Universíada de Verão de 1963

III Universíade de Verão
Porto Alegre 1963
Dados
Países participantes 27
País anfitrião  Brasil
Atletas 713
Eventos 69 em 9 modalidades
Cerimônia de abertura 30 de agosto
Cerimônia de encerramento 8 de setembro
Abertura oficial Paulo de Tarso Santos
Juramento do atleta Antônio Succar
Tocha olímpica Adhemar Ferreira da Silva
Estádio principal Estádio Olímpico Monumental
◄◄ Bulgária Sófia 1961 {{{evento}}} Budapeste 1965 Hungria ►►
O Estádio Olímpico Monumental local da cerimônia de abertura

A III Universíade de Verão foi realizada em Porto Alegre, capital do estado brasileiro do Rio Grande do Sul, entre 30 de agosto e 8 de setembro de 1963.[1]

A cidade precisou ser modificada porque as provas aconteceram em diversos locais, sendo até hoje considerado o maior evento realizado na história da cidade. Foi construída uma vila olímpica, hoje um bairro da cidade, com dezenas de prédios e mais de 450 apartamentos. Também foi construído um ginásio de esportes especialmente para o evento, o Ginásio da Brigada Militar. Por volta de 700 atletas de 27 países participaram do evento.[2]

Pela primeira vez, a Universíade foi realizada no hemisfério sul e no período de inverno, o que causou um esvaziamento no evento.

IncidenteEditar

Durante o evento, houve a fuga de um dos integrantes do time de basquete de Cuba. Roberto Perez Ondarse saiu para passear com dois companheiros de equipe no Centro de Porto Alegre e desapareceu. Posteriormente, foi revelado que Ondarse fugiu para São Paulo.[3] Temendo o regime comunista que havia se instalado em Cuba, decidiu permanecer no Brasil e aguardar pela regularização de sua situação.[4] Outro fato decisivo para a permanência de Ondarse é que, anos antes, em Cuba, conhecera Maria Lúcia Caldeira, atleta brasileira da equipe de vôlei - também participante da Universíade - e com quem pretendia casar-se.[5]

OrganizaçãoEditar

Locais de competiçãoEditar

O estádio do Grêmio (Estádio Olímpico Monumental) acolheu as disputas do atletismo. O basquete foi realizado em um ginásio construído para o evento, o Ginásio Universíade. A esgrima teve como palco o Armazém D-4 do Cais do Porto.

As provas da ginástica artística, da natação e dos saltos ornamentais foram realizadas no Grêmio Náutico União. O polo aquático foi disputado nas piscinas do Petrópole Tênis Clube. As partidas de tênis aconteceram nas quadras da Associação Leopoldina Juvenil, enquanto as de vôlei ocorreram na SOGIPA.

Cerimônia de aberturaEditar

A cerimônia de abertura ocorreu no estádio Olímpico do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense e contou com um coral de 6 mil vozes, que iniciou com o hino oficial, "Gaudeamus igitur". Houve o desfile das nações participantes e o campeão olímpico Adhemar Ferreira da Silva acendeu a pira simbólica sob uma salva de 32 tiros de canhão.[2]

Países participantesEditar

27 países participaram do evento:

ModalidadesEditar

Essas foram as modalidades disputadas. Os números entre parênteses representam o número de eventos de cada modalidade:

ObrigatóriasEditar

As modalidades obrigatórias são determinadas pela Federação Internacional do Esporte Universitário (FISU) e, salvo alteração feita na Assembléia Geral da FISU, valem para todas as Universíadas de Verão.[6]

OpcionalEditar

Não houve modalidades opcionais nesta edição.

Quadro de medalhasEditar

O quadro de medalhas é uma lista que classifica as Federações Nacionais de Esportes Universitários (NUSF) de acordo com o número de medalhas conquistadas. O país em destaque é o anfitrião.

 Ordem  País        
1  URS União Soviética 19 12 3 34
2  HUN Hungria 18 13 6 37
3  FRG Alemanha Ocidental 10 11 14 35
4  JPN Japão 9 3 6 18
5  GBR Grã-Bretanha 4 6 3 13
6  ITA Itália 3 5 10 18
7  POL Polônia 2 1   3
8  BRA Brasil 2   9 11
9  FRA França 1 6 3 10
10  CUB Cuba 1 2 5 8
Nenhum outro país lusófono conquistou medalhas.

Referências

  1. UFRGS - Repositório Digital Acessado em 18 de fevereiro de 2017
  2. a b UNIVERSÍADE DE 1963: PORTO ALEGRE SEDIA UM EVENTO ESPORTIVO MUNDIAL, por Ester Liberato Pereira, Vanessa Bellani Lyra e Janice Zarpellon Mazo Acessado em 18 de fevereiro de 2017
  3. Correio da Manhã (7 de março de 1963). «Cubano que fugiu movimenta polícia». Consultado em 8 de fevereiro de 2020 
  4. Folha de S.Paulo (19 de novembro de 2012). «Motivações cubanas». Consultado em 8 de fevereiro de 2020 
  5. RUBIO, Katia (2008). Megaeventos esportivos, legado e responsabilidade social 1ª ed. São Paulo: Casa do Psicólogo. p. 100. 265 páginas. ISBN 8573965886 
  6. Federação Internacional do Esporte Universitário (FISU). «FISU Hoje - Universíadas» (em inglês). Consultado em 30 de setembro de 2009. Arquivado do original em 30 de janeiro de 2009 

Ligações externasEditar