Abrir menu principal
Tudo é Bom pra se Dançar
Álbum de estúdio de Verónica Castro
Lançamento Novembro de 1991
Gravação 1990
Agosto de 1991
Estúdio(s) Estúdios Cardan
(São Paulo, Brasil)
Gênero(s)
Duração 33:38
Idioma(s)
Formato(s)
Gravadora(s) PolyGram
Cronologia de Verónica Castro
Viva la Banda
(1990)
Romantica y Calculadora (1992)
Singles de Tudo é Bom pra se Dançar
  1. "Tudo é Bom pra se Dançar"
    Lançamento: Agosto de 1991

Tudo é Bom pra se Dançar é o 13º álbum de estúdio e o primeiro bilíngue da atriz e cantora mexicana Verónica Castro, lançado em Novembro de 1991 pela gravadora PolyGram. É constituído por canções em português e espanhol, boa parte de seu álbum Mi Pequeña Soledad (1990). Destaque para a faixa "Emociones", versão em espanhol da canção "Emoções" de Roberto Carlos, que servia de tema para seu programa Show Verónica exibida pelo então Canal de las Estrellas da Televisa. Foi lançado exclusivamente no Brasil, e o único da artista a ser lançado no país até então.

InformaçõesEditar

No dia 28 de Maio de 1991, o SBT estreou no Brasil a novela mexicana Rosa Salvaje (1987), protagonizado por Castro e Guillermo Capetillo. Juntamente com a também mexicana Carrusel (1989), com qual dividia o horário nobre da emissora, Rosa Salvaje foi um sucesso de audiência na época, chegando até a dar 25 pontos.[1] Castro já era bem conhecida pelo público brasileiro pela exibição de Los Ricos También Lloran (1979) em 1982 pela emissora, o que também contribuiu para o êxito de Rosa Salvaje.[2]

O sucesso da novela no país motivou a artista a pensar em gravar um álbum com algumas canções em português. No dia 25 de Agosto, Castro veio ao Brasil pela segunda vez a convite do SBT e da gravadora PolyGram para divulgar Rosa Salvaje e gravar o álbum.[3] A artista realizou uma coletiva de imprensa no hotel Crowne Plaza em São Paulo,[3] e também participou de alguns programas do SBT como Hebe, Jô Soares Onze e Meia, Viva a Noite e Show de Prêmios.[4] Sua vinda ao país quase coincidiu com a da também atriz mexicana Gabriela Rivero, protagonista da novela Carrusel. Como a visita de Rivero causou comoção maior, rendendo até uma descida na rampa do Palácio do Planalto com o então Presidente Fernando Collor de Mello,[5] a presença de Castro no país acabou sendo um pouco ofuscada depois.[4]

O álbum foi lançado em Novembro do mesmo ano, três meses após sua gravação. Já o single "Tudo é Bom pra se Dançar", foi lançado em Agosto, período em que Castro estava no Brasil. Foi interpretado pela artista nos programas Hebe, Jô Soares Onze e Meia e Show de Prêmios. Seu videoclipe foi gravado no país durante a sua participação no quadro Sonho Maluco do programa Viva a Noite.

FaixasEditar

N.º TítuloCompositor(es) Duração
1. "Tudo é Bom pra se Dançar"  
  • Alberto Balermo
  • Mario Capuano
  • G. Capuano
  • Joran
3:33
2. "Corazón Herido"  Anibal Pastor 3:22
3. "Me Faltas"  
4:21
4. "Emociones"  
3:57
5. "A Cigana"  
  • Palito Ortega
  • Lalo Francen
  • Joran
2:02
6. "Meu Tolo Amor"  
  • Hosen
  • Gordon
  • Villa
  • Joran
3:05
7. "Imagem"  
  • Eduardo Magallanes
  • Massias
  • Castro
  • J. M. López Lee
  • Joran
3:07
8. "Lo Mismo"  Rúben Fuentes 3:44
9. "Chiquita Pero Pecosa"  Benjamin Sánchez Mota 2:55
10. "Mamma Mia"  
  • Sue
  • Javier
3:23
Duração total:
33:38

Referências

  1. Mexicanas só agradam minoria (27/06/93). Folha de S. Paulo. Página visitada em 23 de Julho de 2017.
  2. Mexicana acha novela brasileira melhor acabada (9/06/1991). Folha de S. Paulo. Página visitada em 23 de Julho de 2017.
  3. a b 'Rosa selvagem' grava disco no Brasil (27/08/91). Folha de S. Paulo. Página visitada em 23 de Julho de 2017.
  4. a b A invasão continua (29/08/91). Jornal do Brasil. Página visitada em 23 de Julho de 2017.
  5. Planalto em dia de Carrossel (17/08/91). Jornal do Brasil. Página visitada em 23 de Julho de 2017.