Alfa Romeo 164

O Alfa Romeo 164 é um carro executivo com corpo de berlina, produzido pela fabricante de automóveis italiana Alfa Romeo desde 1988 até 1997.

Alfa Romeo 164
Alfa Romeo 164 Quadrifoglio registered August 1993 2959cc.jpg
Visão Geral
Nomes
alternativos
Alfa Romeo 168
Produção 19871997
Fabricante Alfa Romeo
Montagem Arese, Itália
Modelo
Classe Executivo
Carroceria sedan de 4 portas
Designer Pininfarina
Ficha técnica
Motor Gasolina:Diesel:
  • 2.5 L I4 TD
Transmissão 5 Veloc. Manual
6 veloc. Manual
4 veloc. Automático
Layout FF/F4
Modelos relacionados Fiat Croma
Lancia Thema
Saab 9000
Dimensões
Comprimento 1988-1990: 4554 mm
1991-1992: 4557 mm
1993-1994: 4560 mm
Super: 4665 mm
Entre-eixos 2660 mm
Largura 1760 mm
Altura 1988-1990 & 1993-1995: 1390 mm
Q4: 1356 mm
1991-1992: 1393 mm
Peso 1200 - 1510 kg
Tanque 504 l (133 US-gal)[1]
Consumo 5.8L[1]
Velocidade Máx. 210 km/h (130 mph)[1]
Cronologia
Alfa Romeo Alfa 6
Alfa Romeo 90
Alfa Romeo 166

O 164 foi renomeado como 168 para os mercados de Hong Kong e da Malásia, porque 164 tinha uma conotação muito negativa (em chinês, 164 é um homófono de "todo o caminho para a morte"), enquanto 168 quer dizer exatamente o contrário ("todo o caminho para a prosperidade").[2]

No Brasil, foi importado oficialmente pela FIAT, dona da Alfa Romeo. Chegou aqui em 1990 custando US$ 135.000,00 na versão de entrada, o que proporcionava a seus proprietários um enorme status. Para se ter ideia, com este valor era possível adquirir 5 Fiat Uno CS 1.3 0 km. Era um veículo extremamente potente, confiável e com um conforto extraordinário. Infelizmente, a Fiat não soube vender o veículo no Brasil, e acabou deixando os compradores sem assistência, sem peças e sem esperanças. Isso criou uma fama de carro ruim, o que não é verdade. O carro é incrível, mas devem ser analisados os donos anteriores, a manutenção periódica, além da quilometragem e estado geral. Recomenda-se levar um mecânico especializado em Alfas para auxiliá-lo na compra. O preço atual de um 164 em bom estado gira em torno de R$ 18.000,00, desconfie de valores abaixo de R$ 12.000,00, pode ser uma bela furada. Alguns exemplares em perfeito estado podem atingir exorbitantes R$ 30.000,00, com quilometragem baixa, manual, chave reserva, livreto de revisões, documentação vasta, cambio automático, entre outros mimos. Mas opte pelos exemplares de cambio mecânico, pois são menos suscetíveis a problemas, além de proporcionarem mais diversão ao conduzir. O ronco do motor é outro ponto que merece destaque, seus coletores em aço inox conferem um ronco abafado e esportivo, instigando o dono a extrair o máximo de potência do veículo.

ResumoEditar

Revelado pela primeira vez no Salão de Frankfurt de 1987, o 164 podia ser considerado o primeiro da "nova geração" de Alfa Romeos. Foi o último modelo a ser desenvolvido pela marca enquanto era independente (embora tenha sido lançado alguns meses depois da Fiat ter comprado a empresa), e foi sobretudo o primeiro grande Alfa com tracção à frente. O 164 foi essencial ao plano da Fiat para relançar a Alfa Romeo como uma marca de prestígio após o fim dos anos 70 e do início dos anos 80.

O 164 foi a última berlina da Alfa Romeo para ser vendida nos EUA, onde só estava disponível a versão 3.0 V6 (12 válvulas de 1991-1993, 24 válvulas 1994-1995).

Foi muito bem sucedido na Europa, atraindo condutores interessados que queriam uma berlina desportiva confiável e com preço acessível como alternativa às ofertas alemãs da BMW e da Mercedes.

