Venda (África do Sul)

Venda foi um bantustão criado pelo governo sul-africano, durante o regime do apartheid, para ali agrupar um grupo de sul-africanos falantes de xiVenda, no nordeste da antiga província do Transvaal, presentemente na província do Limpopo.[1] O povo Venda tem origem na região de Mapungubwe, integrada na lista de Património Mundial.[2]

Bandeira de Venda.
Venda.

Em 1973, o governo sul-africano concedeu "autodeterminação" a este território[3] e em 1979, a "independência"[4], ficando os seus habitantes privados da nacionalidade sul-africana.[5][6]

Chefes de estadoEditar

Venda teve quatro presidentes: Patrick Mphephu, Frank Ravele, Gabriel Ramushwana e Tshamano Ramabulana. [3]

  Este artigo sobre a África do Sul é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Bantustões da era do apartheid na África do Sul
Bophuthatswana | Ciskei | Gazankulu | KaNgwane | KwaNdebele | KwaZulu | Lebowa | QwaQwa | Transkei | Venda

Referências

  1. Lahiff, E. (2000) An Apartheid Oasis?: Agriculture and Rural Livelihoods in Venda, Routledge. ISBN 0-7146-5137-0.
  2. UNESCO – Património Mundial – Mapungubwe
  3. a b Worldstatesman.com: cronologia sobre Venda.
  4. archontology.org. «Venda: Polity Style: 1979-1994» 
  5. The Birth of a New Non-State (subscription required) Arquivado em 23 de agosto de 2013, no Wayback Machine., en Time Magazine, 24 de setembro de 1979
  6. "S. Africa Launches 'Independent Black State' of Venda," en The Washington Post, 13 de setembro de 1979.