Abrir menu principal

Afonso Teles da Silva, 3º alcaide de Campo Maior

Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde outubro de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Afonso Teles da Silva
Alcaide-mor de Campo Maior e Ouguela
Nascimento c. 1430
Morte 1511
Ocupação Fidalgo, Militar
Pai D. Rui Gomes da Silva, 1.º Alcaide de Campo Maior
Mãe D. Isabel de Meneses

D. Afonso Teles da Silva (c. 1430 - 1511[1]), 3.º Alcaide de Campo Maior e de Ouguela, foi um nobre português do século XV.

BiografiaEditar

Era filho de Rui Gomes da Silva, 1.º alcaide de Campo Maior e de sua mulher Isabel de Menezes, filha do Conde de Vila Real.

Não era o filho primogênito, mas acabou por herdar a casa e senhorios de seu pai por morte de seu irmão mais velho, Pero ou Pedro Gomes da Silva, 2.º alcaide de Campo Maior, sem descendência.

Descendia dos Silvas pelo lado paterno e dos Teles de Menezes pelo lado materno - duas das linhagens mais antigas do noroeste da Península Ibérica, remontando ao século X.

Deveu muito da sua influência na corte às relações familiares. Um dos seus irmãos, D. Diogo da Silva foi elevado a Conde de Portalegre em 1496[2] e um outro, Fernão Gomes da Silva, foi alcaide de Alter do Chão. Entre os seus cunhados contavam-se o Senhor de Figueiró, o senhor da Casa de Sousa, o senhor de Ponte da Barca, o 2.º conde de Atouguia e o bispo do Porto. Embora sua mãe fosse uma filha ilegítima, eram seus primos maternos o Marquês de Vila Real, o Conde de Viana e Loulé, o Conde de Tarouca e o bispo de Évora.

Após a morte de seu irmão, foi confirmado no cargo de Alcaide de Campo Maior e Ouguela. Como membro do Conselho do Rei, já possuía as alcaidarias em 20 de janeiro de 1472 e as mesmas lhe foram novamente confirmadas em 20.08.1478, em Évora, por carta de D. Afonso V, com a mercê delas passarem por sucessão a seu filho maior. [3]

Serviu no Norte de África como fronteiro de seu tio, o conde D. Duarte de Meneses e, num período de ausência deste, como governador de Arzila em 1460-61.[4]

Faleceu antes de fevereiro de 1511.[5]

Casamento e descendênciaEditar

Casou com D. Joana de Azevedo, da linhagem dos Malafaias, senhores de Belas. Era filha de Luís Gonçalves Malafaia, vedor da Fazenda do Reino de Portugal e irmã de D. João de Azevedo, bispo do Porto e de D. Filipa de Azevedo, condessa de Atouguia,

Deste casamento deixou a seguinte descendência:

BibliografiaEditar

  • GAYO, Felgueiras. Nobiliário das Famílias de Portugal. Volume IX. Carvalhos de Basto, 2ª Edição. Braga, 1989

ReferênciasEditar

  1. Freire, Anselmo Braamcamp (1921). Brasões da Sala de Sintra, Livro Segundo. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra. p. 19. Consultado em 16 de outubro de 2019 
  2. Freire, Anselmo Braamcamp, op. cit., p. 23
  3. Freire, Anselmo Braamcamp, op. cit., p. 19
  4. Freire, Anselmo Braamcamp, op. cit., p. 19
  5. Freire, Anselmo Braamcamp, op. cit., p. 19
  6. Freire, Anselmo Braamcamp, op. cit., p. 19