O 164 foi descontinuado e substituído pelo 166 em 1998. 273,857 unidades foram produzidas.[3]

DesignEditar

O Alfa Romeo 164 foi desenhado pela Pininfarina, pouco depois de completarem o Ferrari Testarossa. Pode-se ver que o 164 partilha várias ideias de design com o Ferrari que é expressa como uma berlina de quatro portas. Em termos de património, o design é também a extensão lógica e sucessor do Alfetta, particularmente o último modelo "nariz comprido, faróis quadrados".

O 164 foi o primeiro Alfa a ter um uso extensivo de desenho assistido por computador para calcular tensões estruturais, resultando numa carroçaria muito rígida, mas relativamente leve. O 164 foi a base para o chassis Tipo Quatro, que partilha com o Lancia Thema, Fiat Croma e Saab 9000. Sendo o último a chegar ao mercado, a carroçaria do 164 era a mais aerodinâmica e tinha um perfil marcadamente mais liso e um menor coeficiente de arrasto. Em ordem para permitir esta variação de design, uma suspensão dianteira exclusiva foi desenvolvida.

O Alfa Romeo 164 foi o primeiro Alfa Romeo "nova tecnologia" e a base tecnológica e de estilo de todos os Alfa Romeo actuais.

O 164 também introduziu qualidade de construção dramaticamente melhorada em relação aos Alfas anteriores, contendo um armação de aço galvanizado e painéis de carroçaria variados pela primeira vez, acabando com a queixa mais comum dos clientes da Alfa sobre problemas de ferrugem encontrada em modelos antigos como o Alfasud e o GTV.

Embora alguns puristas temeram a perda de carácter graças à adopção de tracção às rodas dianteiras pela primeira vez numa berlina de topo da Alfa, o carro provou-se a si mesmo como confortável ao mais alto nível, com um carácter desportivo distinto, de acordo com a tradição da marca. De facto, a imprensa motorizada da altura disse que a sua única falha era alguma viragem feita pelo torque, particularmente nas versões anteriores.

O 164 foi desenhado para competir no segmento de carros executivos dominados pelo BMW Série 5[4] e pelo Audi 100. Oferecia melhor relação qualidade-preço em termos de tecnologia (tendo três computadores de bordo, um para o ar condicionado, um para a instrumentação e um para a gestão do motor;o ar condicionado e as funções dos instrumentos partilhavam um microcontrolador classe Z-80 codificado com múltiplos modos para o funcionamento do painel de instrumentos). A direcção do ar no sistema de ventilação era controlada por um par de servomecanismos, que foram construídos usando peças de plástico notoriamente frágeis que eram propensas a falhas; possíveis custos altos das partes do carro fora aliviados com as partes comuns do 166. Pelo menos uma empresa de revenda também desenvolveu engrenagens de metal de substituição, que elimina o problema ruptura.

O carro tinha algumas características avançadas para a sua altura, como controlo climático automático e suspensão de amortecimento controlada electronicamente (nos modelos topo de gama Cloverleaf e 164S). A suspensão reduzia activamente o amortecimento em resposta às condições para fornecer um compromisso dinâmico entre aderência à estrada e conforto. O 164 também possuía motores classificados como os melhores da indústria na altura, e os desenhos básicos dos motores foram usados pela Alfa Romeo até há pouco tempo pela Alfa Romeo em toda a sua gama de modelos.

Alfa Romeo Q4Editar

 
Alfa Romeo 164 Q4

Em 1993 a Alfa introduziu uma variante com tracção às quatro rodas chamada Q4 (abreviatura para Quadrifoglio 4), que estava equipado com uma versão ainda mais potente do motor 3.0 L V6. O sistema 4x4 do Q4 (Viscomatic) foi co-desenvolvido pela companhia austríaca Steyr-Puch.[5] O sistema era muito avançado em comparação com os outros sistemas 4x4 da altura. O sistema consistia nma unidade de acoplamento viscoso, diferencial central epicíclico e diferencial Torsen na traseira. O sistema todo é conectado às unidades ABS e Motronic. A potência conduzida ao eixo traseiro é variável continuamente de 0 a 100%, por isso o carro pode ter inteiramente tracção às rodas dianteiras ou traseiras, dependendo das condições. O torque é distribuído entre os eixos dependendo da velocidade, eixo de viragem, rotações por minuto do motor, posição do acelerador e paramétricos do ABS. Este modelo estava equipado caixa de velocidades manual de 6 velocidades.

