Abrir menu principal

The Mask of Fu Manchu

filme de 1932 dirigido por Charles Brabin e Charles Vidor
The Mask of Fu Manchu
A máscara de Fu Manchu (BRA)
 Estados Unidos
1932 •  cor •  68 min 
Direção Charles Brabin
Roteiro Sax Rohmer
Irene Kuhn
Edgar Allan Woolf
John Willard
Elenco Boris Karloff
Lewis Stone
Karen Morley
Charles Starrett
Idioma inglês

The Mask of Fu Manchu (br: A máscara de Fu Manchu) é um filme estadunidense de 1932, do gênero aventura, dirigido por Charles Brabin e por Charles Vidor, não creditado.

É considerado o melhor filme dos anos 1930 em que aparece o vilão chinês Fu Manchu, célebre personagem do romancista inglês Sax Rohmer.

Índice

SinopseEditar

Exploradores ingleses estão na pista do túmulo secreto de Genghis Khan, onde esperam encontrar as lendárias espada dourada e máscara do conquistador. Sabem que o maléfico Doutor Fu Manchu também está interessado nessas peças, com o intuito de usá-las para dominar os povos orientais. Os exploradores não evitam os traiçoeiros ataques do vilão mas o ardiloso Nayland Smith consegue enganar temporariamente Fu Manchu com peças falsas. O vilão não desiste e rapta um dos exploradores, hipnotizando-o para que lhe traga as verdadeiras relíquias.

Elenco principalEditar

ControvérsiaEditar

Durante seu lançamento inicial, The Mask of Fu Manchu foi criticado pelo governo chinês e a embaixada chinesa em Washington lançou uma queixa formal contra o filme por sua representação hostil dos chineses. O discurso onde Fu Manchu diz aos seus seguidores "mate o homem branco e tome suas mulheres!" foi apontado por fortes críticas. [1]

Alguns outros críticos também se opuseram às representações de violência e sexualidade do filme.[2] O relançamento do filme, em 1972, foi recebido com protestos pela Liga dos Cidadãos Nipo-Americanos, que afirmou que "o filme foi ofensivo e humilhante para os asiático-americanos". Devido a essas críticas, a versão de 1992 do VHS do filme removeu várias cenas contendo as linhas de diálogo mais criticadas, como o discurso "mate o homem branco" e as cenas de Myrna Loy em um frenesi orgiástico enquanto assistia a uma tortura com chicoteamento. [2] Os últimos lançamentos em DVD deste filme pela Warner Bros restauraram as cenas supracitadas. [3]

Referências

  1. Frayling, Christopher (1996). «Fu Manchu». In: Newman, Kim. The BFI Companion to Horror. London, England: Cassell. pp. 131–32. ISBN 0-304-33216-X 
  2. a b Mank, Gregory William (2001). Hollywood Cauldron: 13 Horror Films from the Genres's Golden Age. Jefferson, North Carolina: McFarland Books. pp. 53–89. ISBN 0-7864-1112-0 
  3. Jackson, Glenn. «Unmasking FU MANCHU». DVD Savant 



  Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.