Abrir menu principal

Theatre of Tragedy

Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Theatre of Tragedy
Theatre of Tragedy em performance em Santiago, Chile
Informação geral
Origem Stavanger
País  Noruega
Gênero(s) gothic metal, death/doom, doom metal, metal industrial
Período em atividade 1993 - 2010
Gravadora(s) Nuclear Blast
Integrantes Raymond István Rohonyi
Nell Sigland
Frank Claussen
Vegard K. Thorsen
Lorentz Aspen
Hein Frode Hansen
Ex-integrantes Liv Kristine Espenæs Krull
Tommy Lindal
Tommy Olsson
Pål Bjåstad
Geir Flikkeid
Erik T. Saltrø
Página oficial www.theatreoftragedy.com

Theatre of Tragedy foi uma banda norueguesa de gothic metal formada na cidade de Stavanger em 1992. A banda utilizava-se de vocais masculinos guturais e vocais femininos líricos. Os seus primeiros álbuns influenciaram o gothic metal dos anos 90. Pouco tempo depois, a banda mudou drasticamente de estilo, adotando o metal industrial como padrão.

Seus três primeiros albums, o auto-intitulado, Velvet Darkness They Fear e Aégis definiram uma característica de vocais conhecida como a "bela e a fera" protagonizados por Liv Kristine e Raymond Rohonyi. Enquanto Kristine usava vocais sopranos e líricos, Raymond usava vocais guturais que entrava em contraste com os vocais enevoados e líricos de Kristine.

HistóriaEditar

Theatre of Tragedy foi fundado em 1992 por Raymond István Rohonyi e Pål Bjåstad. Em 1993 o baterista Hein Frode Hansen deixou a sua banda Phobia e começou a procurar outro projecto musical. Um amigo seu disse-lhe que uma banda chamada Suffering Grief estava à procura de um baterista e Hansen juntou-se à banda.

Suffering Grief era composto por Raymond István Rohonyi, Pål Bjåstad e por Tommy Lindal. Nenhum baixista se havia juntado à banda, mas Eirik T. Saltrø tinha concordado em tocar com eles em concertos.

Depois de encontrarem um local de ensaio, a banda decidiu trabalhar com alguns arranjos de piano, compostos por Lorentz Aspen. Na altura os vocais eram quase todos guturais.

Quando a banda compôs a sua primeira canção "Lament of the Perishing Roses", mudou o nome para La Reine Noir e depois para Theatre of Tragedy. A cantora Liv Kristine Espenæs foi convidada para fazer os vocais femininos e logo se tornou membro da banda.[1]

 
Liv Kristine foi a vocalista lírica do Theatre of Tragedy de 1993 a 2003.

Em 1994 a primeira demo foi gravada e em 1995 o primeiro álbum, Theatre of Tragedy, foi lançado. Em 1996 seguiu-se Velvet Darkness They Fear e A Rose for the Dead, que contém material não lançado.

Em 1998, o lançamento do álbum Aégis é aclamado pela crítica, dito o melhor álbum da banda.[carece de fontes?]

Em 2003 Liv Kristine Espenæs e o seu marido Alexander Krull formaram uma banda (Leaves's Eyes) juntamente com músicos da banda Atrocity.

Em agosto deste ano, Theatre of Tragedy torna-se uma banda de rock industrial. A banda declara, no seu website,[2] que Liv Kristine Espenæs foi removida da constituição da banda devido a diferenças musicais que não podiam ser ultrapassadas. Liv Kristine diz, por seu lado, que foi despedida via e-mail, sem ter sido informada pessoalmente pelos restantes membros da banda.

Em 2004 a cantora Nell Sigland junta-se à banda.

A banda lança o álbum Storm em março de 2006, seguindo-se uma turné europeia. Neste álbum, a banda aproxima-se mais do género dos seus primeiros álbuns.

Em 2009 é lançado o álbum Forever Is the World, com uma forte influência dos primeiros álbuns, contendo alguns vocais guturais do vocalista Raymond e tendo algumas músicas com o mesmo estilo dos álbuns Storm, Musique e Aégis.

Em fevereiro de 2010 foi anunciado o fim da banda para 2 de Outubro de 2010, seu aniversário de 18 anos.

"Após quase 17 anos de existência Theatre of Tragedy decidiu encerrar as atividades.

Esta não foi uma decisão fácil de ser tomada e temos pensado sobre isso por um longo tempo. Nós finalmente concordamos com ela durante a produção do nosso mais recente álbum Forever is the World.

Em setembro de 2010 a banda pede ajuda monetária para levantar fundos para o seu novo DVD Last Curtain Call.[3]

MembrosEditar

Antigos membrosEditar

  • Liv Kristine Espenæs Krull - Vocal
  • Tommy Lindal - Guitarra
  • Tommy Olsson - Guitarra
  • Pål Bjåstad - Guitarra
  • Geir Flikkeid - Guitarra
  • Erik T. Saltrø - Baixo

DiscografiaEditar

Referências

  1. «Leaves' Eyes – Symphonies Fit for a King». DeadRhetoric.com. Consultado em 16 de junho de 2018 
  2. «BLABBERMOUTH.NET». BLABBERMOUTH.NET. Consultado em 28 de outubro de 2014. Arquivado do original em 6 de junho de 2011 
  3. http://www.theatreoftragedy.com/news.php?postID=145123

Ligações externasEditar

   Este artigo sobre uma banda ou grupo musical da Noruega é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.