Abrir menu principal
Vietka
Coat of Arms of Vietka, Belarus.svgFlag of Vietka, Belarus.svg
Vetka3.JPG
Geografia
País
Subdivisões
Divisão política
Vietka District (en)
Capital de
Vietka District (en)Visualizar e editar dados no Wikidata
Altitude
125 mVisualizar e editar dados no Wikidata
Coordenadas
Demografia
População
7 927 hab. ()Visualizar e editar dados no Wikidata
Funcionamento
Estatuto
City/town (d)Visualizar e editar dados no Wikidata
Identificadores
Código postal
247131Visualizar e editar dados no Wikidata
Prefixo telefônico
2330Visualizar e editar dados no Wikidata

Vietka (em bielorrusso: Ветка , em polonês/polaco: Wietka ) é uma pequena cidade histórica na Bielorrússia, situada às margens do rio Soj. É o principal centro urbano do Raion de Vietka, no Voblast de Homiel.[1]

Vietka estabelecida em 1685, pelo grupo de Velhos Crentes (um ramo da Igreja Ortodoxa Russa)[2] que eram conhecidos como Teodósios, e que haviam migrado da Rússia Central. Na época em que foi fundada, Vietka estava em território lituano.[3]

A prosperidade da cidade trouxe a ira do Império Russo e, como resultado, ela foi destruída duas vezes (1735 e 1764)[1] pelo exército czarista.[4][5]

Atualmente Vietka está localizada em uma área altamente radioativa, devido à precipitação nuclear do desastre de Tchernóbil, que ocorreu em 26 de abril de 1986.[1][2]

Índice

EtimologiaEditar

A cidade é chamada Vietka em referência a uma ilha do rio Soj. "Vietka" significa "ramo" na língua bielorrussa.

GeografiaEditar

A cidade está localizada no Voblast de Homiel, na margem direita do rio Soj, e é cercada por florestas e terras pantanosas.[4] Ela está situada a 22 km de Homiel, e a estrada que liga Homiel a Dobruš passa por ela.[2] Ela possui 139 áreas habitadas em 57 subúrbios reassentados, que se estende por uma área de 156.3 km2.[1]

Em 2003, a população do distrito era de 19.700.[1]

HistóriaEditar

Um grupo razoavelmente grande de sacerdotes de sacerdote dos Velhos Crentes da Rússia Central migrou para a região de Vietka, e estabeleceu várias aldeias nas redondezas, sob a liderança do hieromonge Fedosie.[5]

Séculos XVII-XVIIIEditar

O grupo de sacerdotes dos Velhos Crentes, conhecido como Teodósios, prosperara na Rússia. Eles conquistaram a simpatia de czares e do governo imperial, em detrimento de outros grupos não-sacerdotais.[6] Depois de se mudarem para Vetka, eles praticavam sua religião com liberdade e também tinham oportunidades econômicas para prosperar. Isso resultou em Vetka se tornando uma cidade de cerca de 40.000 pessoas por volta de 1730.[5] Assim, durante os séculos XVII-XVIII, em Vietka e nos subúrbios vizinhos, houve uma proliferação de mosteiros e priorados. Essa região tornou-se conhecida como o "centro de Raskolniks", com a assimilação e preservação das "tradições da Rússia de Moscou". A praça principal da cidade também foi chamada de Praça Vermelha, como em Moscou, localidade essa que ainda existe. A isso seguiu-se um período de proliferação da cultura artística de "pintura de ícones e design de livros e manuscritos", e de esculturas em madeira, em Vetka.[2]

No entanto, em 1733, Anna da Rússia forçou os Velhos Crentes de Vietka a se mudarem para a Rússia, e quando eles se recusaram, eles foram forçados a deixar Vietka e mudarem-se para a Rússia Central. Epifane, o bispo da comunidade de Vietka, foi encarcerado em 1733. Depois disso, aqueles que viviam em aldeias ao redor do Vietka se organizaram e começaram a construir uma economia florescente. No entanto, isso não foi tolerado por Catarina, a Grande, e todo o grupo de antigos Velhos Crentes foram transportados à força para a Sibéria, pondo fim à sua presença em Vietka.[5] Finalmente, em 1772, o Império Russo assumiu o controle sobre Vietka.

Séculos XIX-XXEditar

Uma indústria naval foi estabelecida em Vietka a partir de 1840, e os ricos da cidade eram conhecidos por possuir navios a vapor.[4]

Em 1880, a população da cidade de Vietka era 5.982, sendo 42.6% judia, vivendo em 11 prédios de pedra e 994 construções de madeira.[7] Na época, foram reportadas seis fábricas de corda e seis moinhos de vento, quatro forjas, quatro lojas de pedra e 120 lojas de madeira.

