Abul Fauaris Amade ibne Ali

Abul Fauaris Amade ibne Ali ibne Iquíxida (Abu'l-Fawaris Ahmad ibn Ali ibn al-Ikhshid lit. "Abul Fauaris Amade, filho de Ali, filho de Iquíxida"; em árabe: أبو الفوارس أحمد بن علي بن الإخشيد) foi um último governante da dinastia iquíxida, que governou autonomamente o Egito, Síria e Hejaz, de 968 a 969. Contudo, era uma criança e não exerceu o poder efetivamente, sendo tutelado primeiramente pelo vizir Jafar e então por seu tio Haçane. Seu reinado foi interrompido pela conquista do Egito pelo Califado Fatímida no verão de 969.

Amade
emir iquíxida
Reinado 968 - 969
Antecessor(a) Abul Misque Cafur
Sucessor(a) Conquista fatímida
Nome completo Abul Fauaris Amade ibne Ali ibne Iquíxida
Nascimento 956

VidaEditar

Amade era o filho do terceiro governante iquíxida, Alboácem Ali (r. 961–966), e neto do fundador da dinastia, Maomé Iquíxida.[1] Quando seu pai Ali morreu em janeiro de 966, ele tinha apenas 10 anos; consequentemente, o poderoso Abul Misque Cafur, que tinha sido o governante virtual do Estado, assumiu as rédeas do poder para si.[2][3]

 
Dinar de ouro de Alboácem Ali (r. 961–966)

Amade sucedeu-o no trono após a morte de Cafur em abril de 968, mas a situação no Egito era crítica: o vizir Jafar tentou controlar o governo, mas carecia de uma base de poder fora da burocracia; os agentes fatímidas agitaram tumultos entre os beduínos; o exército foi dividido em facções mutuamente antagonistas (os iquíxidas (Ikhshidiyya), recrutados por Maomé Iquíxida, e os Cafúrias (Kafuriyya), recrutados por Cafur, e os Sacaliba ou Rume, soldados-escravos europeus/bizantinos); e o tesouro estava vazio devido a várias inundações baixas do rio Nilo que causaram crises de fome generalizada.[4][5][6] No final, ibne Alfurate foi derrubado pelo tio de Amade, Haçane ibne Ubaide Alá ibne Tugueje, governador da Palestina. Haçane tomou controle de Fostate no outubro de 968, e instalou-se como regente. Na cunhagem emitida durante este período, o nome de Haçane inclusive precede o que Amade, o governante nominal. Contudo, após apenas três meses, Haçane libertou ibne al-Jafar, confiou-lhe o governo do Egito, e retornou à Palestina.[7][8]

Logo depois, os fatímidas, tomando vantagem do tumulto no regime iquíxida, lançaram uma invasão sob Jauar, o Siciliano. Cerca de junho de 969, o exército fatímida parou diante de Fostate. Após as tropas iquíxidas falharam num último esforço para invadir o avanço inimigo, a cidade, e o Egito com ela, renderam-se.[9][10][11] Haçane foi levado prisioneiro, assim encerrando a dinastia iquíxida, embora os últimos lealistas sob seu tio permaneceram em controle da porção sul da Síria até sua derrota sob os fatímidas na primavera de 970.[12] Segundo o historiador al-Fargani, retransmitido por ibne Calicane, Amade morreu em 13 de julho de 987.[1][13]

Ver tambémEditar

Precedido por
Abul Misque Cafur
emir iquíxida
Abril de 968 - junho de 969
Sucedido por
Conquista fatímida

Referências

  1. a b Bacharach 2006, p. 60, 61.
  2. Bacharach 2006, p. 71.
  3. Bianquis 1998, p. 115–117.
  4. Brett 2001, p. 298.
  5. Kennedy 2004, p. 315–316.
  6. Bianquis 1998, p. 117.
  7. Bianquis 1998, p. 117–118.
  8. Bacharach 2006, p. 82–83.
  9. Bacharach 2006, p. 81.
  10. Bianquis 1998, p. 118.
  11. Brett 2001, p. 295–303.
  12. Bacharach 2006, p. 84.
  13. McGuckin de Slane 1868, p. 222.

BibliografiaEditar

  • Bacharach, Jere L. (2006). Islamic History Through Coins: An Analysis and Catalogue of Tenth-century Ikhshidid Coinage. Cairo: American University in Cairo. ISBN 9774249305 
  • Bianquis, Thierry (1998). «Autonomous Egypt from Ibn Ṭūlūn to Kāfūr, 868–969». In: Petry, Carl F. Cambridge History of Egypt, Volume One: Islamic Egypt, 640–1517. Cambridge: Cambridge University Press. ISBN 0-521-47137-0 
  • Brett, Michael (2001). The Rise of the Fatimids: The World of the Mediterranean and the Middle East in the Fourth Century of the Hijra, Tenth Century CE. The Medieval Mediterranean 30. Leida: BRILL. ISBN 9004117415 
  • Kennedy, Hugh N. (2004). The Prophet and the Age of the Caliphates: The Islamic Near East from the 6th to the 11th Century (Second ed. Harlow, RU: Pearson Education Ltd. ISBN 0-582-40525-4 
  • McGuckin de Slane, William (1868). Ibn Khallikan's Biographical Dictionary, translated from the Arabic by Bn. William McGuckin de Slane, Vol. III. Paris: Fundo de Tradução Oriental da Grã-Bretanha e Irlanda