The Worth of Women

Il merito delle donne (em inglês: The Worth of Women) é um livro de Moderata Fonte publicado pela primeira vez postumamente em 1600. A obra é um diálogo entre sete mulheres venezianas que discutem o valor das mulheres e as diferenças entre os sexos em geral.

The Worth of Women
Capa do livro
Autor(es) Moderata Fonte
Idioma Italiano
Lançamento 1600

EnredoEditar

O livro retrata um diálogo entre sete nobres venezianas ao longo de dois dias. No primeiro dia, as mulheres debatem se os homens são bons ou maus e também discutem a dignidade da mulher. No segundo dia, eles discutem uma visão geral do conhecimento da história natural e da cultura, mas também retornam à discussão dos sexos. Ambos os dias também contêm críticas e discussões sobre casamento e dotes.[1]

PersonagensEditar

  • Adriana - uma senhora viúva
  • Virginia - jovem e solteira, filha de Adriana
  • Leonora - uma jovem viúva
  • Lucretia - uma senhora casada
  • Cornelia - uma jovem casada
  • Corinna - uma jovem "dimmessa" [nota 1]
  • Helena - uma jovem, casada recentemente

DesenvolvimentoEditar

De acordo com o biógrafo de Fonte, Fonte completou The Worth of Women pouco antes de sua morte em 1592.[3] Uma das suas filhas afirmou que Fonte terminou The Worth of Women "no dia anterior à sua morte no parto".[4]

The Worth of Women foi altamente influenciado por The Decameron, uma obra que Fonte frequentemente alude no texto.[5] A obra também cita direta e indiretamente tanto o "Soneto 263" de Petrarca quanto o de Orlando Furioso.[6][7] O estilo de diálogo foi influenciado por Baldassare Castiglione e Pietro Bembo.[8]

Virginia Cox afirma que o trabalho foi influenciado pela economia em mudança da Itália no final do século XVI. Este período foi caracterizado por uma redução nas perspectivas de casamento para mulheres nobres venezianas, levando a um aumento no número de mulheres entrando nos conventos. No entanto, esse aumento no número de mulheres nos conventos fez com que se tornasse cada vez mais caro para as mulheres se tornarem freiras. Muitas famílias não conseguiram enviar suas filhas solteiras para conventos, o que levou ao que Cox descreve como a introdução da "figura praticamente sem precedentes da solteirona secular".[9] Cox argumenta que esses números sem precedentes de "solteironas" e freiras forçaram as mulheres na Veneza do final do século XVI a se tornarem mais conscientes de sua vulnerabilidade e impotência e, assim, influenciaram os argumentos de Fonte em torno dos dotes femininos.[10]

Histórico de publicaçãoEditar

O livro foi publicado pela primeira vez em 1600.[11][12] A primeira edição foi prefaciada por uma biografia de Fonte escrita por Giovanni Nicolò Doglioni.[3] Não está claro quais, se houver, mudanças que Doglioni fez no texto antes de sua publicação.[3] O texto vinha acompanhado de uma dedicatória da filha de Fonte, Cecilia Zorzi, a Livia della Rovera, que tinha 14 anos na época da publicação.[13] O livro recebeu uma segunda impressão em 1603.[14]

A tradução inglesa de Virginia Cox, The Worth of Women, foi publicada pela primeira vez pela University of Chicago Press em 1997. Em 2018, a University of Chicago Press publicou a tradução de Cox sob o título The Merits of Women . A edição de 2018 omitiu a maioria das notas de rodapé e apêndices acadêmicos publicados com a versão anterior, na tentativa de incentivar um público mais amplo a ler o texto. The Merits of Women também contou com uma introdução recém-traduzida de Dacia Mariani.[15]

AnáliseEditar

Adriana Chemello, Prêmio Paola Malpezzi e Margaret King afirmaram que Corinna, de todas as mulheres no diálogo, é a que mais se aproxima de representar os pontos de vista e o caráter de Fonte.[16]

