A pesada divisão entre elogios críticos e o desdém foi ainda ilustrada pelos críticos Roger Ebert e Richard Roeper, que estavam em desacordo ao revisar o filme em seu programa de televisão. Ebert elogiou o filme na maioria dos relatos, em última análise chamando-o de "uma experiência absorvente".[5] Roeper, por outro lado, embora impressionado pela cinematografia, descartou o filme e criticou o retrato do personagem de Jack, em última análise, dizendo: "A balada de Jack e Rose é uma canção ruim pontuada pelo comportamento feio de personagens que deveriam ser simpáticos."[6]

Referências

  1. A Balada de Jack e Rose (em português) no CineCartaz (Portugal)
  2. «The Ballad of Jack and Rose (2005)». The Numbers (em inglês). Consultado em 31 de janeiro de 2018 
  3. McCarthy, Todd (26 de janeiro de 2005). «The Ballad of Jack & Rose». Variety (em inglês). Consultado em 31 de janeiro de 2018 
  4. Turan, Kenneth (25 de março de 2005). «'The Ballad of Jack and Rose'». Los Angeles Times (em inglês). Consultado em 31 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 10 de novembro de 2008 
  5. Ebert, Roger (1 de abril de 2005). «Roger Ebert reviews 'The Ballad of Jack and Rose'». Chicago Sun Times (em inglês). Consultado em 31 de janeiro de 2018 
  6. Roeper, Richard (4 de abril de 2005). «Ballad of Jack and Rose review». tvplex.go (em inglês). Consultado em 31 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 8 de novembro de 2005 

Ligações externasEditar