DesenvolvimentoEditar

 
Alfa Romeo 164 Super 3.0 V6

O desenvolvimento do 164 foi de longe, o mais exigente de todos os automóveis fabricados pela Alfa Romeo, e estabeleceu o padrão pelo qual os outros fabricantes europeus seriam medidos.

  • Os testes iniciais dos elementos dinâmicos do 164 começaram em 1984, onde os Giuliettas foram usados como mulas de teste para os motores e transmissões. Falhas de condução iniciais foram eliminados na pista de testes da fábrica em Arese.
  • Em 1985, os primeiros 164 de pré-produção foram postos em estrada. Disfarçados, com muitos painéis falsos e um falso desenho de nariz (emprestados do igualmente subdesenvolvido 155), ostentando quatro faróis redondos, estes veículos de teste serviram para testar o 164 para o exaustivo milhão de quilómetros e testes rodoviários exigidos pelo design.

MotorEditar

 
Alfa Romeo Twin Spark 8-valve 4-cylinder engine

O motor do 164 era o motor Twin Spark I4 de 2,0 L com duas velas de ignição por cilindro. Além disso, esse motor também foi notável por ter um sistema de sincronização de válvulas de dois estágios (antes do VTEC da Honda) e um sistema de válvula de indução do tipo lâmina, com o objetivo de melhorar o torque em baixa rotação.

O bloco do Twin Spark era o mesmo 2.0 L que fez parte da história dos carros de corrida da Alfa desde os anos 30. O motor apresentava injeção de combustível, controlada por um sistema Bosch Motronic, além de um cabeçote de cilindro DOHC acionado por corrente, ventilador de refrigeração ligado correia do alternador, maior confiabilidade e menor atrito parasitário. A bateria de todos os 164s foi colocada no porta-malas para atingir uma distribuição de peso próxima de 50:50.

 
Alfa "Busso" V6 24v em um 164 Q4

Logo depois veio o motor turbo de 2,0 L de 8 válvulas, derivado do Lancia Thema i.e. Turbo, e que possuía função de overbooste tinha potencia máxima de 129 kW (175,4 cv). Mais tarde, este foi substituído por um V6 de 2,0 L turbo de 156 kW (212,1 cv), baseado no motor de 3,0 L 12 válvulas e equipado com um sistema de gerenciamento de motor muito sofisticado da Bosch.

O motor topo de linha foi o 3.0 L "Busso" V6 projetado por Giuseppe Busso originalmente para o Alfa Romeo 6. Seu projeto inicialmente possui cabeçotes com 12 válvulas e posteriormente foi atualizado para 24 válvulas DOHC para os novos modelos V6, especificamente, QV e Q4.

Para a Europa, havia também uma versão turbodiesel com um motor da fabricante italiana de motores VM Motori. Ele Produzia 92 kW (125 cv) e tinha torque máximo de 288 N·m (212 lbf·ft) à 2000 rpm, com este motor, o 164 tinha uma velocidade máxima de 200 km/h (124,3 mph).[6]

