Abrir menu principal

Tribunal Especial para o Líbano

Tribunal Especial para o Líbano, Leidschendam

O Tribunal Especial para o Líbano (TEL), é um tribunal criminal internacional criado pela ONU para o julgamento dos atos criminosos relacionados ao assassinato de Rafik Hariri. A corte está instalada em Leidschendam, nos arredores de Haia.

CompetênciaEditar

A corte foi criada por um acordo entre as Nações Unidas e a República do Líbano, entrando em vigor a partir de 10 de junho de 2007, através da resolução 1757 do Conselho de Segurança da ONU.[1]

Originalmente é competente para julgar e condenar os responsáveis pelo ataque de 14 de fevereiro de 2005, do qual resultou a morte de Rafik Hariri e mais outras 22 pessoas. Entretanto, a jurisdição territorial, temporal e material poderá ser ampliada além deste episódio, se a corte decidir que outros ataques ocorridos entre 1° de outubro de 2004 e 12 de dezembro de 2005 tenham alguma conexão, conforme princípios de direito crimanal e cuja natureza e gravidade sejam similares ao ataque de 14 de fevereiro de 2005.[2][3] Foi anunciado pela ONU que o custo total para a colheita de provas é de pelo menos 60 milhões de dólares.[4]

ComposiçãoEditar

Todo tribunal possui uma acusação, uma defesa e um julgador. Para a acusação, o promotor canadense Daniel Bellemare foi nomeado pelo Secretário-geral da ONU em 1° de março de 2009.[2][3] Para a defesa, foi nomeado François Roux (admitido à ordem dos advogados em 1962, na França).

A função de julgar é exercida por juízes que organizam-se em câmaras. O tribunal possui três câmaras para a função de julgar. O juiz da câmara de pré-julgamento é Daniel Fransen (Bélgica). A câmara de julgamento constitui-se de três juízes, um libanês e dois internacionais, além de mais dois juízes reservas, um libanês e outro internacional. A câmara de apelações possui cinco juízes: dois libaneses e três internacionais.

O juiz Antonio Cassese (Itália), além de ser o presidente (jurídico e administrativo) do próprio Tribunal, é o presidente das câmaras de julgamento e de apelações. Ele representa a instituição como um todo. O juiz Ralph Riachy (Líbano) é o vice-presidente do TEL.

Referências

  1. «About the STL» (em inglês). Site oficial do Tribunal Especial para o Líbano. Consultado em 14 de julho de 2010 
  2. a b Tribunal de Haia inicia julgamento por atentados no Líbano, Folha Online, 1 de março de 2009. Página acedida em 14 de julho de 2010
  3. a b Tribunal Especial para o Líbano abre suas portas em Haia, G1 - Globo.com, 1 de março de 2009. Página acedida em 14 de julho de 2010
  4. «Substantial progress Special Tribunal for Lebanon». Radio Netherlands Wordwide. Consultado em 29 de janeiro de 2014 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre direito é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.