Valsa (do alemão Walzer) é uma manifestação cultural austríaca e alemã, formada por gênero musical e dança de salão de compasso ternário, ou binário composto (embora para facilitar a leitura seja escrita em compasso ternário), um estilo muito tocado nos salões vienenses (Áustria) e muito dançadas pela elite da época.[1]

Valsa

Durante meados do século XIX, a allemande, muito popular na França, já antecipava, em alguns aspectos da valsa. Carl Maria von Weber, com as suas Douze Allemandes, e, mais especificamente, com o Convite à dança (também conhecido por Convite à valsa), de 1747, pode ser considerado o pai do gênero.[carece de fontes?]

Os compositores mais famosos do estilo são os membros da família Strauss, Josef e Johann Strauss. O estilo foi depois reinterpretado por compositores como Frédéric Chopin, Johannes Brahms e Maurice Ravel. Johann Strauss II compôs mais de duzentas valsas tornou-se logo uma dança independente com contato mais próximo entre os parceiros. No fim do século XIX a dança passou a ser aceita pela alta sociedade - especialmente pela sociedade vienense.[2].

A dança que é popularmente conhecida como valsa é atualmente a valsa inglesa ou lenta, dançada a aproximadamente 90 batidas por minuto com 3 batidas até o compasso .

HistóriaEditar

A Valsa originou-se como uma dança folclórica da Áustria . Os predecessores incluem o matenick e uma variação chamada furiant , que eram executadas durante os festivais rurais na Boêmia. A dança francesa, "Walt", e a austríaca Ländler são as mais parecidas com a valsa entre suas predecessoras. O "rei das danças" adquiriu diferentes traços nacionais em diferentes países. Assim surgiram a valsa inglesa, a valsa húngara e a valsa- mazurca . A palavra "valsa" é derivada da antiga palavra alemã "walzen" que significa "rolar, virar" ou "deslizar". A valsa é dançada competitivamente desde 1923 ou 1924.

Valsa no BrasilEditar

A valsa chegou ao Brasil com a transferência da corte portuguesa ao país, em 1808. A música foi apresentada em salões onde a elite do Rio de Janeiro dançava.[3] Depois chegou outro gênero musical, a polca, em 1845. Ao longo da segunda metade do século XIX, a valsa continuou a ter grande aceitação e foi, nas palavras do estudioso José Ramos Tinhorão, "um dos únicos espaços públicos de aproximação que a época oferecia a namorados e amantes ".

Valsa no PeruEditar

A valsa peruana o valsa crioula é um gênero musical originario da cidade de Lima, capital do Peru, e que desenvolveu-se na grão parte da costa peruana nos séculos XIX e XX. Surgiu nas festas de bairros populares limenhos (como os Barrios Altos) e têm entre seus principais exponentes a Felipe Pinglo Alva e Chabuca Granda.

Valsa vienenseEditar

A valsa vienense (em alemão: Wiener Walzer) é a forma original da valsa, dança de salão dançadas ao som da valsa vienense. Foi a primeira dança de salão realizada na posição fechada ou "valsa".

A dança que é popularmente conhecida como valsa é na verdade a valsa inglesa ou lenta, dançada a aproximadamente 90 batidas por minuto com 3 batidas até o compasso (o padrão internacional de 30 compassos por minuto ), enquanto a valsa vienense é dançada a cerca de 180 batidas (58-60 compassos) por minuto. Até hoje, no entanto, na Alemanha, Áustria, Escandinávia e França, as palavras Walzer (alemão), vals (dinamarquês, norueguês e sueco) e valse (francês) ainda se referem implicitamente à dança original e não à valsa lenta.

A valsa vienense é uma dança giratória em que os dançarinos estão constantemente girando para a direita do líder (natural) ou para a esquerda do líder (reverso), intercalados com passos de mudança não giratórios para alternar entre a direção da rotação. À medida que a valsa evoluiu, algumas das versões feitas mais ou menos no ritmo rápido original passaram a ser chamadas especificamente de "valsa vienense" para distingui-las das valsas mais lentas. Na dança de salão moderna, são reconhecidas duas versões da valsa vienense: o Estilo Internacional e o Estilo Americano.

TradiçãoEditar

As valsas são muito utilizadas em bailes de debutantes, casamentos, formaturas e etc.

Programa internacional (syllabus)Editar

Existe o programa padrão da dança utilizado em competições internacionais é chamado de syllabus, uma sequência de passos principais e oficiais para um determinado ritmo, escolhidos por uma entidade superior, neste caso a Imperial Society Teachers of Dance (ISTD).[4][5]

Os syllabus dos ritmos são divididos em vários níveis – Bronze, Silver e Gold – em alguns casos os níveis podem ser sub-divididos em sub-níveis – por exemplo Bronze 1, Bronze 2 - que equivalem a um grau de exames.[5] No entanto existem níveis superiores, como o Gold Stars, Imperial Awards, Supreme Award, onde é necessário ter o domínio das cinco danças (latinas ou clássicas).[5]

BronzeEditar

Pré-bronze

Observe que o Pré-Bronze está incluído como parte do programa Bronze.[6]

  1. Closed changes
  2. Natural turn
  3. Reverse turn
  4. Natural spin turn
  5. Whisk
  6. Chassé promenade
Bronze

PrataEditar

  1. Weave from promenade position
  2. Telemark fechado
  3. Telemark aberto e cross hesitation
  4. Telemark aberto e asa
  5. Impetus]] aberto e cross hesitation
  6. Impetus aberto e asa
  7. Outside spin
  8. Turning lock

xx. Drag hesitation

OuroEditar

xx. Fallaway whisk

Valsas (composições)Editar

ReferênciasEditar

  1. Tipos de Dança edukbr.
  2. Valsa, Dança de Salão Cultura Mix.
  3. A valsa brasileira Samba Choro. (Maio, 2003).
  4. MOORE, Alex (2021). Ballroom Technique. ASSIN: B000PH46KI. [S.l.]: Routledge. ISBN 9780367545338. OCLC 1289243761. Resumo divulgativoWorldcat 
  5. a b c Capela, João (26 de outubro de 2012). «Syllabus da Valsa Inglesa Internacional - Passos da Valsa Inglesa». Academia João Capela - Escola de Dança em Barcelos. Consultado em 22 de dezembro de 2022 
  6. «ISTD International Standard Ballroom Dance Syllabus». Wright House 

Veja tambémEditar

  Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.