Abrir menu principal
Waldenir de Bragança

Waldenir de Bragança (Araruama – 17/07/1931), filho de Vergílio Bragança Quintanilha e Eulália da Silveira Bragança é um médico, advogado, professor, escritor, acadêmico e fundador de diversas instituições como a Academia de Medicina do estado do Rio de Janeiro[1], Academia Nacional de Medicina[2], Rotary Clube Niterói Norte[3], Univerti​ (Universidade da Terceira Idade)[4] dentre outras.

Estudou o primário no Grupo Escolar Aníbal Benévolo, o secundário no Colégio Brasil[5] e formou-se em Medicina em 1956 pela Universidade Federal Fluminense (UFF), tendo posteriormente atuado como professor titular da Faculdade de Medicina e Escola de Serviço Social da UFF de 1959 até 1996[5].

Casou-se em 1/09/1956 com Maria Eliza Ranzeiro de Bragança com quem  teve cinco filhos: Fernando, Célia Regina, Ana Lúcia, Luiz Antônio e Silvia Helena, sendo que três deles seguiram o mesmo caminho paterno pela medicina [5].

Atuou como médico sanitarista no Ministério da Saúde de 1957 até 1975, sendo designado pela instituição para fazer o primeiro levantamento das condições de saúde da nova Capital, Brasília em 1961. Foi presidente da Academia de Medicina do Estado do Rio de Janeiro - ACAMERJ de 1986 até 1988; presidente da Associação Médica Fluminense - AMF de 1968 até 1971 e presidente da Associação Fluminense de Reabilitação de 1972 até 1974[5].

Assumiu entre 1974 e 1975 a Secretaria de Saúde e Assistência de Niterói acumulando nesse mesmo período a presidência do Rotary Club de Niterói-Norte. Foi eleito deputado estadual do Rio de Janeiro de 1978 até 1982 e posteriormente foi eleito prefeito de Niterói exercendo este mandato no período de 1983 a 1988.

Foi presidente da Federação Brasileira de Academias de Medicina de 1998 até 2000 [6]e posteriormente formou-se em advocacia pela Faculdade de Direito da UNIVERSO em 2001.

É Presidente da Academia Fluminense de Letras - AFL desde 2011[7], ocupando tão importante posição no ano do centenário desta academia sediada na cidade de Niterói (2017)[8] [9].

Eleito o Intelectual do Ano Fluminense em 2011[10] e neste mesmo ano foi o relator do Memorial para Oficialização do Idioma Português na ONU, levado à sede da organização, em Nova York, em 27 de maio de 2011[5].

Autor das publicações: "Terceiridade", "Marketing Social - Relevância e Resultados", "A Origem do Ensino Médico no Brasil", "O Brasil na OMS Através de Marcolino Candau"; co-autor de "Aborto e o Direito à Vida" (Prêmio Genival Londres pela Academia Nacional de Medicina) entre outras [5].

 Agraciado com a "Medalha Hipócrates" pela Federação Nacional de História da Medicina e Ciências, "Medalha do Mérito" pelo Instituto Hahnemanniano do Brasil,"Medalha Amicitio" pelo Lions Club International, "Comenda" da Ordem Internacional dos Jornalistas, "Ordem do Mérito Judiciário" pelo Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, "Medalha Tamandaré" pela Marinha de Guerra do Brasil, "Medalha do Pacificador" pelo Ministério do Exército, "Medalha Tiradentes" pela Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, "Medalha Carlos Chagas" pela Academia de Medicina de Minas Gerais, "Medalha José Clemente" e "Medalha Escritor José Cândido de Carvalho" pela Câmara Municipal de Niterói, "Grã-Cruz da Ordem do Mérito Araribóia" pela Prefeitura Municipal de Niterói, entre outras [5].

É Cidadão Honorário de Niterói, Vassouras, Nilópolis, Santo Antônio de Pádua, Rio Claro, Magé e Itaperuna [5].

Presidiu e organizou congressos, jornadas, seminários médicos e culturais e participou de vários eventos nacionais e internacionais sobre Medicina, Saúde e Bem-Estar Social[5].

Em 2017 organizou o I Congresso Brasileiro das Academias de Letras realizado entre 20 e 22 de julho de 2017 cujo tema “Educação, Cultura e Ética.” reuniu cerca de 150 participantes representando as diversas Academias do país[11], [12]. Ao final do evento foi formulada a Carta de Educação, Cultura e Ética de Niterói com várias proposições para valorização da língua portuguesa.

Waldenir Bragança foi um político brasileiro, prefeito da cidade de Niterói de 1983 a 1988., médico, acadêmico, escritor, colaborador do Rotary Club Internacional em Niterói e presidente do Conselho Deliberativo (no triênio 2006-2009) da Associação Brasileira de Municípios (ABM). É considerado um dos melhores prefeitos que já administrou o município de Niterói, em face dos êxitos alcançados em situação de penúria financeira e atraso estrutural[13].

Precedido por
Moreira Franco
Prefeito de Niterói
19831988
Sucedido por
Jorge Roberto Silveira

Referências

  1. «Portal da Academia de Medicina do Estado do Rio de Janeiro». Academia de Medicina do Estado do Rio de Janeiro. 18 de dezembro de 2017. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  2. «Portal da Academia Nacional de Medicina». Academia Nacional de Medicina. 18 de dezembro de 2017. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  3. «Portal Rotary Clube Niteroi». Rotary-Clube-Niteroi-Norte. 18 de dezembro de 2017. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  4. «Portal UNIVERTI». Univerti. 18 de dezembro de 2017. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  5. a b c d e f g h i AFL - Biblioteca Parque de Niteroi, Revista (205). Referências: Revista da Academia Fluminense de Letras-Vol XVI – 2005 – p32-42. Niteroi: AFL. pp. 32–42 
  6. «Federação Brasileira das Academias de Medicina». Federação Brasileira das Academias de Medicina. 18 de dezembro de 2017. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  7. «Portal Academia Fluminense de Letras». AFL. 18 de dezembro de 2017. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  8. «Portal Prefeitura de Niteroi». Prefeitura de Niteroi. 18 de dezembro de 2017. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  9. «Jornal Diz - Matéria sobre o centenário da AFL pg 5 - No 175 N abril 2017» 
  10. «Portal Sou mais Niteroi». Jornal Sou mais Niteroi. 12 de dezembro de 2011. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  11. «I Congresso Brasileiro de Academias de Letras». Cultura Niteroi. 20 de julho de 2017. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  12. «Rede sem Fronteiras noticiando o I Congresso Brasileiro de Academias de Letras». Rede sem Fronteiras. 20 de julho de 2017. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  13. Pimentel L.A; Martins; I.L., Luis Antônio (2004). Enciclopédia de Niterói: pessoas, lugares, histórias. Niteroi: Niteroi Livros. p. 431