The Chronology of Ancient Kingdoms

The Chronology of Ancient Kingdoms é uma obra de Isaac Newton, publicada postumamente em 1728, sobre a cronologia dos reinos antigos.[1]

Neste livro, Newton critica as cronologias tradicionais dos reinos gregos, que são baseados em períodos de 33 anos entre gerações, propondo uma média de 20 anos entre gerações.[1] Deste modo, várias datas para eventos da mitologia grega são adiados, como, por exemplo, a queda de Troia (de 1183 a.C. para 965 a.C.) ou o reinado de Sesóstris (de 1300 a.C. para 965 a.C.).[1]

A partir deste livro, a mitologia grega não foi mais aceita como fonte fiável para cálculos de cronologia.[1]

Seções editar

O tratado é composto de oito seções primárias. A primeira é uma carta introdutória para Caroline de Ansbach, a Rainha da Inglaterra, por John Conduitt, marido da sobrinha de Newton, seguida por um pequeno anúncio. Depois disso, encontra-se uma seção intitulada "A Short Chronicle" que serve como uma breve lista histórica de eventos listados em ordem cronológica, começando com a data mais antiga listada de 1125 a.C. e a mais recente listada em 331 a.C. A maior parte do tratado, no entanto, está na forma de seis capítulos que exploram a história de civilizações específicas. Esses capítulos são intitulados:

De acordo com a carta introdutória de John Conduitt, The Chronology of Ancient Kingdoms Amended foi o último trabalho revisado pessoalmente de Isaac Newton antes de sua morte, mas na verdade foi escrito muito antes. Alguns de seus materiais e conteúdos levaram muitas pessoas a categorizar este trabalho como um dos estudos ocultos de Isaac Newton.

Referências

  1. a b c d «WELCOME TO THE REFORMATION ONLINE—THE MOST». www.reformation.org. Consultado em 3 de outubro de 2022 

Ligações externas editar

  Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.