Abrir menu principal

Usina Hidrelétrica Salto Grande (Americana)

Usina Hidrelétrica Salto Grande
Barragem no rio Atibaia - panoramio.jpg
Vista da barragem da UHE Salto Grande
Localização
Rio Rio Atibaia
Empresa operadora CPFL Renováveis
Empresa distribuidora CPFL Energia
Data de inauguração 1949
Dados da barragem
Altura 22 m
Reservatório
Área alagada 8,7 km²
Capacidade de geração 30 Megawatt-hora

A Usina Hidrelétrica Salto Grande está localizada no rio Atibaia, pertencente a bacia hidrográfica do rio Piracicaba, no município de Americana, estado de São Paulo. Atualmente é operada pela CPFL Renováveis[1].

Índice

HistóriaEditar

Em 1907 uma parte remanescente da Fazenda Salto Grande, localizada entre o rio Jaguari e a Fábrica de Tecidos Carioba, foi comprada pelo Comendador Franz Müller, proprietário desta fábrica. A intenção na aquisição desta parte remanescente da fazenda estava ligada a facilidade apresentada pela mesma para a construção de uma usina hidrelétrica, onde havia uma grande queda d’água sobre um maciço de rocha magmática no rio Atibaia, o que possibilitaria a ampliação da sua indústria têxtil.

Assim em 1911 foi inaugurada a primeira Usina Hidrelétrica de Salto Grande com uma potência inicial de 2.500 kW que passou a fornecer energia elétrica para a sua indústria e também para Americana, Cosmópolis, Santa Bárbara e Rebouças (Sumaré).

Essa usina acabou sendo vendida em 1930 à Companhia Paulista de Força e Luz - CPFL, devido a crise econômica de 1929. Para atender a demanda de energia elétrica das novas indústrias em Americana, a Companhia Paulista de Força e Luz inicia em 1940 a construção da nova usina hidrelétrica na Fazenda Salto Grande, que na época já era propriedade das Indústrias José João Abdalla S. A., aproveitando a mesma queda d’água da antiga, concluindo sua construção em 1948, representando o que havia de mais moderno em tecnologia[2].

A atual Usina Hidrelétrica de Salto Grande foi inaugurada em 19 de novembro de 1949 pelo então governador do estado Ademar de Barros[3].

CaracterísticasEditar

A usina fica localizada no rio Atibaia pouco antes da confluência desse rio com o rio Jaguari, onde é formado o rio Piracicaba. Com uma altura de 22 metros é permitida a utilização de uma queda de 32 metros. Tem capacidade instalada de 30 MW com três unidades geradoras de energia, e seu reservatório inunda uma área de 8,7 Km2.

LazerEditar

A margem oeste da Represa de Salto Grande é caracterizada por possuir vários condomínios e loteamentos fechados de alto padrão, além de loteamentos de chácaras de veraneio, sendo utilizada como local de lazer na Praia dos Namorados e na Praia Azul, ambas com acesso pela via Anhanguera[4].

Riscos de rompimentoEditar

A usina foi incluída pela Agência Nacional de Águas em novembro de 2018 na lista de estruturas onde há riscos em caso de rompimento, sendo classificada como de "alto risco e dano potencial alto"[5].

Referências

  1. «CPFL Renováveis - Portfólio». www.cpflrenovaveis.com.br. Consultado em 12 de março de 2019 
  2. https://www.americana.sp.gov.br/download/APAMA_historico_territorio_da_area_de_protecao.pdf
  3. «IBGE | Biblioteca | Detalhes | Represa Salto Grande : Americana, SP». biblioteca.ibge.gov.br. Consultado em 12 de março de 2019 
  4. «Perfil do Município - Hidrografia». Prefeitura de Americana - Site Oficial. Consultado em 12 de março de 2019 
  5. «Após indicações de riscos, barragem em Americana é avaliada e relatório vai para Aneel». G1. 28 de fevereiro de 2019. Consultado em 12 de março de 2019 
  Este artigo sobre hidrografia em geral é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.