Abrir menu principal

A Rua sem Nome

filme de 1948 dirigido por William Keighley
(Redirecionado de The Street with No Name)
The Street with No Name
A rua sem nome (PRT/BRA)
Mark Stevens, Barbara Lawrence e Richard Widmark
 Estados Unidos
1948 •  pb •  91 min 
Direção William Keighley
Produção Samuel G. Engel
Roteiro Samuel G. Engel
Harry Kleiner
Elenco Mark Stevens
Richard Widmark
Lloyd Nolan
Barbara Lawrence
Gênero policial
noir
Música Lionel Newman
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

The Street with No Name (br/pt.: A rua sem nome) é um filme policial noir estadunidense de 1948, dirigido por William Keighley. É uma sequência de The House on 92nd Street (1945), com o ator Lloyd Nolan repetindo o papel do Inspetor do FBI George A. Briggs. Narrado em estilo de semidocumentário, o roteiro adapta um caso retirado dos arquivos daquela agência policial, de uma quadrilha do crime organizado que atua na cidade de "Central City" (fictícia, na verdade Los Angeles) [1].

ElencoEditar

SinopseEditar

Uma onda de crimes, incluindo assassinatos numa boate e num banco, levam o FBI a intervir em Central City, liderados pelo Inspetor George A. Briggs. A polícia local, através do guarda Richard Atkins, do Chefe de Polícia Bernard Harmatz e do Comissário Ralph Demory é convocada para ajudar na operação. Após o interrogatório do suspeito Robert Danker, Briggs percebe que tentaram incriminar o prisioneiro por aqueles crimes. Ele convoca o agente Gene Cordell para, disfarçado do criminoso George Manly, seguir os passos de Danker, tentando descobrir a quadrilha responsável e se infiltrar nela para obter provas. Suas investigações o levam a conhecer o frio Alec Stiles, proprietário de um ginásio de esportes e lutas de boxe. Logo a seguir, ele tem seus documentos roubados e é incriminado por um furto, da maneira similar ao que aconteceu com Danker, indicando ao FBI que Alec é o suspeito que procuram.

ProduçãoEditar

O papel de Judy Stiles foi oferecido a June Haver, que não aceitou, reclamando que era "sem importância". Mais tarde disse: "Após atuar naquele papel, eu ficaria sem nenhum nome". Como resultado, a atriz foi suspensa pela Fox [2].

CitaçõesEditar

Os letreiros de abertura apresentam o seguinte texto (tradução livre):

"O filme que irão assistir foi adaptado dos arquivos do Federal Bureau of Investigation. Sempre que foi possível, as filmagens foram feitas nos locais dos eventos reais e interpretados por pessoal do FBI envolvido".

Foram seguidos por uma mensagem do Diretor do FBI J. Edgar Hoover:

"A rua em que o crime floresce é a rua que cruza a América. É a rua sem nome. O banditismo organizado retorna uma vez mais. Se não for impedido, três de cada quatro americanos serão transformados em vítimas. Onde quer que a lei e ordem sejam quebradas lá estará a indiferença pública. Uma América alerta e vigilante será uma América segura".

RecepçãoEditar

Quando o filme foi lançado, a Revista Variety trouxe o seguinte texto (tradução livre): "Um filme de gângster de cano duplo, The Street with No Name concorre ao topo da lista das produções em estilo documental realizadas pela 20th-Fox. É enxuto, com revestimento duro de um núcleo de violência explosiva. Apesar do aparente documentário há conteúdo de melodrama que remete aos grandes filmes de gângsters da década de 1930...Ao longo de uma contínua trama detalhada, é incluída uma luta de boxe entre Stevens e um pugilista profissional, um vislumbre da maquinaria do FBI, e um ruidoso clímax quando policiais e pistoleiros participam de um tiroteio dentro de uma fábrica. Em um papel secundário, Lloyd Nolan, interpretando o mesmo Inspetor Briggs do FBI de The House on 92nd Street, atua com sua usual competência"[3].

Mais recentemente, o crítico Dennis Schwartz escreveu: "William Keighley (Bullets or Ballots/G Men) dirige sem nonsense esse semidocumentário dramático sobre crimes, com Harry Kleiner providenciando o roteiro; segue a atmosfera de autenticidade surgida em The House on 92nd Street (1945). O filme noir recebe toques coloridos do astro Richard Widmark que interpreta outro assassino psicopata como em Kiss of Death...A principal proposta do filme é contar dentro de um meio de entretenimento quão eficiente é o FBI e como é perigoso seu trabalho. Mas o filme é bem encenado, tem visual terrivelmente sombrio por cortesia de Joe MacDonald, carregando assustadoramente o sentimento de uma cidade corrupta, sem nunca pretender qualquer coisa a mais do que ser um bom filme de policiais e ladrões. Com esses méritos, o filme é assistível"[4].

PremiaçãoEditar

Indicado ao Writers Guild of America: Prêmio WGA (Cinema); The Robert Meltzer Award, Screenplay Dealing Most Ably with Problems of the American Scene, Harry Kleiner; 1949.

RefilmagemEditar

O roteiro de Harry Kleiner foi retrabalhado sete anos depois por Samuel Fuller para o filme House of Bamboo (1955).

Referências

  1. AFI film - id=25758- Título=The Street with No Name
  2. Evening Observer - 3 de novembro de 1947, Dunkirk, New York. p.16
  3. Variety. Resenha de filme, 1948. Acessado em 30 de agosto de 2008
  4. Schwartz, Dennis. Ozus' World Movie Reviews, Resenha de filme, 6 de fevereiro de 2005. Acessado em 30 de agosto de 2008

Ligações externasEditar