Tião Carreiro & Pardinho

(Redirecionado de Tião Carreiro e Pardinho)
Tião Carreiro & Pardinho
Informação geral
Origem Montes Claros (Tião Carreiro)
São Carlos (Pardinho)
País  Brasil
Gênero(s) Música sertaneja, moda de viola, pagode de viola, cateretê.
Período em atividade 1954-1978; 1981-1988
Gravadora(s) Chantecler; Continental; RCA-Victor
Integrantes José Dias Nunes
Antônio Henrique de Lima

Tião Carreiro & Pardinho foi uma dupla brasileira de música sertaneja, expoente de uma de suas variantes mais tradicionais, a moda de viola, e do pagode de viola, uma vertente do cateretê. A dupla era composta pelos músicos José Dias Nunes (Tião Carreiro), responsável pelos solos de viola caipira e pela voz mais grave, e Antônio Henrique de Lima (Pardinho), encarregado do som de base, na guitarra ou na viola, e da voz mais aguda.

Embora tradicionalmente na música sertaneja a voz mais aguda ocupasse o lugar da primeira voz, a dupla se destacou pela proeminência da voz mais grave, e, consequentemente, na maior parte de suas canções Tião Carreiro realizava a primeira voz. Sua carreira se estendeu por dois períodos, de 1954 a 1978 e 1981 a 1993.

A dupla teve papel fundamental na difusão da música sertaneja junto ao grande público, levando-a dos programas sertanejos das rádios nas madrugadas aos teatros, rodeios e exposições, e para o horário nobre da televisão.

HistóriaEditar

Em 1954, Tião Carreiro conheceu Pardinho no Circo Rapa Rapa, em Pirajuí, quando Tião ainda tinha o pseudônimo de Zé Mineiro. Lá, eles cantaram pela primeira vez. Em 1956, resolveram tentar a sorte em São Paulo, onde conheceram o prestigiado compositor sertanejo Teddy Vieira que, ouvindo a dupla, batizou José Dias Nunes de Tião Carreiro. Em novembro de 1956, gravaram o primeiro disco juntos com destaque para as músicas "Cavaleiro do Bom Jesus" (de João Alves, Nhô Silva e Teddy Vieira) e "Boiadeiro Punho de Aço" (de Teddy Vieira e Pereira).

A dupla Tião Carreiro e Pardinho é tida como uma das principais da música sertaneja de raiz e inventores do pagode, considerados artistas de primeira linha no gênero. Encenaram também duas peças teatrais, "O Mineiro e o Italiano", um melodrama baseado na música, e "Pai João", o drama de um velho carreiro, e gravaram o filme Sertão em Festa, ambos com grande sucesso. Tião Carreiro e Pardinho chegaram a gravar quase 30 LPs, todos remasterizados em CDs, que continuam em catálogo.

DiscografiaEditar

A discografia da dupla é composta por mais de 55 álbuns, com cerca de setecentas canções.[1]

Observação : Em 1978, Houve o anúncio do fim da dupla, na época, Tião Carreiro formou dupla com o cantor e compositor Paraíso e lançaram 3 LPS, Sendo um ( 1978) pela Gravadora Continental e outros dois ( ambos em 1980) pela Gravadora Chantecler. Já Pardinho, formou a dupla Pardinho & Pardal, lancando 5 LPS (1 em 1978,1 em 1979,2 em 1980 e o último em 1981).

Referências

  1. Cravo Albin 2002.
  2. a b c d e f g h i j k l m Menezes 2002, p. 35.
  3. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z aa ab ac ad ae af ag ah ai aj ak al am Menezes 2002, p. 36.

BibliografiaEditar

  • Menezes, Benildo Machado de (2002). Moda de viola: a autêntica música caipira (Trabalho de conclusão de curso de graduação em história). Universidade Federal de Uberlândia. 272 páginas. Consultado em 16 de outubro de 2019 
  Este artigo sobre um(a) cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.