Tokugawa Mitsukuni

Tokugawa Mitsukuni (徳川 光圀 ? , 11 de junho de 1628 - 14 de janeiro de 1701), também chamado de Mito Kōmon (水戸黄門?) foi um proeminente Daimyō conhecido por sua influência na política do início do Período Edo da História do Japão . Foi o terceiro filho de Tokugawa Yorifusa (que por sua vez foi o decimo primeiro filho de Tokugawa Ieyasu) e sucedeu-lhe, tornando-se o segundo Daimyō de Mito [1]

Tokugawa Mitsukuni
Nascimento 11 de julho de 1628
Mito
Morte 14 de janeiro de 1701 (72 anos)
Cidadania Xogunato Tokugawa, Japão
Etnia japoneses
Progenitores
Cônjuge Konoe Chikako
Filho(s) Matsudaira Yoritsune
Irmão(s) Seitai-in, Matsudaira Yorishige, Matsudaira Yorio, Matsudaira Yoritaka, Matsudaira Yorimoto, Suzuki Shigeyoshi
Ocupação samurai, político
Título Daimiô
Religião Confucionismo
Causa da morte câncer esofágico

VidaEditar

Mitsukuni foi responsável por montar a escola do han, Mitogaku com a tarefa compilar uma enorme história japonesa, Dai Nihon shi (A História do Grande Japão) [2]. Nela, afirmava que o Japão deveria ser governada por imperadores enfatizando o respeito pela corte imperial e pelas divindades xintoístas. Isto ajudou a ascensão do nacionalismo no final do shogunato e abriu passagem para a Restauração Meiji.

Em 1657, aos 27 anos, se casou com uma filha do kampaku Konoe Nobuhiro [1]. Era conhecido como um grande gourmet do período Edo. Foi um dos primeiros japoneses a comer lamen, bem como rotineiramente desfrutar de comidas exóticas como o vinho e o iogurte. Mitsukuni teve um filho, que assumiu o sobrenome Matsudaira. Além disso, Mitsukuni adotou o filho de seu irmão mais velho, Tokugawa Tsunaeda, que se tornou seu herdeiro.

Em 1661, aos 34 anos, se tornou o Daimyō do Mito [1] . Ele antecipou a divisão forçada entre o Xintoísmo e o Budismo (Shinbutsu Bunri)[3], da Restauração Meiji implantou a política de fusão de templos para um por aldeia (política de uma aldeia, uma santuário 一 村 一 社 Isson issha) [4]. Aos 63 anos, foi agraciado com o Título de Gon-Chūnagon (Conselheiro Provisório de Segundo Escalão) do Daijō-kan. Em 1691, retirou-se para sua casa de campo, Seizan-lo.

Ele morreu em sua casa de campo em 1701. Recebeu postumamente os Títulos de Chūnagon (1869) e Dainagon (1900) [1]. Agora está se considerando torná-lo um kami [4].

Precedido por
Tokugawa Yorifusa
  - 2º Líder do Ramo Mito
1661-1690
Sucedido por
Tokugawa Tsunaeda
Precedido por
Tokugawa Yorifusa
Daimyō de Mito
1661-1690
Sucedido por
Tokugawa Tsunaeda


Referências

  1. a b c d Richard Arthur Brabazon Ponsonby-Fane Sovereign and Subject. Kyoto: Ponsonby Memorial Society, 1962 p. 248-252
  2. Koschmann, J. Victor. "The Mito Ideology" (em inglês) Berkeley: University of California Press, 1987 pag 2-3 ISBN 9780520057685
  3. Takie Sugiyama Lebra Above the Clouds: Status Culture of the Modern Japanese NobilityUniversity of California Press, 1995 pp. 132-135 ISBN 9780520911796
  4. a b Stuart D. B. Picken "Historical Dictionary of Shinto". Scarecrow Press, 2010 pp 198 ISBN 9780810873728
  Este artigo sobre História do Japão é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.