Abrir menu principal

Viajo porque Preciso, Volto porque Te Amo

Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde junho de 2015). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo
 Brasil
2009 •  cor •  75 min 
Direção Marcelo Gomes
Karim Aïnouz
Produção João Vieira Jr.
Daniela Capelato
Roteiro Marcelo Gomes
Karim Aïnouz
Elenco Irandhir Santos
Gênero drama
Música Chambaril
Cinematografia Heloísa Passos
Edição Karen Harley
Distribuição Brasil Espaço Filmes
Lançamento Itália 4 de Setembro de 2009
(Venice Film Festival)
Brasil 7 de Maio de 2010 (nacional)
Idioma português
Página no IMDb (em inglês)

Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo é um filme brasileiro de drama de 2009. Marcelo Gomes (Cinema, Aspirina e Urubus) e Karim Aïnouz (O Céu de Suely) montam o road-movie que acompanha uma jornada tanto física quanto emocional, a partir de sobras de filmagens anteriores, num relato poético no qual o protagonista nunca se faz presente na tela, apenas narra os eventos em voice-over. As cenas são registradas na Bahia, Sergipe, Ceará, Alagoas e Pernambuco.[1]

SinopseEditar

José Renato (Irandhir Santos), geólogo, 35 anos, foi enviado para realizar uma pesquisa de campo durante a qual terá que atravessar o sertão nordestino - região semi desértica, situada no Nordeste do Brasil. A missão de sua pesquisa é avaliar o possível percurso de um canal que será construído, desviando as águas do único rio caudaloso da região. Durante a viagem, percebe-se que há algo comum entre o protagonista José Renato e os lugares por onde ele passa. Desde o vazio a uma sensação de abandono, de isolamento. Ele decide seguir viagem, na esperança que a travessia transforme seus sentimentos.[2]

ProduçãoEditar

Os diretores Marcelo Gomes (cineasta) e Karim Aïnouz, anos atrás, estavam fazendo um documentário on the road, visitando espaços e gentes. No entanto, o projeto transformou-se num enredo de ficção, sobre o personagem José Renato, um geólogo que cruza diversas áreas do sertão a fim de analisar as condições para a construção de um canal que atravessará o território semi-árido nordestino.

O filme é feito com as imagens capturadas pelos cineastas, algumas fotografias de quartos de hotel, lugares e pessoas. Durante todo o longa-metragem, o protagonista aparece em 1ª pessoa, apenas com sua voz, contando sua vida pessoal e também a trajetória na viagem.A fotografia do filme mescla imagens de duas câmeras 16mm (Bolex), uma câmera super-8, uma mini-DV VX1000 (Sony) e uma câmera tcheca (Minockner).

A produção filma em diversos lugares para retratar o longo caminho de José Renato, através do percurso feito pelo caminhão e permite a transição de paisagens. Para dar sentido, a voz do protagonista narra todos os acontecimentos e pensamentos. Se a voz de José Renato (Irandhir Santos) é um item ficcional, as imagens, pelo contrário, não são itens ficcionais.

Trilha sonoraEditar

  1. [3] Morango do Nordeste - Autores: Walter de Afogados e Fernando Alves / Intérprete: Laírton dos Teclados
  2. Dois - Autores: Michael Sullivan e Paulo Ricardo / Intérprete: Laírton dos Teclados
  3. Sonhos - Autor: Peninha / Intérprete: Peninha
  4. Forró na Gafieira - Autores: Rosil Cavalcanti / Intérprete: Biliu de Campina
  5. Esta Cidade é uma selva sem você - Autores: Bartô Galeno e Hilton José / Intérprete: Bartô Galeno
  6. O Último Desejo - Autor: Noel Rosa / Intérprete: Irandhir Santos e Severino Grilo
  7. Un Chant D`Amour - Autor: Simon Fisher Turner / Intérprete: Simon Fisher Turner
  8. Échame A Mi La Culpa - Autor: José Ángel Espinoza Ferrusquilla / Intérprete: Eugenia León
  9. Seu Zé - Autor: Pierre Leite / Intérprete: Chambaril
  10. Sertão de Acrílico - Autores: Carlos Montenegro, Claudio N e Pierre Leite / Intérprete: Chambaril
  11. Vou me casar - Autor: Carlos Montenegro / Intérprete: Chambaril
  12. Lugar Tanquilo - Autor: Carlos Montenegro / Intérprete: Chambaril
  13. Postcard - Autor: Carlos Montenegro / Intérprete: Chambaril
  14. Niege - Autor: Pierre Leite / Intérprete: Chambaril
  15. Postdream - Autor: Carlos Montenegro / Intérprete: Chambaril
  16. Rock Farofa - Autor: Carlos Montenegro / Intérprete: Chambaril
  17. Barulho - Autores: Carlos Montenegro, Claudio N e Pierre Leite / Intérprete: Chambaril
  18. Feira Campeã - Autor: Carlos Montenegro, Caludio N e Pierre Leite / Intérprete: Chambaril
  19. Tenho Que Sair - Autor: Pierre Leite / Intérprete: Chambaril