Comentário bíblicoEditar

Amanda W. Benckhuysen descreve Fonte como apresentando uma "leitura pró-Eva".[17] Fonte reconhece que o homem (Adão) foi criado antes da mulher no cristianismo, mas afirma que isso apoia a superioridade das mulheres.[18] Eva foi criada como ajudante de Adão, o que Fonte afirma demonstrar a incompletude e inferioridade dos homens. Ela também vê o pecado de Adão como sendo pior que o de Eva. Benckhuysen afirma assim que a hierarquia social que coloca os homens acima das mulheres não tem base na Bíblia.[19]

AmizadeEditar

Carolyn James afirma que a representação da amizade ideal de Fonte em The Worth of Women é ciceroniana. No entanto, James descobre que Fonte se afasta de Cícero ao afirmar que os homens, e não as mulheres, carecem de "amicitia", uma virtude essencial da amizade.[20] Ao contrário de suas contemporâneas, Fonte apresenta a amizade como um fenômeno feminino.[21]

RecepçãoEditar

O livro é visto como parte do renascimento "querelle des femmes".[22][10]

AdaptaçõesEditar

A adaptação do Teatro Kairos Italy fez sua estreia nos Estados Unidos na primavera de 2017 como parte do festival "La Serenissima" do Carnegie Hall. O texto foi traduzido por Virginia Cox e a produção foi dirigida por Jay Stern em colaboração com Laura Caparrotti. O show contou com música do compositor Erato Kremmyda e da letrista Maggie-Kate Coleman. O elenco era Carlotta Brentan, Laura Caparrotti, Tali Custer, Aileen Lanni, Marta Mondelli, Irene Turri e Annie Watkins.[23] Em outubro de 2019, o teatro reencenou sua adaptação.[24]

Notas

  1. Virginia Cox descreve as dificuldades em interpretar este termo em uma nota de rodapé em sua tradução de 1997. Ela escreve "O substantivo dimmessa neste período (mais comumente escrito dimessa) na maioria das vezes indicava um membro de uma ordem terciária feminina iniciada pelo Padre Antonio Pagani em Vicenza em 1579… Há alguma evidência, no entanto, de que o termo foi usado mais livremente para indicar qualquer moça solteira respeitável que vive em casa, em vez de em um convento."[2]