A população de Vetka aumentou para 7.200 em 1897. As principais atividades giravam entorno do fabrico e comércio de de jóias, pequenos negócios e artesanato, com os judeus de concentrando no comércio de madeira e operando a partir do porto de Vietka.[8]

Em 1917, Vietka foi absorvida pela jurisdição administrativa da região de Homiel.[2] Tropas alemãs ocuparam Vietka em 1918, durante a Primeira Guerra Mundial, e uma central elétrica foi construída na região, em 1924.

No quadro da União Soviética, Vietka recebeu o status de cidade e distrito em 1925, e tornou-se parte da República Socialista Federativa Soviética da Rússia e depois da República Socialista Soviética da Bielorrússia. A partir de 1933, o jornal "Za bolshevistskie tempi" ("Por tempos bolcheviques") foi publicado na região. Autoridades soviéticas abriram uma escola judaica em iídiche, em Vietka. A população de Vietka no início da Segunda Guerra Mundial era de 6.000 pessoas.[8] Durante a guerra, as forças do Eixo ocuparam a cidade de 18 de agosto de 1941 até 27 de setembro de 1943,[2] assassinando 656 cidadãos, mais de 10% da população.

A catástrofe de Tchernóbil, ocorrida em 26 de abril de 1986, causou um imenso reassentamento da população local. Cerca de 40.000 foram reassentados em áreas distantes do efeito de radiação, e no primeiro aniversário do desastre a população restante da cidade foi estimada em apenas 7.000.[4]

EconomiaEditar

Atualmente as indústrias que movem a economia de Vietka incluem produção de leite e carne, fábricas de algodão e tecelagens. Há quatro cooperativas de produção agrícola, numerosas pequenas empresas agrícolas, quatro fazendas, 23 laticínios, quatro fazendas de criação de suínos e uma coudelaria. Um levantamento de 2007 a respeito da economia de Vietka sugere um significativo desenvolvimento socioeconômico, com 10,4% da economia correspondendo à produção industrial e 13,8% ao comércio. As exportações aumentaram 74,1%, e as importações 126,7%, mas mantendo um superávit comercial.[9]

Uma fábrica de cimento está sendo construída em Vietka, utilizando calcário disponível nos depósitos de Shirokoie e Podkamennoe, perto de Vietka.[10]

AtraçõesEditar

As atrações turísticas da cidade relacionam-se com o folclore, o artesanato e as tradições dos Velhos Crentes.[2] Há 64 monumentos arqueológicos, 55 monumentos históricos e culturais, bem como 12 grupos folclóricos e de artes cênicas etnográficas em Vietka.[1] Além disso, o Palácio de Senejinski, na vila de Khaltch, e a casa do comerciante Groshikov, na própria Vietka, são famosos monumentos arquitetônicos locais. Este último foi construído em 1897, na Praça Vermelha, e agora abriga o Museu de Arte Popular. O museu tem exposições de artefatos antigos, portas de madeira ricamente esculpidas, manuscritos, trajes tradicionais e tecidos rushniki.[4] Além disso, a coleção de Fiodor Grigorievitch Shkliarov forma a sua principal atração, com 5.600 ítens que representam a cultura e a vida popular, a arte tradicional e os negócios da região de Vietka.[11]

Referências

  1. a b c d e f «Vetka District» 
  2. a b c d e f g «Vetka». Consultado em 4 de abril de 2019. Arquivado do original em 6 de julho de 2011 
  3. Leroy-Beaulieu, Anatole. The empire of the tsars and the Russians. [S.l.: s.n.] 
  4. a b c d e Nigel Roberts (13 August 2008). Belarus. [S.l.: s.n.] ISBN 978-1-84162-207-1  Verifique data em: |data= (ajuda)
  5. a b c d Daniel H. Shubin (November 2005). A history of Russian Christianity. [S.l.: s.n.] ISBN 978-0-87586-426-6  Verifique data em: |data= (ajuda)
  6. Shubin2005, p.39-41
  7. «Słownik geograficzny Królestwa Polskiego i innych krajów słowiańskich, 1880-1914, Tom XIII (Geographical dictionary of the Polish Kingdom and other Slavic lands, vol. 13)» , pp. 428-429
  8. a b «For Rena Dvorkin Cohen –Vetka» 
  9. «Economy». Consultado em 4 de abril de 2019. Arquivado do original em 6 de julho de 2011 
  10. «Iran's AZAR AB Industries to Finance Construction of Cement Plant near Vetka». Consultado em 4 de abril de 2019. Arquivado do original em 20 de julho de 2011 
  11. «Vetka»