Voo Ethiopian Airlines 702

voo programado sequestrado por seu copiloto em voo

O voo Ethiopian Airlines 702 foi um voo programado do Aeroporto Internacional Bole para o Aeroporto de Milão-Malpensa através do Aeroporto de Roma-Fiumicino em 17 de fevereiro de 2014.[4] O avião, um Boeing 767-300ER, foi sequestrado por seu copiloto desarmado a caminho de Bole para Roma e aterrissou em Genebra. Todos os 202 passageiros e tripulantes saíram ilesos.

Voo Ethiopian Airlines 702
O avião envolvido no sequestro fotografado anteriormente em Paris.
Sumário
Data 17 de fevereiro de 2014 (8 anos)
Causa Sequestrado pelo copiloto
Local Sequestrado sobre o Sudão, obrigado a aterrissar em Genebra.
Origem Aeroporto Internacional Bole, Etiópia
Escala Aeroporto Internacional de Roma, Itália
Destino Aeroporto de Milão-Malpensa, Itália
Passageiros 193[1]
Tripulantes 9
Mortos 0
Feridos 0
Sobreviventes 202 (todos)[2]
Aeronave
Modelo Boeing 767-3BGER
Operador Ethiopian Airlines
Prefixo ET-AMF[3]

IncidenteEditar

O voo 702 estava programado para partir do Aeroporto Internacional de Bole, Etiópia às 00:30 EAT (UTC+3) em 17 de fevereiro de 2014. A aeronave começou a transmitir o Squawk 7500 (sinal internacional para denunciar sequestro aéreo) enquanto sobrevoava o Sudão ao norte.[3] Quando o piloto saiu da cabine para ir ao banheiro, o copiloto trancou a porta da cabine e continuou pilotando a aeronave.[5] O voo estava programado para chegar ao aeroporto Leonardo da Vinci-Fiumicino, em Roma, Itália, às 04:40 CET (UTC+1), antes de continuar no aeroporto de Malpensa, em Milão, Itália.[4] Em vez disso, o avião voou para Genebra, na Suíça, onde o copiloto do voo 702 circulou várias vezes enquanto se comunicava com o controle de tráfego aéreo no Aeroporto Internacional de Genebra, tentando mediar asilo político e uma garantia de que ele não iria extraditado para a Etiópia.[2][3][5][6]

Às 06:02 CET (UTC+1), o avião pousou no Aeroporto Internacional de Genebra com cerca de 10 minutos de combustível restante e um incêndio em um de seus motores.[3][5] O copiloto que sequestrara o avião desceu por uma corda que atirou pela janela da cabine e caminhou até a polícia.[5] O aeroporto foi fechado imediatamente após o pouso.[3][7] Não houve passageiros ou tripulantes feridos.[4]

O avião foi escoltado por vários caças franceses e italianos ao passarem por seus respectivos espaços aéreos. A Força Aérea Suíça não respondeu porque o incidente ocorreu fora do horário comercial. Segundo um porta-voz da Força Aérea Suíça, "a Suíça não pôde intervir porque suas bases aéreas fecham à noite e nos fins de semana...[8] É uma questão de orçamento e pessoal".[9] A Suíça é apoiada pelos países vizinhos para monitorar seu espaço aéreo fora do horário comercial. A Força Aérea Francesa tinha permissão para acompanhar voos suspeitos no espaço aéreo suíço, mas não para derrubá-los.[9]

SequestradorEditar

O sequestrador do avião era Hailemedhin Abera Tegegn, de 31 anos, que era o copiloto do voo 702. Depois que o avião pousou, saiu da cabine usando uma corda que puxou para fora da janela da cabine.[2][5] Foi detido pelas autoridades suíças e aguarda julgamento; é acusado do crime de sequestro de um avião.[10]

Em março de 2015, o Supremo Tribunal Federal da Etiópia em Adis Abeba condenou Hailemedhin in absentia e o sentenciou a 19 anos e seis meses de prisão.[11]

Referências

  1. Lynch, Dennis. «VIDEO: Inside The Plane That Was Hijacked By Its Own Co-Pilot». Business Insider (em inglês). Consultado em 26 de junho de 2020 
  2. a b c «Ethiopian Airlines co-pilot hijacks plane to seek Geneva asylum». BBC News (em inglês). 17 de fevereiro de 2014. Consultado em 26 de junho de 2020 
  3. a b c d e «Hijacked Ethiopian plane probably flown to Switzerland for asylum» (em inglês). Focus Information Agency. 17 de fevereiro de 2014. Consultado em 26 de junho de 2020. Arquivado do original em 22 de fevereiro de 2014 
  4. a b c «Ethiopian Airlines flight ET-702 of 17 February 2014» (em inglês). 17 de fevereiro de 2014. Consultado em 26 de junho de 2020. Arquivado do original em 21 de fevereiro de 2014 
  5. a b c d e «Ethiopian Airlines hijacker was co-pilot». Capital News (em inglês). AGENCE FRANCE PRESSE. 17 de fevereiro de 2014. Consultado em 26 de junho de 2020 
  6. «Hijacker arrested after Ethiopian Airlines flight forced to land in Geneva». The Guardian (em inglês). Consultado em 26 de junho de 2020 
  7. Kashyap, Arjun (17 de fevereiro de 2014). «BREAKING: Hijacked Ethiopian Airlines Flight 702 From Addis Ababa To Rome Lands In Geneva; Airport Shuts Down, Passengers And Crew Safe, Airline Claims». International Business Times (em inglês). Consultado em 26 de junho de 2020 
  8. «Swiss jets not scrambled over hijacked plane because 'airbases closed at night' – RT News». Rt.com (em inglês). 18 de fevereiro de 2014. Consultado em 26 de junho de 2020 
  9. a b «Swiss fighters grounded during hijacking as outside office hours». news.yahoo.com (em inglês). AFP. 17 de fevereiro de 2014. Consultado em 26 de junho de 2020. Arquivado do original em 2 de março de 2014 
  10. Hjelmgaard, Kim (17 de fevereiro de 2014). «Rome-bound flight hijacked to Geneva». USA Today (em inglês). Consultado em 26 de junho de 2020 
  11. «Ethiopian pilot who hijacked plane sentenced to 20 years in jail» (em inglês). Reuters. 20 de março de 2015. Consultado em 26 de junho de 2020