Volegalea cochlidium

espécie de molusco

Volegalea cochlidium (nomeada, em inglêsː melon conch[4], winding stair shell[5] ou spiral melongena)[2][6] é uma espécie de molusco gastrópode marinho, costeiro-estuarino e predador[2][7], pertencente à família Melongenidae, na subclasse Caenogastropoda e ordem Neogastropoda.[1][2] Foi classificada por Carolus Linnaeus, em 1758; descrita como Murex cochlidium em sua obra Systema Naturae.[1] Habita áreas de variação de salinidade, como lodaçais entre marés e manguezais, ambiente próximo à foz de rios[7], do Sri Lanka, no oceano Índico, ao oeste do oceano Pacífico; no mar da China Meridional, Sudeste Asiático e norte da Austrália.[2][3][4]

Como ler uma infocaixa de taxonomiaVolegalea cochlidium
Vista inferior de uma concha de V. cochlidium; espécime coletado no estreito de Torres, no norte da Austrália, pertencente à coleção do Museu de História Natural de Leiden.
Vista inferior de uma concha de V. cochlidium; espécime coletado no estreito de Torres, no norte da Austrália, pertencente à coleção do Museu de História Natural de Leiden.
Duas conchas de V. cochlidium; espécimes das ilhas Molucas, na Indonésia, pertencentes à coleção do Museu de História Natural de Leiden.
Duas conchas de V. cochlidium; espécimes das ilhas Molucas, na Indonésia, pertencentes à coleção do Museu de História Natural de Leiden.
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Mollusca
Classe: Gastropoda
Subclasse: Caenogastropoda
Ordem: Neogastropoda
Superfamília: Buccinoidea
Família: Melongenidae
Género: Volegalea
Iredale, 1938
Espécie: V. cochlidium
Nome binomial
Volegalea cochlidium
(Linnaeus, 1758)[1]
Distribuição geográfica
A espécie V. cochlidium (Linnaeus, 1758) ocupa todo o Sudeste Asiático (em verde); indo desde o Sri Lanka, no oceano Índico, ao mar da China Meridional e o norte da Austrália.[2][3]
A espécie V. cochlidium (Linnaeus, 1758) ocupa todo o Sudeste Asiático (em verde); indo desde o Sri Lanka, no oceano Índico, ao mar da China Meridional e o norte da Austrália.[2][3]
Sinónimos
Murex cochlidium Linnaeus, 1758
Pugilina cochlidium (Linnaeus, 1758)
Pyrula cochlidium (Linnaeus, 1758)
Semifusus cochlidium (Linnaeus, 1758)
Murex pugilinus Born, 1778
Pugilina pugilina (Born, 1778)
Hemifusus pugilinus (Born, 1778)
Murex vespertilio Gmelin, 1791
Cantharus tribuloides Noodt, 1819
Pyrula bucephala Lamarck, 1822
Pyrula fulva Deshayes, 1833
Volegalea wardiana Iredale, 1938
Semifusus cochlidium diademata C. Bayer, 1952
(WoRMS)[1]

Descrição da conchaEditar

Sua concha é grossa, sólida, pesada e piriforme com, no máximo, 15 centímetros de comprimento; com espiral alta a moderadamente baixa e protoconcha pequena. Apresenta uma superfície estriada e, às vezes, uma série de projeções espiniformes na borda mais larga de sua volta corporal e nas voltas acima desta. Abertura dotada de lábio externo fino e coloração branca; dotada de grande opérculo córneo e oval, em forma de unha e com anéis concêntricos. O canal sifonal é destacado, mas curto, e a columela é arredondada, sem pregas. Sua coloração vai do castanho a tons de creme ou cinza claro. Em vida, um perióstraco grosso lhes recobre.[2][3][5][8][9]

Habitat e distribuição geográficaEditar

Volegalea cochlidium habita águas rasas da zona entremarés e zona nerítica, próxima à costa e muitas vezes perto de bancos de moluscos Bivalvia, seu alimento[2][7]; em regiões tropicais do oceano Índico e oeste do Pacífico, desde o Sri Lanka ao mar da China Meridional e ao norte da Austrália, incluindo o Sudeste Asiático[2][3]; em áreas de variação de salinidade, como lodaçais entre marés e manguezais, ambiente próximo à foz de rios.[7]

Ligações externasEditar

Referências

  1. a b c d «Volegalea cochlidium (Linnaeus, 1758)» (em inglês). World Register of Marine Species. 1 páginas. Consultado em 14 de maio de 2020 
  2. a b c d e f g h «Volegalea cochlidium (Linnaeus, 1758) - spiral melongena = Pugilina cochlidium» (em inglês). SeaLifeBase. 1 páginas. Consultado em 14 de maio de 2020 
  3. a b c d OLIVER, A. P. H.; NICHOLLS, James (1975). The Country Life Guide to Shells of the World (em inglês). England: The Hamlyn Publishing Group. p. 202. 320 páginas. ISBN 0-600-34397-9 
  4. a b «Volegalea cochlidium (Linnaeus, 1758)» (em inglês). Atlas of Living Australia. 1 páginas. Consultado em 14 de maio de 2020 
  5. a b LINDNER, Gert (1983). Moluscos y Caracoles de los Mares del Mundo (em espanhol). Barcelona, Espanha: Omega. p. 184. 256 páginas. ISBN 84-282-0308-3 
  6. ABBOTT, R. Tucker; DANCE, S. Peter (1982). Compendium of Seashells. A color Guide to More than 4.200 of the World's Marine Shells (em inglês). New York: E. P. Dutton. p. 176. 412 páginas. ISBN 0-525-93269-0 
  7. a b c d PSOMADAKIS, Peter Nick; THEIN, Htun; RUSSELL, Barry C.; TUN, Mya Than (2019). Field Identification Guide to the Living Resources of Myanmar (em inglês). Rome: Food & Agriculture Org. - Google Books. p. 117. 841 páginas. ISBN 978-92-5-132005-1. Consultado em 14 de maio de 2020 
  8. Trausel, Joop; Slieker, Frans. «Volegalea cochlidium (Linnaeus, 1758) - imagem 1» (em inglês). Natural History Museum Rotterdam / World Register of Marine Species. 1 páginas. Consultado em 14 de maio de 2020. Philippines, Calabarzon, Rizal, Manila Bay. 
  9. Trausel, Joop; Slieker, Frans. «Volegalea cochlidium (Linnaeus, 1758) - imagem 2» (em inglês). Natural History Museum Rotterdam / World Register of Marine Species. 1 páginas. Consultado em 14 de maio de 2020. India, Tamil Nadu, Ramesvaram, by dredging, collected June 1982. 
  Este artigo sobre gastrópodes, integrado no Projeto Invertebrados é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.