The Uncensored Library

The Uncensored Library é um servidor e mapa do Minecraft lançado pelo Repórteres sem Fronteiras e criado pela BlockWorks, DDB Berlim[1] e MediaMonks[2] como uma tentativa de contornar a censura em países sem liberdade de imprensa. A biblioteca contém relatórios e reportagens proibidos oriundos inicialmente do México, Rússia, Vietnã, Arábia Saudita e Egito; posteriormente houve a adição de Belarus e Brasil.[3][4] Uma ala inteira é dada a cada país, cada uma contendo vários artigos proibidos. A biblioteca foi lançada em 12 de março de 2020, no Dia Mundial contra a Censura Cibernética. Atualmente, as duas maneiras de acessar a livraria são fazer o download do mapa no site oficial ou se conectar ao servidor do Minecraft.[5][2][6]

The Uncensored Library
Captura de tela
Desenvolvedor DDB Berlim, BlockWorks, MediaMonks, Repórteres sem Fronteiras[a]
Lançamento 12 de março de 2020 (2 anos)
Gênero(s) Servidor e mapa do Minecraft
Página oficial www.uncensoredlibrary.com

DesignEditar

A biblioteca é um projeto de larga escala construído em um estilo arquitetônico neoclássico. Pretende assemelhar-se a instituições bem estabelecidas, como a Biblioteca Pública de Nova Iorque, bem como fazer alusão estilística às estruturas autoritárias que o projeto busca subverter.[6] A biblioteca usa mais de 12,5 milhões de blocos do Minecraft.[7]

FormatoEditar

Cada um dos sete países cobertos pela livraria, assim como o Repórteres sem Fronteiras, possui uma ala individual contendo uma série de artigos,[1] disponíveis em inglês e no idioma original em que o artigo foi escrito.[2] Os textos da biblioteca estão contidos em itens de livros do jogo, que podem ser abertos e colocados em estantes para serem lidos por vários jogadores ao mesmo tempo.[1] Estes artigos geralmente discutem censura, punição injusta e outras críticas ao governo do país natal do escritor. A arquitetura interior das salas de cada país simboliza a situação única de cada um e seus desafios jornalísticos.[2] Além disso, a biblioteca contém uma sala central listando o Índice de Liberdade de Imprensa e o estado atual da liberdade de imprensa de todos os países cobertos pelo índice, e a seção mexicana contém memoriais para os repórteres que foram mortos devido a seus escritos. No total, a biblioteca contém mais de 200 livros diferentes.[6]

Sala da COVID-19Editar

Uma sala adicional foi adicionada à biblioteca para cobrir questões de liberdade de imprensa em torno do tópico da pandemia de COVID-19. Ela contém livros sobre diversos países para mostrar como a notificação do vírus em cada um foi afetada.[8]

RecepçãoEditar

Após o lançamento, o projeto foi destaque em vários meios de comunicação, como a BBC,[9] Deutsche Welle,[10] CNBC[11] e CNN,[2] entre diversos outros.[12][6][1][13][14][15][16] Meios de comunicação lusófonos, como O Globo,[17] também repercutiram a biblioteca virtual.[18][19][20][21][22][23]

Notas

  1. DDB Berlim e BlockWorks construíram a estrutura da livraria, enquanto MediaMonks e Repórteres sem Fronteiras publicaram o projeto, com o RSF também selecionando os artigos mostrados dentro da biblioteca.

Referências

  1. a b c d Nelius, Joanna (12 de março de 2020). «This Minecraft Library Provides a Platform for Censored Journalists». Games. Gizmodo (em inglês). Consultado em 15 de março de 2020. Arquivado do original em 14 de março de 2020 
  2. a b c d e Woodyatt, Amy (13 de março de 2020). «Minecraft hosts uncensored library full of banned journalism». CNN (em inglês). Consultado em 15 de março de 2020. Cópia arquivada em 13 de março de 2020 
  3. «Virtual library in Minecraft provides refuge to banned journalists». Trend Watching (em inglês). 18 de agosto de 2021. Consultado em 6 de janeiro de 2022 
  4. «RSF expands its digital library against censorship to Belarus and Brazil». Repórteres Sem Fronteiras (em inglês). 11 de março de 2021. Consultado em 6 de janeiro de 2022 
  5. Coldewey, Davonf (12 de março de 2020). «Reporters Without Borders uses Minecraft to sneak censored works across borders». TechCrunch (em inglês). Consultado em 15 de março de 2020 
  6. a b c d Maher, Cian (18 de março de 2020). «This Minecraft library is making censored journalism accessible all over the world». The Verge (em inglês). Consultado em 19 de março de 2020. Cópia arquivada em 19 de março de 2020 
  7. «The Uncensored Library — The Making of». The Uncensored Library (em inglês). Repórteres sem Fronteiras. Consultado em 21 de maio de 2020 
  8. «The Uncensored Library: artigos sem censura no Minecraft». Event Point. 19 de julho de 2021. Consultado em 6 de janeiro de 2022 
  9. «Minecraft 'loophole' library of banned journalism». BBC (em inglês). 13 de março de 2020. Consultado em 8 de maio de 2020 
  10. «Reporter Without Borders builds uncensored Minecraft library». DW (em inglês). 12 de março de 2020. Consultado em 8 de maio de 2020 
  11. «Reporters Without Borders is using Minecraft to sneak censored news to readers in restrictive countries». CNBC (em inglês). 15 de março de 2020. Consultado em 8 de maio de 2020 
  12. «Reporters Without Borders uses Minecraft to sneak censored works across borders». Tech Crunch (em inglês). 12 de março de 2020. Consultado em 8 de maio de 2020 
  13. «'Minecraft' library helps you dodge news media censorship». Engadget (em inglês). 15 de março de 2020. Consultado em 8 de maio de 2020 
  14. «This 'Minecraft' library safeguards all censored news of the world». Mashable (em inglês). 18 de março de 2020. Consultado em 8 de maio de 2020 
  15. «New Minecraft library is clever loophole and safe haven for censored journalism». PC Gamer (em inglês). 13 de março de 2020. Consultado em 8 de maio de 2020 
  16. «Podcast Episode #89 - The Uncensored Library». Scene World (em inglês). 25 de maio de 2020. Consultado em 6 de março de 2021 
  17. «'Minecraft' ganha biblioteca com textos de jornalistas censurados». O Globo. 22 de março de 2021. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  18. «Minecraft e Repórteres sem Fronteiras criam biblioteca para disponiblizar informação sem censura». MAPUTO FAST FORWARD. 22 de março de 2020. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  19. «Biblioteca virtual no Minecraft possui livros e documentos censurados». CASA.COM.BR. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  20. Prata, Dori (17 de março de 2020). «Jornalistas usam Minecraft para publicar artigos censurados». Meio Bit. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  21. «Minecraft ganha biblioteca virtual que dá acesso a obras censuradas». Casa Vogue. 17 de março de 2020. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  22. «Minecraft contorna censura com biblioteca virtual de livros e artigos proibidos». SAPO Tek. 17 de março de 2020. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  23. Pestana, Pedro (12 de março de 2020). «Criada biblioteca virtual em Minecraft para evitar a censura em países oprimidos». IGN Portugal. Consultado em 13 de novembro de 2021 

Ligações externasEditar