PerformanceEditar

Modelo Tipo Volume de deslocamento Potência Torque 0–100 km/h (0–62 mph) Velocidade máxima Produção
Motores à Gasolina
2.0 Twin Spark 8v I4 2.0 L
(1,962 cc)
108 kW (147 PS; 145 hp) 187 N·m (138 lbf·ft) at 4700 rpm 9.2 s 215 km/h
(134 mph)
1987—1989
2.0 T.Spark 8v (cat) I4 2.0 L
(1,962 cc)
106 kW (144 PS; 142 hp) 187 N·m (138 lbf·ft) a 4700 rpm 9.9 s 210 km/h
(130 mph)
1990—1992
2.0 TS 8v I4 2.0 L
(1,962 cc)
105 kW (143 PS; 141 hp) 193 N·m (142 lbf·ft) a 5000 rpm 9.9 s 215 km/h
(134 mph)
1992—1994
2.0 TS Super 8v I4 2.0 L
(1,995 cc)
105 kW (143 PS; 141 hp) 187 N·m (138 lbf·ft) a 5000 rpm 9.9 s 215 km/h
(134 mph)
1995—1997
2.0 Turbo 8v I4 2.0 L
(1,995 cc)
129 kW (175 PS; 173 hp) 265 N·m (195 lbf·ft) a 2500 rpm 7.2 s 225 km/h
(140 mph)
1987—1991
2.0 V6 Turbo V6 2.0 L
(1,996 cc)
156 kW (212 PS; 209 hp) 306 N·m (226 lbf·ft) a 2750 rpm 7.2 s 243 km/h
(151 mph)
1991—1992
2.0 V6 Turbo Super V6 2.0 L
(1,996 cc)
151 kW (205 PS; 202 hp) 301 N·m (222 lbf·ft) a 2750 rpm 8.0 s 237 km/h
(147 mph)
1993—1997
3.0 V6 12v V6 3.0 L
(2,959 cc)
141 kW (192 PS; 189 hp) 261 N·m (193 lbf·ft) at 4900 rpm 8.1 s 230 km/h
(140 mph)
1987—1989
3.0 V6 12v (cat) V6 3.0 L
(2,959 cc)
135 kW (184 PS; 181 hp) 261 N·m (193 lbf·ft) a 4900 rpm 8.1 s 230 km/h
(140 mph)
1990—1992
3.0 V6 12v Super V6 3.0 L
(2,959 cc)
132 kW (179 PS; 177 hp) 255 N·m (188 lbf·ft) a 4400 rpm 8.0 s 230 km/h
(140 mph)
1992—1997
3.0 V6 12v QV V6 3.0 L
(2,959 cc)
147 kW (200 PS; 197 hp) 274 N·m (202 lbf·ft) a 4400 rpm 7.7 s 237 km/h
(147 mph)
1990—1992
3.0 V6 24v Super V6 3.0 L
(2,959 cc)
155 kW (211 PS; 208 hp) 266 N·m (196 lbf·ft) a 5000 rpm 8.0 s 240 km/h
(150 mph)
1993—1997
3.0 V6 24v QV V6 3.0 L
(2,959 cc)
170 kW (230 PS; 230 hp) 276 N·m (204 lbf·ft) a 5000 rpm 7.0 s 245 km/h
(152 mph)
1993—1997
3.0 V6 Q4 V6 3.0 L
(2,959 cc)
170 kW (230 PS; 230 hp) 276 N·m (204 lbf·ft) a 5000 rpm 7.7 s 240 km/h
(150 mph)
1993—1997
Motores à Diesel
2.5 Turbodiesel I4 2.5 L
(2,499 cc)
86 kW (117 PS; 115 hp) 260 N·m (190 lbf·ft) a 2200 rpm 11.1 s 200 km/h
(120 mph)
1987—1992
2.5 Turbodiesel I4 2.5 L
(2,499 cc)
92 kW (125 PS; 123 hp) 288 N·m (212 lbf·ft) a 2000 rpm 10.8 s 202 km/h
(126 mph)
1992—1997

Referências

  1. a b c «Especificações do 164 de 1987». ultimatespecs.com. Consultado em 5 de julho de 2014 
  2. Chris Robyn. «Alfa Romeo 168: What's in a Number?». digest.net  (em inglês)
  3. «164 Production». www.digest.net. Consultado em 31 de agosto de 2010. Arquivado do original em 5 de abril de 2007  (em inglês)
  4. «"Four of a Kind: The Alfa Romeo 164 and the "Type Four" Cars"». ateupwithmotor.com  (em inglês)
  5. «"Alfa Romeo 164 Q4 Mechanicals"». krut.se. Consultado em 3 de setembro de 2010. Arquivado do original em 28 de setembro de 2007  (em sueco)
  6. «THE 164 RANGE». www.digest.net. Consultado em 17 de agosto de 2008 
  • Revista Quatro Rodas - Julho de 1995 - Edição 420.

Ligações externasEditar