96 FM (Salvador)

estação de rádio brasileira de Salvador, BA

96 FM (também chamada de Rede Aleluia Salvador) é uma emissora de rádio brasileira sediada em Salvador, capital do estado da Bahia. Opera no dial FM, na frequência 95,9 MHz, e é uma emissora própria da Rede Aleluia, pertencendo à Igreja Universal do Reino de Deus. Seus estúdios estão localizados na Catedral da Fé, sede estadual da IURD, no bairro de Brotas, e seus transmissores estão localizados no bairro da Federação, na torre da RecordTV Itapoan.

96 FM
{{{alt}}}
96 FM (Salvador)
Rádio Aratu Ltda.
País  Brasil
Frequência(s) FM 95,9 MHz
Sede Salvador, BA
Slogan Família, força e fé
Fundação 1978 (46 anos)
Fundador Alberto Maluf
Nilton Nunes Tavares
Luís Viana Neto
Carlos Alberto Jesuíno dos Santos
Humberto Castro
Pertence a Igreja Universal do Reino de Deus
Proprietário(s) Edir Macedo
Antigo(s) proprietário(s) Nilton Nunes Tavares (1978-1992)
Nilo Coelho (1992-1995)
Formato Comercial
Gênero Gospel
Faixa etária Todas as idades
Afiliações Rede Aleluia
Idioma (em português brasileiro)
Prefixo ZYC 297
Nome(s) anterior(es) FM Aratu (1978-1989)
Emissoras irmãs Rádio Bahia
Cobertura Grande Salvador e áreas próximas
Coord. do transmissor 12° 59' 47.7" S 38° 30' 22.1" O
Dados técnicos Potência ERP: 35 kW
Classe: A1
RDS: Não
Agência reguladora ANATEL
Informação de licença
CDB
PDF
Aplicativo móvel Ouça ao vivo
Página oficial redealeluia.com.br

História editar

A emissora foi inaugurada em 1978 como FM Aratu, com uma programação voltada ao pop rock e MPB.[1] Era uma emissora irmã da TV Aratu, tendo como acionistas os empresários Alberto Maluf, Carlos Alberto dos Santos, Humberto Castro, Luís Viana Neto e Nilton Tavares.[2]

No final de 1983, por meio do selo Young da gravadora RGE Discos, a emissora lança o LP "FM Aratu - Com amor e balanço no verão 84", com um mix de músicas internacionais.[3]

Em 9 de junho de 1988, Nilton Tavares adquire as ações de seus sócios nas emissoras do Grupo Aratu e revende 30% delas para o deputado federal Joaci Góes (proprietário da Tribuna da Bahia).[4] Um ano depois, a FM Aratu abandona a nomenclatura utilizada desde a fundação e passa a ser chamada de 96 FM, transformando-se em uma rádio mais voltada para o pop rock.

Em 1991, como parte da mudança, é lançado o disco "Rock 96", com uma compilação de músicas de bandas de rock da Bahia. Foi distribuído pela RCA.[5] Em 1992, a 96 FM e sua emissora de televisão irmã foram novamente vendidas por Nilton, dessa vez ao político e empresário Nilo Coelho e seus familiares.[1]

Em setembro de 1995, em meio a problemas financeiros do Grupo Aratu que levaram inclusive ao arrendamento da TV Aratu para a Central Nacional de Televisão,[6] a 96 FM foi vendida para a Igreja Universal do Reino de Deus. Com isso, em 11 de setembro, a emissora deixou o formato mantido durante dezessete anos e passa a transmitir uma programação religiosa, voltada para o gênero gospel.[7] Em 6 de junho de 1998, a 96 FM passa a fazer parte da Rede Aleluia, rede de rádio formada pelas emissoras de propriedade ou arrendadas pela Igreja Universal.[8]

Em 13 de fevereiro de 2013, a 96 FM passou a transmitir a programação esportiva da Rádio Sociedade da Bahia.[9]

Programas editar

Atualmente, a 96 FM transmite programas nacionais da Rede Aleluia e locais da Igreja Universal do Reino de Deus. Diversos outros programas compuseram a grade da emissora, e foram descontinuados:[5][10]

  • Demo Trip
  • Disc Laser
  • Fly 96
  • Gincana da Primavera
  • O Assunto É
  • Rock Special

Equipe editar

 
Logotipo da emissora entre 1978 e 1989, quando se chamava FM Aratu

Membros antigos editar

Referências

  1. a b Azevedo, Ricardo. Axé-music - O verso e o reverso da música que conquistou o planeta. [S.l.: s.n.] p. 28. ISBN 9788560575008 
  2. Vasku, Monica (15 de março de 2015). «TV Aratu 46 anos: de Pedro Bial a Carla Araujo; conheça a história da emissora». Aratu On. Consultado em 21 de janeiro de 2022 
  3. Van Haandel, Johan (junho de 2017). «O uso dos recursos tecnológicos pelas emissoras comerciais de rádio FM de Campina Grande no período entre 1990 e 2015» (PDF). Intercom. Consultado em 21 de janeiro de 2022 
  4. Lopes, Roberto (11 de junho de 1988). «Adversário de Antônio Carlos na Bahia fica com 30% da TV Aratu». Folha de S.Paulo: A-4. Consultado em 21 de janeiro de 2022 
  5. a b Sacramento, Ednilson (27 de junho de 2014). «Rock Baiano: história de uma cultura subterrânea» (PDF). Consultado em 21 de janeiro de 2022 
  6. Leal, Luciana (12 de setembro de 1995). «Informe JB». Jornal do Brasil: 6. Consultado em 21 de janeiro de 2022 
  7. «Em vez de rock, hino evangélico» (PDF). Jornal do Brasil: 5. 13 de setembro de 1995. Consultado em 21 de janeiro de 2022 
  8. Prata, Nair; Lopez, Debora; Campelo, Wanir (2017). «A presença da igreja no rádio brasileiro» (PDF). UFOP. Consultado em 21 de janeiro de 2022 
  9. Massaro, Carlos (23 de fevereiro de 2013). «Sociedade AM passa a contar com FM em Salvador». Tudo Rádio. Consultado em 21 de janeiro de 2022 
  10. «Rádio FM Aratu 95,9 mHz - Salvador BA - 31/03/1990». Radioscopia. 14 de março de 2021. Consultado em 21 de janeiro de 2022 – via YouTube 
  11. «Apresentadoras da TV Aratu contam suas histórias e mandam mensagens no Dia da Mulher». Aratu On. Consultado em 21 de janeiro de 2022 
  12. Azevedo, Ricardo. Axé-music - O verso e o reverso da música que conquistou o planeta. [S.l.: s.n.] p. 56. ISBN 9788560575008 
  13. «"Radio Days", um extinto programa de rock da Manchete FM de Salvador». Tributo ao Rádio do Rio de Janeiro. 16 de março de 2002. Consultado em 21 de janeiro de 2022 
  14. Dourado, Carolina; Pena, Lucas; Tourinho, Juliana (8 de junho de 2016). «"Todos sabem que futebol é uma paixão nacional"». Jornalivres. Consultado em 21 de janeiro de 2022 

Ligações externas editar