Abrir menu principal
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde maio de 2019). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.
Território dos Trinovantes
Moeda dos trinobantes

Os trinobantes (também referidos pela forma trinovantes, do latim trinovanti) eram uma das tribos célticas que viveram na Britânia pré-romana. Seu território ficava localizado no lado norte do estuário do rio Tâmisa, onde hoje se situam Essex e Suffolk, e incluíam terras que agora fazem parte da Grande Londres. Seu nome deriva do prefixo intensificador celta tri- e novio ("novo", possivelmente no sentido de "vigoroso" ou "vivaz") -significando portanto "o povo vigorosíssimo". Sua capital era Camuloduno (atual Colchester), um dos sítios propostos para a lendária Camelot.

Pouco antes da invasão da Britânia por Júlio César, em 55 e 54 a.C., os trinobantes eram considerados a tribo mais poderosa da ilha. Àquela época sua capital provavelmente era Braughing (atual Hertfordshire), e em alguns manuscritos da Guerra Gálica de César seu rei é chamado de Imanuêncio (Imanuentius). Alguns tempo antes da segunda expedição de César o rei dos trinobantes foi deposto por Cassivelauno, que é tido como pertencente aos catuvelaunos; seu filho, Mandubrácio, procurou refúgio com César na Gália. Durante a sua segunda expedição César derroutou Cassivelauno e recolocou Mandubrácio.

O próximo rei identificável dos trinobantes, conhecido através da evidência numismática, foi Adedomaro, que chegou ao poder por volta de 20-15 a.C., e mudou a capital da tribo para Camuloduno. Por um breve período Tasciovani dos catuvelaunos cunhou moedas a partir de Camuloduno, sugerindo que ele havia conquistado os trinobantes, porém logo foi obrigado a recuar - talvez como resultado da pressão feita pelos romanos, já que suas moedas posteriores não mais trazem a inscrição "Rex" ("rei") - e Adedoramo foi restaurado ao trono. A ele sucedeu-se seu filho Dubnovelauno (c. 10-5 a.C.), porém alguns anos mais tarde a tribo foi conquistada finalmente por Tasciovani ou seu filho Cunobelino. Mandubrácio, Adedomaro e Dubnovelauno todos apareceram em genealogias e lendas posteriores, pós-romanas e célticas medievais, como Manawydan, Aedd Mawr (Adedo, o Grande) e Dyfnwal Moelmut (Dubnovelauno, o Calvo e Silencioso). As Tríades Galesas recordam Aedd Mawr como um dos fundadores da Britânia.

Os trinobantes reaparecem na história ao participar da revolta de Boadiceia (ou Boudica) contra o Império Romano, em 60. Seu nome foi dado a uma das cividades da Britânia romana, cuja cidade principal era Cesarômago (atual Chelmsford, Essex).

Seu nome sobreviveu nas lendas britânicas como Trinovanto (Trinovantum), o suposto nome original de Londres, citado na Historia Regnum Britanniae de Godofredo de Monmouth e em outras obras. Geoffrey alega que o nome viria de Troi-novantum, ou "Nova Troia", e associava o fato à lenda de que a Britânia teria sido fundada por Bruto e outros refugiados da Guerra de Troia.

ReferênciasEditar

Ligações externasEditar