Very Bad Things

filme de 1998 dirigido por Peter Berg

Very Bad Things (Brasil: Uma Loucura de Casamento / Portugal: Eram Todos Bons Rapazes) é uma comédia policial de humor negro, dirigida por Peter Berg. É estrelado por Jon Favreau, Cameron Diaz, e Jeremy Piven, tendo como co-adjuvantes Daniel Stern, Christian Slater, Jeanne Tripplehorn, e Berg como roteirista/diretor.

Very Bad Things
Eram Todos Bons Rapazes[1][2] (PRT)
Uma Loucura de Casamento[3] (BRA)
 Estados Unidos
1998 •  cor •  100 min 
Direção Peter Berg
Produção Cindy Cowan
Diane Nabatoff
Michael Schiffer
Roteiro Peter Berg
Elenco Christian Slater
Cameron Diaz
Daniel Stern
Jeanne Tripplehorn
Jon Favreau
Jeremy Piven
Leland Orser
Género comédia
policial
Música Stewart Copeland
Cinematografia David Hennings
Edição Dan Lebental
Companhia(s) produtora(s) Initial Entertainment Group
Interscope Communications
Distribuição PolyGram Filmed Entertainment
Lançamento Estados Unidos 25 de novembro de 1998
Brasil 23 de abril de 1999[3]
Idioma inglês
Orçamento $30 milhões[4]
Receita $21 milhões[5]

EnredoEditar

Antes de seu casamento com a noiva Laura, Kyle Fisher organiza uma despedida de solteiro em um hotel de Las Vegas com seus amigos: Charles Moore, Robert Boyd, os irmãos Adam e Michael Berkow. Michael paga Tina, uma stripper / prostituta, pelo sexo no banheiro que morre durante o sexo depois que sua cabeça é acidentalmente empalada por um gancho de roupa em uma porta. Logo depois disso, um guarda de segurança vem investigar o ruckus e descobre o cadáver de Tina. Em desespero, Boyd esfaqueia o guarda até a morte. Boyd convence o grupo a desmembrar os corpos, enterrá-los no deserto e nunca mais falar disso.

No jantar de ensaio, Adam racha sob a pressão, levando a um confronto com Michael fora. A luta é quebrada e Michael está convencido de sair. Ao sair, ele tenta empurrar o jipe ​​para a minivana querida de Adão. Adam corre na frente de sua van e é esmagado na colisão. No hospital, Adam sussurra algo para sua esposa Lois antes de morrer, enquanto Boyd olha através de uma janela de vidro.

Lois exige respostas sobre o que aconteceu em Las Vegas. Fisher compõe uma história sobre Adam dormindo com uma prostituta. Boyd, suspeitando que ela não acredita neles, mata Lois. Mais tarde, Boyd chama Fisher e Moore para trazer Michael para a casa, onde ele o mata. Ele inventou uma história sobre um triângulo amoroso de Michael / Lois / Adam para responder a qualquer interrogatório da polícia. Após esses eventos e sendo nomeado beneficiário da propriedade de Adam e Lois, Fisher quebra e confessa a história a Laura, que exige que o casamento que ela sonhou sobre prosseguir conforme planejado.

No dia do casamento, Boyd confronta Fisher, exigindo o dinheiro da apólice de seguro de vida de Adam. Fisher se recusa e uma briga se desencadeia, que termina com Laura Bludgeoning Boyd. Durante a cerimônia, Fisher e Moore percebem que Boyd tem as alianças de casamento. Moore vai recuperá-los, abrindo uma porta que bate Boyd descendo uma escada onde ele morre. Laura exige que Fisher enterre o corpo de Boyd no deserto e, em seguida, assegure-se de que não há limites soltos ao matar Moore. Em última análise, Fisher não pode passar com o ato e, como ele dirige para casa, ele perde o foco e trava em um carro que se aproxima.

Após a colisão, Fisher teve as duas pernas amputadas abaixo do joelho e Moore é cérebro danificado e confinado a uma cadeira de rodas motorizada, deixando Laura cuidar de todos eles além de criar os filhos de Adão. Quando Laura observa a fútil tentativa de Fisher de controlar os dois meninos, ela percebe sua vida e os sonhos estão totalmente arruinados e sofrem uma queda nervosa quando ela sai correndo da casa e colapsa gritando na rua.

ElencoEditar

ProduçãoEditar

Very Bad Things foi conhecido por ter um enredo muito semelhante ao Stag, um filme que foi ao ar originalmente na HBO em junho de 1997. O diretor Peter Berg disse ao The A.V. Club em 1998, "Veja, a primeira vez que ouvi sobre Stag foi depois de terminar de escrever o roteiro de Very Bad Things. Quando estávamos no ponto de conseguir o financiamento do filme, pedimos a um advogado que examinasse o roteiro e o filme para garantir que não houvesse muitas semelhanças. Quer dizer, havia coisas que precisávamos mudar; por exemplo, um dos personagens do filme era um padeiro, e também havia um padeiro em nosso roteiro, então tivemos que mudar algumas coisas muito pequenas. Mas, pelo que entendi, os dois filmes têm abordagens muito diferentes do material. Vou dizer o seguinte: acho que seria interessante conseguir, tipo, três diretores diferentes—digamos, Soderbergh, Spielberg, e Coppola—e fazer com que todos contem exatamente a mesma história de uma maneira diferente."[6]

RecepçãoEditar

No Rotten Tomatoes, o filme tem um índice de aprovação de 41% com base em avaliações de 58 críticos, com o consenso, "Maligno e vazio".[7] No Metacritic, tem uma pontuação de 31% com base nas avaliações de 24 críticos, indicando "avaliações geralmente desfavoráveis".[8] O público entrevistado pela CinemaScore deu ao filme uma nota "B" na escala de A a F.[9]

Roger Ebert escreveu que Very Bad Things "não é um filme ruim, apenas repreensível".[10] Alguns críticos apreciaram a abordagem a sangue-frio. Maitland McDonagh, do TV Guide, escreveu: "Em um mundo repleto de sitcoms de filmes rudes, o pior cenário possível de Berg realmente se sustenta sozinho".[11]

Referências

  1. Luís Miguel Oliveira (26 de janeiro de 2001). «Eram Todos Bons Rapazes». Público. Consultado em 17 de junho de 2021 
  2. «Eram Todos Bons Rapazes». RTP. 1 de junho de 2021. Consultado em 17 de junho de 2021 
  3. a b «Casar com Cameron pode ser problema». Folha de S.Paulo. 23 de abril de 1999. Consultado em 15 de março de 2018 
  4. «Very Bad Things (1998)». Box Office Mojo 
  5. «Very Bad Things (1998) - Financial Information». The Numbers 
  6. «Peter Berg». The A.V. Club 
  7. «Very Bad Things». Rotten Tomatoes 
  8. «Very Bad Things». Metacritic 
  9. «VERY BAD THINGS (1998) D+». CinemaScore. Cópia arquivada em 20 de dezembro de 2018 
  10. Roger Ebert (25 de novembro de 1998). «Very Bad Things». Chicago Sun-Times 
  11. Maitland McDonagh. «Very Bad Things». TV Guide 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um filme estadunidense é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.