Dança

arte de mover o corpo humano consistindo de uma sequência de movimentos ordenados usualmente acompanhados de música.
Disambig grey.svg Nota: "Dançarina" e "Dançarino" redireciona para este artigo. Para o filme de John Ford, veja Jackie (1921). Para a obra de Conan Doyle, veja The Adventure of the Dancing Men.

A dança (do francês: "danse" ou "dancier"; do grego: "ορχήομαι", romaniz. "orchḗomai": "danzare") é a arte de fazer movimentos ritmados com o corpo.[1] É um tipo expressão artística e cênica que envolvem os movimentos corporais em sua relação com diferentes estilos musicais. É o uso do corpo seguindo movimentos previamente estabelecidos (coreografia) ou improvisados (dança livre),[2] com passos ritmados ao som e compasso de uma música, envolvendo a expressão de sentimentos potenciados por ela. É uma das três principais artes cênicas da antiguidade, ao lado do teatro e da música, pois no antigo Egito existia danças astro-teológicas e na Grécia era frequentemente vinculada aos jogos.[3]

Dança
Duo de dança contemporânea
Média Movimento, som
Tipos Solo, com parceiro, grupo
Cultura originária Várias origens estilísticas
Era de origem Antiguidade

A dança pode existir como manifestação artística ou como forma de divertimento ou cerimónia. Atualmente, a dança manifesta-se nas ruas, em eventos como videoclipe ou em qualquer outro ambiente em que for contextualizado o propósito artístico.

A dança é uma das formas mais belas e profundas da expressão corporal; ela ultrapassa o certo e o errado, sendo imensamente singular que transgride padrões e estilos, podendo haver combinações e muita mescla em suas composições.
 
Analu Silva.

No dia 29 de abril comemora-se o Dia Internacional da Dança.

História da dançaEditar

 
Apresentação de um grupo de dança

O surgimento da dança, se deu ainda na época da Pré-História, quando os homens batiam os pés no chão. Com o passar do tempo, foram dando mais intensidade aos sons, descobrindo que seriam capazes de criar outros ritmos, conciliando os passos com as mãos, através das palmas.[4]

Sendo a dança uma das três principais artes cênicas da antiguidade, ao lado do teatro e da música. No antigo Egito já se realizavam as chamadas danças astro-teológicas em homenagem a Osíris. Na Grécia, a dança era frequentemente vinculada aos jogos, em especial aos olímpicos.[3]

A história da dança cênica representa uma mudança de significação dos propósitos artísticos através do tempo.

Com o Balé Clássico (século XV), as narrativas e ambientes ilusórios é que guiavam a cena. Com as transformações sociais da época moderna, começou-se a questionar certos virtuosismos presentes no balé e começaram a aparecer diferentes movimentos de Dança Moderna. É importante notar que nesse momento, o contexto social inferia muito nas realizações artísticas, fazendo com que então a Dança Moderna Americana acabasse por se tornar bem diferente da Dança Moderna Europeia, mesmo que tendo alguns elementos em comum.

A dança contemporânea como nova manifestação artística, sofrendo influências tanto de todos os movimentos passados, como das novas possibilidades tecnológicas (vídeo, instalações). Foi essa também muito influenciada pelas novas condições sociais - individualismo crescente, urbanização, propagação e importâncias da mídia, fazendo surgir novas propostas de arte, provocando também fusões com outras áreas artísticas como o teatro por exemplo.

Em 1982, o Comitê Internacional da Dança da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) instituiu o dia internacional da dança em "29 de abril",[5][6] em homenagem ao criador do balé moderno, Jean-Georges Noverre.[5]

Na educação físicaEditar

A dança no contexto educacional brasileiro aparece como conteúdo da disciplina Artes[7] e nas atividades rítmicas e expressivas da Educação Física. Na disciplina Arte a dança é trabalhada como atividade e linguagem artística, forma de expressão, socialização, como conceito e linguagem estética de arte corporal. Como atividade de arte cênica e para apresentações.

Já na educação física o propósito da dança é diferente podendo até se inserir como cultura corporal de movimento humano. Mas a abordagem da dança dentro do contexto da Educação Física é diferente da abordagem da dança no contexto da Arte.

