A Pensão da D. Stela

A Pensão da D. Stela ou A Pensão de Dona Estela é um filme de comédia brasileiro de 1956, dirigido por Ferenc Fekete e Alfredo Palácios para a Companhia Cinematográfica Maristela em co-produção com Cinebrás Filmes.

A pensão de D. Stela
 Brasil
1956 •  p&b •  87 min 
Direção Ferenc Fekete
Alfredo Palácios
Roteiro Alfredo Palácios
Gastão Barroso (peça)
Elenco Jaime Costa
Maria Vidal
Género comédia
musical
Idioma português

O roteiro de Alfredo Palácios é baseado na peça homônima de Gastão Barroso. Nos números musicais aparecem Carmélia Alves (cantando "Santa Luzia"), Os Maiorais (interpretando "Juracy" de Adoniran Barbosa e Manesinho Araújo) e Liana Duval, que também atua no filme [1]. O título pode ser referência a uma canção de Carmem Miranda gravada em 1938, "A pensão da Dona Stella" [2].

ElencoEditar

SinopseEditar

Dona Stela é a viúva dona de pensão bondosa que não tem jeito para cobrar os alugueis de seus pensionistas sempre em atraso e aceita a colaboração de Nhonhô para esse trabalho e também cuidar das contas e da papelada. Mas Nhonhô é um vigarista e mulherengo que tem uma amante estrangeira e assedia a nova empregada, não paga a hipoteca da pensão e deixa a viúva em dificuldades. Dona Stela quer que Nhonhô se case com ela ou saia da pensão e o homem se complica ainda mais quando a amante vai morar também lá, se fingindo de irmã de outro pensionista, o monarquista Siqueira e parceiro de Nhonhô em alguns golpes. Enquanto isso, a filha de D. Stela, Dadá, tenta a carreira de cantora de rádio; e o filho Zuza, a de jogador de futebol.

Referências

  1. «Cinemateca Acessado em 10-03-2013». Consultado em 11 de dezembro de 2019. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
  2. http://carmen.miranda.nom.br/gr_004.html Arquivado em 10 de junho de 2015, no Wayback Machine. Acessado em 10-03-2013