Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde Dezembro de 2008). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Titanomaquia
Álbum de estúdio de Titãs
Lançamento 10 de julho de 1993[1]
Gravação Setembro de 1992 - Março de 1993 em Nas Nuvens
Gênero(s) Punk rock, grunge, hardcore punk
Idioma(s) Português
Formato(s) LP e CD
Gravadora(s) WEA
Produção Jack Endino
Cronologia de Titãs
Tudo ao Mesmo Tempo Agora
(1991)
Domingo
(1995)

Titanomaquia é o sétimo álbum de estúdio da banda brasileira de rock Titãs, lançado em 10 de julho de 1993. É o primeiro álbum da banda sem o vocalista e fundador Arnaldo Antunes, embora três faixas ainda tragam contribuições suas. É também o primeiro a ser produzido por Jack Endino.

A faixa "Disneylândia" foi usada como base para uma questão do ENEM de 2013, especificamente "Pilhas americanas alimentam eletrodomésticos ingleses na Nova Guiné / Gasolina árabe alimenta automóveis americanos na África do Sul. / (...) / Crianças iraquianas fugidas da guerra / Não obtém visto no consulado americano do Egito / Para entrarem na Disneylândia", para que os examinados avaliassem as relações de consumo e produção no mundo. A faixa foi erroneamente creditada apenas a Arnaldo Antunes, quando na verdade ela foi coescrita por ele e toda a banda.[2]

Até dezembro de 1994, havia vendido 125 mil cópias no Brasil e 3,5 mil na Argentina.[3]

Índice

Contexto e gravaçãoEditar

O álbum foi concebido numa época em que parte da imprensa decretava o fim do rock brasileiro como se havia ouvido nos anos 80.[1] A iniciativa de tê-lo produzido por Jack Endino partiu da própria banda, mais precisamente do baterista Charles Gavin.[1] Por meio da gravadora WEA, eles enviaram o disco Õ Blésq Blom a Jack. A princípio, ele não entendeu por que a banda achou que ele seria adequado para esse tipo de som, mas depois eles enviaram faixas mais recentes, e aí ele demonstrou interesse:[4]

Ele também ouviu Cabeça Dinossauro e Tudo ao Mesmo Tempo Agora antes de começar seu trabalho.[1] Ele disse considerar "muito interessante que eles estivessem dispostos a fazer o caminho inverso ao que normalmente se faz - que é ir do rock mais radical para o pop".[1]

Sobre a ausência de Arnaldo, Jack comentou que o clima da banda não era tenso e que o grupo, por ter ainda sete integrantes, não estava preocupado com a saída do membro, embora demonstrassem muito carinho por ele.[4]

O primeiro título considerado para o álbum foi A Volta dos Mortos-Vivos, mas a banda não conseguiu pagar pelos direitos sobre o nome, já utilizado em um filme de 1985.[1]

A banda chegou a gravar vocais em inglês para quase todas as faixas do álbum para um possível lançamento internacional do disco.[1]

FaixasEditar

Todas as faixas escritas por Titãs, exceto "Disneylândia", "Hereditário" e "De Olhos Fechados", coescritas por Arnaldo Antunes

  1. "Será que É Isso Que Eu Necessito?" – 2:49
  2. "Nem Sempre se Pode Ser Deus" – 2:20
  3. "Disneylândia" – 2:46
  4. "Hereditário" – 2:06
  5. "Estados Alterados da Mente" - 3:42
  6. "Agonizando" – 3:35
  7. "De Olhos Fechados" – 2:11
  8. "Fazer o Quê?" – 3:27
  9. "A Verdadeira Mary Poppins" – 2:18
  10. "Felizes são os Peixes" – 2:13
  11. "Tempo pra Gastar" – 3:45
  12. "Dissertação do Papa Sobre o Crime Seguida de Orgia" – 3:08
  13. "Taxidermia" – 3:37

CréditosEditar

Titãs
Participações especiais
  • Jack Endino: guitarra (acordes finais em "Agonizando", guitarra rítmica e feed back em "Disneylândia")
Ficha Técnica

Referências

  1. a b c d e f g Gonçalves, Marcos Augusto (7 de julho de 1993). «Titãs deixam o mundo dos mortos-vivos». Folha de S.Paulo. Grupo Folha. Consultado em 27 de março de 2017 
  2. Lima, Thaís (26 de outubro de 2013). «Prova do 1º dia do Enem tem música dos Titãs, índios e direito dos gays». G1. Grupo Globo. Consultado em 12 de março de 2015 
  3. Ryff, Luiz Antônio (15 de abril de 1995). «Banda congrega músicos do Brasil e da Argentina em disco». Grupo Folha. Folha de S.Paulo (24118): Ilustrada 5-4. Consultado em 8 de julho de 2017 
  4. a b Sarkis, Thiago Pinto Corrêa (4 de janeiro de 2004). «Jack Endino - Entrevista exclusiva com o produtor do Nirvana». Whiplash.net. Consultado em 12 de março de 2015