Yggdrasil

Na mitologia nórdica, Yggdrasil (ou no nórdico antigo: Yggdrasill) é uma árvore colossal (algumas fontes dizem que é um freixo, outras que é um teixo), que é o eixo do mundo.[1][2]

Texto de historia
Yggdrasil em gravura de Friedrich Wilhelm Heine (1886).

Localizada no centro do Universo ligava os nove mundos da cosmologia nórdica, cujas raízes mais profundas estão situadas em Niflheim, um mundo sombrio onde ficavam várias árvores assombradas e solo onde não se produzia nada, escuridão profunda com gigantes e terríveis monstros. O tronco era Midgard, ou seja, o mundo material dos homens; a parte mais alta, que se dizia tocar o Sol e a Lua, chamava-se Asgard (a cidade dourada), a terra dos deuses, e Valhala, o local onde os guerreiros Vikings eram recebidos após terem morrido, com honra, em batalha.

Conta-se que nas frutas de Yggdrasil estão as respostas das grandes perguntas da humanidade. Por esse motivo ela sempre é guardada por uma centúria de valquírias, denominadas protetoras, e somente os deuses podem visitá-la. Nas lendas nórdicas, dizia-se que as folhas de Yggdrasil podiam trazer pessoas de volta a vida e apenas um de seus frutos, curaria qualquer doença e até mesmo salvaria a pessoa a beira da morte.

Os nove mundos da mitologia nórdicaEditar

Os nove mundos contidos na Yggdrasil são:

  • Mannheim (Midgard), o mundo dos homens. É representado por Jera, a runa do ciclo anual.
  • Godheim (Asgard), o mundo dos Æsir. É representado por Odin, a runa da troca.
  • Vanaheim, o mundo dos Vanir. É representado por Ingwaz, a runa da semente.
  • Helheim, o mundo dos mortos. É representado por Hagalaz, a runa do granizo.
  • Svartalfheim, o mundo dos elfos escuros. É representado por Elhaz, a runa do teixo.
  • Alfheim, o mundo dos elfos claros. É representado por Dagaz, a runa do dia.
  • Jotunheim, o mundo dos gigantes de rocha e de gelo (Jotuns). É representado por Nauthiz, a runa da necessidade.
  • Niflheim, o mundo de gelo eterno. É representado por Isa, a runa do gelo.
  • Muspelheim, o mundo de fogo. É representado por Sowilo, a runa do sol.

Variações no número noveEditar

Se fossemos levar em conta, os mundos nórdicos apresentados, o valor seriam de 10. Os mundos Helheim, Svartalfheim, Jotunheim, Niflheim e Nidavellir possuem variações.

  • Uns consideram Niflheim o lar dos gigantes de gelo, enquanto Jotunheim é o lar apenas dos gigantes comuns (de rocha).
  • Nidavellir, o mundo dos anões por vezes é considerado o mesmo mundo dos elfos escuros, Svartalfheim. Outras vezes, considerado no subsolo de Midgard.
  • Helheim as vezes é considerado um mundo distinto. Outras, dentro de Nifheim.

Referências

  1. Ernby, Birgitta; Martin Gellerstam, Sven-Göran Malmgren, Per Axelsson, Thomas Fehrm (2001). «Yggdrasil». Norstedts första svenska ordbok (em sueco). Estocolmo: Norstedts ordbok. 793 páginas. 771. ISBN 91-7227-186-8 
  2. Bæksted, Anders; Palle Bregnhøi (ilustrador), Peter Hallberg (1916-1995) e Helen Petersen (1986). «Världsträdet, världspelaren och världsaxeln». Nordiska gudar och hjältar (em sueco). Estocolmo: Forum. p. 52-54. 344 páginas. ISBN 91-37-09184-0 

Ver tambémEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Yggdrasil
  Este artigo sobre mitologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.