ElencoEditar

LançamentoEditar

Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo estreou no Festival de Veneza em 4 de setembro de 2009. No brasil, o longa-metragem estreou em 7 de maio de 2010.

RepercussãoEditar

Recepção da críticaEditar

O longa-metragem, em geral, recebeu opiniões positivas dos críticos em virtude de sua linguagem diferenciada.

O autor Paulo Santos Lima, do site Revista Cinética, analisa o ponto de vista das pessoas que aparecem no filme através de fotos, pelo fato de que o áudio pode alterar completamente o sentido da fotografia: "É um princípio que ultrapassa Kuleshov, na medida que nem é a montagem, mas sim uma voz, quem dá sentido e conduz a leitura dessas imagens – imagens de pessoas sem poder sobre o que será feito com sua imagem."[4]

No site Interrogação, a autora Emanuela Santos ressalta a importância da montagem por diferentes tipos de câmeras: "Essa mistura resulta numa bonita colagem e visões sensoriais intensas a quem assiste. Viajo por que preciso, volto por que te amo é simples de concepções técnicas, porém se mostra carregado de uma narrativa intensa. Um filme para ser lido, ou uma leitura para ser vista."[5] Assim como a autora Emanuela Santos, no site Omelete, a autora Erica Borgo também destaca a trilha sonora: "Karen Harley faz um trabalho brilhante de montagem, reunindo registros em super-8, 16 mm e digital numa concisão narrativa que emociona, movida pela trilha sonora de Chambaril e a voz de Irandhir, que apesar de invisível está presente o tempo todo."[6]

Quanto ao entendimento do filme, Joba Tridente, do blog Claque ou Claquete, diz que tudo depende da perspectiva do olhar: "Viajo porque preciso, volto porque te amo é uma viagem sensorial inesquecível, ao âmago de um homem apaixonado por uma mulher e pelo seu trabalho. Uma obra que desperta sentimentos controversos, ao provocar o olhar do comum. Pela simplicidade poética. Pela poesia musical do simples. Pelo excesso do vazio. (...) O filme, na verdade, só acontece com a conivência do espectador que embarca na viagem proposta, disposto a aceitar a legenda do narrador, no encadeamento do texto-imagem, mesmo que possa sugerir outra coisa."[7]

PrêmiosEditar

[8]Festival de Veneza - 2009
  • Em competição - Seção Orizzonti
Festival do Rio - 2009
  • Melhor direção
  • Melhor fotografia
Festival de Cinema de Havana - 2009
  • Melhor Som
  • 3º Prêmio Coral de Ficção
  • Prêmio FIPRESCI – International Federation of Film Critics
Festival Santa Maria da Feira - 2009
  • Melhor Filme
  • Melhor Filme pelos Cineclubistas
Festival SESC Melhores do Ano - 2010
  • Melhor Filme pela Crítica
Festival Internacional de Documentários de Santiago do Chile - 2010
  • Prêmio Especial do Júri
Festival de Cinema Brasileiro em Paris - 2010
Festival de Toulouse - 2010
  • Grande Prêmio Coup de Coeur
6º Prêmio BRAVO! Prime de Cultura - 2010
  • Melhor Filme
5º Prêmio Contigo! de Cinema - 2010
  • Melhor Roteiro
3º Festival de Triunfo, 2010
  • Melhor Longa-Metragem Nacional
  • Melhor Roteiro de Longa-Metragem
  • Melhor Montagem de Longa-Metragem
  • Melhor Ator de Longa-Metragem (Irandhir de Souza)
  • Melhor Fotografia de Longa-Metragem
  • Melhor Direção de Longa-Metragem
  • Melhor Filme


Referências

Ligações externasEditar