2018 VG18

objeto transneptuniano

2018 VG18, também chamado de Farout (do inglês: "muito distante"), é um objeto transnetuniano, e o primeiro objeto a ser descoberto a mais de 100 UA (15 bilhões de km) do Sol.[1] O objeto, com a designação de planeta menor,[2] foi observado pela primeira vez em 10 de novembro de 2018 pelos astrônomos Scott Sheppard, David Tholen e Chad Trujillo[3][4] durante uma busca pelo hipotético Planeta Nove, o apelido Farout é para enfatizar a distância em relação ao Sol.[5]

2018 VG18
2018VG18-SolarSystem-Orbit.png
Data da descoberta 10 de novembro de 2018
Descoberto por Scott Sheppard
David Tholen
Chad Trujillo
Categoria Transnetuniano
Elementos orbitais
Semieixo maior 95,24 UA
Periélio 168,7 UA
Afélio 21,74 UA
Orbita Sol
Período orbital 339 500 dias
Anomalia média 73,77 °
Inclinação 31,7 °
Longitude do nó ascendente 247,4 °
Argumento do periastro 32,9 °
Características físicas
Dimensões 500 km
Magnitude aparente 24,6

Em 2019, o objeto estava a uma distância observada de aproximadamente 125 UA (19 bilhões de km). Isso é mais de três vezes a distância média de Plutão em relação ao Sol e quase o dobro da distância média de Éris.[6] 2018 VG18 foi o objeto natural mais distante já observado no Sistema Solar, substituindo o recordista anterior, Éris, em 96 UA, até que foi derrotado por um objeto inicialmente estimado em 140 UA (21 bilhões de km), apelidado de "FarFarOut".[7] No entanto, 2018 VG18 não está nem perto de ser o objeto com a órbita mais distante, em média, pois seu semieixo maior é estimado em apenas cerca de 95 UA; Em comparação, o semieixo maior de 2014 FE72 é de 1550 UA.

ObservaçãoEditar

Em novembro de 2018, o objeto foi inicialmente visto por acaso através do telescópio Subaru no Havaí,[4] sendo confirmado em 17 de dezembro do mesmo ano através do telescópios Magalhães, no Chile.[8][6]

Sheppard e equipe estão examinando objetos extremamente distantes no Sistema Solar para descobrir se existe um planeta massivo naquela região, o hipotético Planeta Nove, devido a observações e simulações de órbitas dos objetos nos confins do Sistema Solar, que sugerem a existência de um planeta grande, que supostamente sua influência gravitacional poderia alterar as órbitas de objetos menores igualmente distantes,[4] sem afetar os planetas internos do Sistema Solar.[3][8]

PropriedadesEditar

Estima-se que o diâmetro do objeto exceda 500 quilômetros. É de cor rosada, sugerindo uma alta concentração de gelo e hélio.[8]

NomenclaturaEditar

Na descoberta, o objeto foi nomeado 2018 VG18 pelo Centro de Planetas Menores da União Astronômica Internacional. Os indivíduos envolvidos na descoberta inicial do objeto o apelidaram de "Farout".

Ver tambémEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Trans-Netuno

Referências

  1. Chang, Kenneth (17 de dezembro de 2018). «It's the Solar System's Most Distant Object. Astronomers Named It Farout.». The New York Times. Consultado em 14 de novembro de 2019 
  2. «Farout: "We discovered the most distant object ever observed in our Solar System"». BBC Science Focus Magazine (em inglês). Consultado em 22 de julho de 2020 
  3. a b Science, Carnegie (17 de dezembro de 2018). «Discovered: The Most-Distant Solar System Object Ever Observed». Carnegie Institution for Science (em inglês). Consultado em 19 de dezembro de 2018 
  4. a b c Domínguez, Nuño (18 de dezembro de 2018). «Descoberto o planeta mais longínquo dentro do sistema solar». Jornal El País. Ciência. Consultado em 19 de dezembro de 2018 
  5. «Discovered: The Most-Distant Solar System Object Ever Observed». Carnegie Science. 17 de dezembro de 2018. Consultado em 14 de novembro de 2019 
  6. a b Gnipper, Patricia (17 de dezembro de 2018). «Astrônomos descobrem outro objeto extremamente distante no Sistema Solar». Canaltech. Espaço. Consultado em 19 de dezembro de 2018 
  7. Paul Voosen (21 de fevereiro de 2019). «Astronomers discover solar system's most distant object, nicknamed 'FarFarOut'». Science magazine. Consultado em 14 de novembro de 2019 
  8. a b c «Farout: o planeta anão cor-de-rosa que é o objeto mais distante já observado no Sistema Solar». BBC News Brasil (em inglês). 19 de dezembro de 2018 

Ligações externasEditar