Na educação física a dança é utilizada de forma instrumental, assim como a ginástica, os esportes e as lutas, deve enfocar o aspecto motor, biopsicossocial, como forma de atividade para condicionamento físico, emagrecimento, bem estar e saúde. Pode ser verificado em clubes, academias e demais espaços de lazer e ginástica. A dança na educação física é uma atividade física instrumental e não artística, que assim como as demais atividades físicas, pode ser utilizada como ferramenta para a melhoria do convívio intra e interpessoais, saúde e qualidade de vida.

No âmbito de formação acadêmico-profissional, existem graduações e pós graduações específicas na área de dança. Os bacharelados em Dança que qualificam profissionais de dança, seja o artista bailarino, dançarino ou coreógrafo e ainda as licenciaturas em Dança que forma os professores de dança. Estes cursos são vinculados à área de conhecimento das Artes. No Brasil, a formação para professores e artistas de dança é adquirida nos cursos superiores de dança (bacharelados e licenciaturas). Sendo esta profissão regulamentada pela Lei 6 533/78 a Lei do Artista.[8]

Ligação com a saúdeEditar

Dançar pode auxiliar no tratamento de doenças como diabetes, síndrome do pânico, transtorno bipolar, depressão e até alguns tipos de câncer. A dança pode ser considerada um remédio que melhora a saúde física e mental.[9]

Classificação e gênerosEditar

 Ver artigo principal: Lista de danças

Várias classificações das danças podem ser feitas, levando-se em conta diferentes critérios.

Existem muitos estilos de dança, onde os vinte mais praticados no mundo são: Balé; Jazz; Cigana; Contemporâneo; Sapateado; Flamenco; de Rua; Stiletto; Africana; Yangko; do Ventre; Kathak; Country; Zouk; Tango; Samba; Zumba; Poiledance; Bolero; Clássica Indiana.[10]

Estudos e técnicasEditar

No início dos anos 1920, os estudos de dança (dança prática, teoria crítica, análise musical e história) começaram a ser considerados uma disciplina acadêmica. No final do século XX, esses estudos são parte integrante de muitos programas de artes e humanidades das universidades, incluindo:

Graus acadêmicos estão disponíveis desde o bacharelado até o doutorado e também programas de pós-doutorado, com alguns estudiosos de dança fazendo os seus estudos como estudantes maduros depois de uma carreira profissional de dança.

CompetiçõesEditar

Uma competição de dança é um evento organizado em que os concorrentes executam danças perante um juiz ou juízes visando prêmios e, em alguns casos, prêmios em dinheiro. Existem vários tipos principais de competições de dança, que se distinguem principalmente pelo estilo ou estilos de dança executados. Os principais tipos de competições de dança incluem:

Hoje, há vários concursos de dança na televisão e na internet.

Balé e seus repertóriosEditar

 
O Lago dos Cisnes
 
A Bela Adormecida

O Balé (do francês Ballet)[12] é um estilo de dança criado nas cortes itálianas renascentista (século XV), que desenvolveu-se como uma forma de dança de concerto. É um tipo de dança influente a nível mundial que possui uma forma altamente técnica e um vocabulário próprio.

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Citações no Wikiquote
  Categoria no Commons

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Definições de Dança». Dicionário de português - Google e Oxford Languages. Consultado em 22 de setembro de 2022 
  2. «from encyclopedia britannica» (em inglês). Encyclopædia Britannica. Consultado em 1 de Maio de 2010 
  3. a b História da Dança Brasil Escola.
  4. Jussara de Barros. «Dança». Brasil Escola. Consultado em 12 de novembro de 2014 
  5. a b «Dança. O que é a Dança?». Brasil Escola. Consultado em 22 de setembro de 2022 
  6. «ConecteDance». www.conectedance.com.br. Consultado em 14 de maio de 2012. Arquivado do original em 31 de julho de 2010 
  7. PCN - BRASIL, 2000, p. 46 (PDF)
  8. «L6533». www.planalto.gov.br. Consultado em 21 de julho de 2021 
  9. SZEGO, Thais. Entre na dança. Revista Saúde! é vital. Março, 2007, pp. 62-64.
  10. «20 Estilos de Dança Mais Praticados no Mundo». Ballet Fit Online. 7 de maio de 2018. Consultado em 22 de setembro de 2022 
  11. Uma possível história da dança jazz no Brasil
  12. ballet in Dicionário da Língua Portuguesa com Acordo Ortográfico [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2016. [consult. 2016-09-24 15:53:18]. Disponível na Internet: http://www.infopedia.pt/dicionarios/lingua-portuguesa/ballet.