Xist

gene da espécie Homo sapiens

Xist (transcrição específica inativa X) é um RNA não codificante no cromossomo X dos mamíferos placentários que atua como o principal efetor do processo de inativação X.[2] É um componente do centro de inativação do Xic - cromossomo X[3] - junto com dois outros genes de RNA (Jpx e Ftx) e dois genes de proteínas (Tsx e Cnbp2).[4]

XIST
Identificadores
Nomes alternativosXIST
IDs externosOMIM: 314670 GeneCards: XIST
Wikidata
Ver/Editar Humano

O gene XIST humano foi descoberto por Carolyn J. Brown.

FunçãoEditar

A inativação de X é um processo inicial de desenvolvimento em fêmeas de mamíferos que silencia transcricionalmente um dos pares de cromossomos X, fornecendo assim equivalência de dosagem entre machos e fêmeas. O processo é regulado por vários fatores, incluindo uma região do cromossomo X chamada centro de inativação X (XIC).[5]

Mecanismos moleculares de inativação do cromossomo XEditar

Nos mamíferos, machos e fêmeas variam geneticamente em seus cromossomos sexuais - XX nas fêmeas e XY nos machos. Isso leva a um desequilíbrio potencial, pois mais de mil genes no cromossomo X seriam expressos em dose dupla nas mulheres em comparação aos homens. Para manter esse desequilíbrio os embriões femininos interromperam a expressão dos genes em um de seus dois cromossomos X.

Sabe-se que uma molécula chamada Xist (transcrição específica X-inativa) inicia o processo. Xist é um RNA longo não codificante - um tipo de molécula criada usando o DNA da célula como modelo, mas que não contém instruções para produzir uma proteína. Xist reveste o cromossomo a partir do qual é expresso e induz o silenciamento.[6]

A proteína SPEN (proteína que interage com Msx2) desempenha um papel crucial no processo de inativação do cromossomo X, onde embriões de mamíferos fêmeas silenciam a expressão gênica em um de seus dois cromossomos X. Xist mobiliza e liga SPEN, que se acumula ao longo do cromossomo X. O SPEN interage com as regiões reguladoras dos genes ativos. Assim que ocorre o silenciamento genético, o SPEN é desativado. Os genes permanecem inativos pelo resto da vida útil da célula. Um domínio específico do SPEN chamado SPOC desempenha o papel principal no silenciamento de genes. Ele reprime a transcrição do DNA para o RNA e interage com várias proteínas envolvidas na síntese do RNA, bem como na remodelação e modificação da cromatina.[7]

Referências

  1. «Human PubMed Reference:» 
  2. «Entrez Gene: XIST X (inactive)-specific transcript» 
  3. Chow JC, Yen Z, Ziesche SM, Brown CJ (2005). «Silencing of the mammalian X chromosome». Annual Review of Genomics and Human Genetics. 6: 69–92. PMID 16124854. doi:10.1146/annurev.genom.6.080604.162350 
  4. Chureau C, Prissette M, Bourdet A, Barbe V, Cattolico L, Jones L, Eggen A, Avner P, Duret L (junho de 2002). «Comparative sequence analysis of the X-inactivation center region in mouse, human, and bovine». Genome Research. 12 (6): 894–908. PMC 1383731 . PMID 12045143. doi:10.1101/gr.152902 (inativo 22 de janeiro de 2020) 
  5. Beletskii A, Hong YK, Pehrson J, Egholm M, Strauss WM (julho de 2001). «PNA interference mapping demonstrates functional domains in the noncoding RNA Xist». Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America. 98 (16): 9215–20. PMC 55400 . PMID 11481485. doi:10.1073/pnas.161173098 
  6. «How females shut off their second X chromosome?». Tech Explorist (em inglês). 7 de fevereiro de 2020. Consultado em 10 de fevereiro de 2020 
  7. Dossin, Jan J.; Pinheiro, Inês; Żylicz; Roensch, Julia; Collombet, Samuel; Le Saux, Agnès; Chelmicki, Tomasz; Attia, Mikaël; Kapoor, Varun (5 de fevereiro de 2020). «SPEN integrates transcriptional and epigenetic control of X-inactivation». Nature (em inglês): 1–6. ISSN 1476-4687. doi:10.1038/s41586-020-1974-9 
  Este artigo sobre Genética é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Leitura adicionalEditar