Abrir menu principal

Valdeci Paiva de Jesus foi um pastor evangélico e político brasileiro. Ligado à Igreja Universal do Reino de Deus, foi assassinado quando era deputado estadual no Rio de Janeiro, em um crime que nunca foi esclarecido. Era casado e pai de quatro filhos.[1]

BiografiaEditar

Valdeci era filho de lavradores de Sobral, no Ceará. Na juventude, trabalhou como operário em Brasília e na década de 1970 migrou para o Rio de Janeiro, onde tornou-se garçom, gerente de um restaurante e posteriormente pastor evangélico da Igreja Universal.[1]

Na década de 1990 foi eleito deputado federal, e ao final de seu mandato, em 2002, candidatou-se a deputado estadual, pelo Partido Social Liberal sendo eleito. Não chegou, no entanto, a tomar posse na ALERJ, pois em janeiro de 2003, aos 49 anos, foi assassinado com 19 tiros quando se dirigia à sede do Partido Liberal, do qual era aliado.[2]

Após sua morte, um assessor, Washington Costa, disse que ele estava introspectivo dias antes do crime, afirmou tê-lo ouvido reclamar de sofrer pressões. Amigo de Valdeci, o também deputado federal Bispo Rodrigues acusou o suplente de Valdeci, Marcos Abrahão (PSL), de ser o mandante.[1] Com a morte de Valdeci, Marcos Abrahão herdou o cargo de deputado. No entanto, e ainda em 2003, pouco tempo depois de assumir o cargo, teve o mandato cassado em votação aberta na ALERJ, conforme determinava a Constituição do Estado do Rio de Janeiro. Uma liminar do Superior Tribunal de Justiça garantiu sua permanência no cargo. Esta decisão foi posteriormente ratificada pelo Supremo Tribunal Federal, que reconheceu como inconstitucional a existência de votações abertas para a cassação de mandato parlamentar.[3] Além de Abrahão, o assessor parlamentar Wanderley da Cruz também foi acusado de ser o mandante da morte de Valdeci, tendo chegado a ficar preso por 43 dias.[4]

Posteriormente, o próprio Bispo Rodrigues, que teria seu mandato cassado em decorrência de ligações com o Escândalo do Mensalão, também foi acusado de ser o mandante da morte de Valdeci.[5] O caso. entretanto, nunca teve uma conclusão.

Referências

  1. a b c Luís Edmundo Araújo e Cecília Maia. «Deputados problema». Consultado em 16 de novembro de 2017 
  2. Estadão (24 Janeiro 2003). «Deputado do PSL foi assassinato com 19 tiros». Consultado em 16 de novembro de 2017 
  3. Conjur. «STF mantém voto secreto para cassação de deputados». Consultado em 16 de novembro de 2017 
  4. Folha de S. Paulo (24 de março de 2003). «Suspeito de matar deputado Valdeci de Jesus é solto no Rio». Consultado em 16 de novembro de 2017 
  5. Senado (21 de setembro de 2005). «Carlos Rodrigues nega ter mandado matar o deputado Valdeci Paiva». Consultado em 16 de novembro de 2017 
  Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.