Referências

  1. Cox, Virginia (2015). A Short History of the Italian Renaissance. [S.l.]: Bloomsbury Publishing. 195 páginas. ISBN 9780857727756 – via Google Books 
  2. Fonte, Moderata (1997). The Worth of Women: Wherein is Clearly Revealed Their Nobility and Their Superiority to Men. Traduzido por Cox, Virginia. [S.l.]: University of Chicago Press. p. 45. ISBN 9780226256832 
  3. a b c Kolsky, Stephen (2001). «Moderata Fonte, Lucrezia Marinella, Giuseppe Passi: An Early Seventeenth-Century Feminist Controversy». The Modern Language Review. 96 (4). 974 páginas. ISSN 0026-7937. JSTOR 3735864. doi:10.2307/3735864 – via JSTOR 
  4. Janson, Sharon L. (2008). Debating Women, Politics, and Power in Early Modern Europe. [S.l.]: Palgrave Macmillan US. 142 páginas. ISBN 9780230605527 
  5. Smarr, Janet Levarie (1995). «The Uses of Conversation: Moderata Fonte and Edmund Tilney». Comparative Literature Studies. 32 (1). 3 páginas. ISSN 0010-4132. JSTOR 40246974 – via JSTOR 
  6. Cox, Virginia (outubro de 2005). «Sixteenth-Century Women Petrarchists and the Legacy of Laura». Journal of Medieval and Early Modern Studies. 35 (3): 590–91. ISSN 1082-9636. doi:10.1215/10829636-35-3-583 
  7. Shemek, Deanna (2018). «Ariostan Armory: Feminist Responses to the Orlando Furioso». MLN. 133 (1): 148–159. ISSN 1080-6598. doi:10.1353/mln.2018.0011 – via ProQuest 
  8. Robin, Diana Maury; Levin, Carole; Larsen, Anne R. (2007). Encyclopedia of Women in the Renaissance: Italy, France, and England. [S.l.]: ABC-CLIO. 151 páginas. ISBN 9781851097722 – via Google Books 
  9. Cox, Virginia (1995). «The Single Self: Feminist Thought and the Marriage Market in Early Modern Venice». Renaissance Quarterly. 48 (3). 543 páginas. ISSN 0034-4338. JSTOR 2862873. doi:10.2307/2862873 – via JSTOR 
  10. a b Cox, Virginia (1995). «The Single Self: Feminist Thought and the Marriage Market in Early Modern Venice». Renaissance Quarterly. 48 (3): 513–581. ISSN 0034-4338. JSTOR 2862873. doi:10.2307/2862873 – via JSTOR 
  11. Higginson, Thomas Wentworth (fevereiro de 1959). «Ought Women to Learn the Alphabet?». The Atlantic (em inglês). Consultado em 2 de novembro de 2020 
  12. Kolsky, Stephen D. (1993). «Wells of Knowledge: Moderata Fonte'sIl Merito delle donne». The Italianist. 13: 57–96. ISSN 0261-4340. doi:10.1179/ita.1993.13.1.57 
  13. Richardson, Brian (2020). Women and the Circulation of Texts in Renaissance Italy. [S.l.]: Cambridge University Press. 80 páginas. ISBN 9781108477697 – via Google Books 
  14. Ross, Sarah Gwyneth (2010). The Birth of Feminism: woman as intellect in Renaissance Italy and England. [S.l.]: Harvard University Press. 285 páginas. ISBN 9780674054530 – via Google Books 
  15. Fonte, Moderata (2018). «Publisher's Note». The Merits of Women : Wherein Is Revealed Their Nobility and Their Superiority to Men. [S.l.]: University of Chicago Press. 7 páginas. ISBN 9780226550770 
  16. Smarr, Janet Levarie (1995). «The Uses of Conversation: Moderata Fonte and Edmund Tilney». Comparative Literature Studies. 32 (1). 11 páginas. ISSN 0010-4132. JSTOR 40246974 – via JSTOR 
  17. Benckhuysen, Amanda W. (2019). The Gospel According to Eve : A History of Women's Interpretation. [S.l.]: InterVarsity Press. 35 páginas. ISBN 9780830873654 
  18. Minnis, Alastair (2015). From Eden to Eternity : Creations of Paradise in the Later Middle Ages. [S.l.]: University of Pennsylvania Press. 92 páginas. ISBN 9780812247237 
  19. Benckhuysen, Amanda W. (2019). The Gospel According to Eve : A History of Women's Interpretation. [S.l.]: InterVarsity Press. pp. 35–41. ISBN 9780830873654 
  20. James, Carolyn (maio de 2008). «Friendship and Dynastic Marriage in Renaissance Italy». Literature & History. 17: 4–18. doi:10.7227/LH.17.1.2 – via Sage Journals 
  21. Ross, Sarah Gwyneth (2010). The Birth of Feminism: woman as intellect in Renaissance Italy and England. [S.l.]: Harvard University Press. 282 páginas. ISBN 9780674054530 – via Google Books 
  22. Fonte, Moderata (2007). «Moderata Fonte and the Worth of Women». The Worth of Women: Wherein Is Clearly Revealed Their Nobility and Their Superiority to Men. [S.l.]: University of Chicago Press. 1 páginas. ISBN 9780226256832 – via Google Books 
  23. BWW News Desk (8 de março de 2017). «Kairos Italy Theater Presents US Premiere of THE WORTH OF WOMEN». BroadwayWorld.com (em inglês). Consultado em 2 de novembro de 2020 
  24. BWW News Desk (17 de setembro de 2019). «KIT-Kairos Italy Theater Announces Its 20th Anniversary Season 2019-2020 Season». BroadwayWorld.com (em inglês). Consultado em 2 de novembro de 2020