Raposa-do-ártico

espécie de raposa
(Redirecionado de Alopex lagopus)
Como ler uma infocaixa de taxonomiaRaposa-do-ártico
Alopex lagopus
Alopex lagopus
Estado de conservação
Espécie pouco preocupante
Pouco preocupante [1]
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Carnivora
Família: Canidae
Género: Vulpes
Espécie: V. lagopus
Nome binomial
Vulpes lagopus
(Linnaeus, 1758)
Distribuição geográfica
Azul = territorio da Raposa-do-ártico
Azul = territorio da Raposa-do-ártico
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Raposa-do-ártico

A raposa-do-ártico (AO 1945: raposa-do-árctico; Vulpes lagopus), também conhecida por raposa-polar, é uma pequena raposa nativa das regiões árticas do hemisfério norte e comum em todo o bioma de tundra ártica.[2] Está bem adaptada para viver em ambientes frios e é mais conhecida por seu pelo espesso e quente, que também é usado como camuflagem. Na natureza, a maioria dos indivíduos não vive além do primeiro ano, mas alguns sobrevivem até 11 anos.[3]

Embora tenha sido previamente atribuído ao seu próprio gênero monotípico Alopex, evidências genéticas recentes agora o colocam no gênero Vulpes junto com a maioria das outras raposas.[2][4]

DescriçãoEditar

A raposa-do-ártico adulta mede de 46 a 68 cm de comprimento,[5] e a altura até os ombros é de 25–30 cm; os machos geralmente pesam de 3,2–9,4 kg e as fêmeas 1,4-3,2 kg.[6] A cauda é espessa e mede cerca de 30 cm em ambos os sexos, representando um terço do comprimento total da cabeça e do corpo.[7]

A espécie vive em alguns dos extremos mais frígidos do planeta, mas não começa a tremer até que a temperatura caia para -70°C.[8] Tem pequenas orelhas revestidas de pelo que ajudam a reter o calor. As patas são relativamente grandes para evitar que o animal afunde na neve fofa e têm pelo lanudo nas patas que funciona como isolante e antiderrapante. As dimensões gerais do crânio são mais curtas e planas do que as das raposas-vermelhas. A caixa craniana excede a região facial em comprimento, o que dá um aspecto de focinho curto à cabeça. A região facial é curta e larga. Os caninos são relativamente curtos e fracos, assim como a mordida.[9]

Sua pelagem é densa e em várias camadas, funcionando como isolante térmico. A camada de pelo externo da raposa cobre uma densa e espessa camada de pelo inferior. Existem duas formas de cores geneticamente distintas: branca e "azul".[10] A cor da pelagem das raposas árticas azuis e brancas difere sazonalmente, e para ambas as formas, há duas mudas por ano, na primavera e no outono. O morfo branco tem camuflagem sazonal, sendo branco no inverno e marrom-acinzentado no verão. A variação azul costuma ser azul escuro, marrom ou cinza o ano todo. Embora o alelo azul seja dominante sobre o alelo branco, 99% da população de raposas árticas é o morfo branco.[11]

Distribuição e habitatEditar

 
As peles sazonais da raposa do Ártico, verão (em cima), "azul" (no meio) e inverno (embaixo)

A raposa-do-ártico tem distribuição circumpolar e ocorre em habitats de tundra ártica no norte da Europa, norte da Ásia e América do Norte. Sua distribuição inclui Groenlândia, Islândia, Fenoscândia, Svalbard, Jan Mayen (onde foi caçada até a extinção)[12] e outras ilhas no Mar de Barents, norte da Rússia, ilhas no Mar de Bering, Alasca e Canadá no extremo sul da Baía de Hudson. No final do século XIX, foi introduzido nas Ilhas Aleutas a sudoeste do Alasca. No entanto, a população das Ilhas Aleutas está sendo erradicada em esforços de conservação para preservar a população de pássaros local.[1] Habita principalmente tundras e gelo à deriva, mas também está presente nas florestas boreais canadenses (nordeste de Alberta, norte de Saskatchewan, norte de Manitoba, norte de Ontário, norte do Quebec, e Newfoundland and Labrador)[13] e a Península de Kenai no Alasca. Eles são encontrados em elevações de até 3000 m acima do nível do mar e foram vistos no gelo marinho próximo ao Pólo Norte.[14]

A cor da pelagem da raposa também determina onde é mais provável que sejam encontradas. A morfologia branca vive principalmente no interior e se mistura com a tundra nevada, enquanto a morfologia azul ocupa as costas porque sua cor escura se mistura com as falésias e rochas.

ComportamentoEditar

 
Uma raposa-do-ártico adormecida com a cauda enrolada em si mesma

As raposas-do-ártico permanecem ativas o ano todo. Seus hábitos são principalmente noturnos, mas seus padrões de atividade são flexíveis, de modo que podem se adaptar aos de suas presas.[7] Elas devem suportar uma diferença de temperatura de até 90–100°C entre o ambiente externo e sua temperatura interna.[15] Para evitar a perda de calor, a raposa do Ártico se enrola firmemente dobrando suas pernas e cabeça sob o corpo e atrás de sua cauda peluda. Esta posição dá à raposa a menor relação entre área de superfície e volume e protege as áreas menos isoladas. As raposas-do-ártico também se mantêm aquecidas escapando do vento e residindo em suas tocas.[16] Embora as raposas do Ártico sejam ativas o ano todo e não hibernem, elas tentam preservar a gordura reduzindo sua atividade locomotora;[17] elas aumentam suas reservas de gordura no outono, às vezes aumentando seu peso corporal em mais de 50%. Isso fornece maior isolamento durante o inverno e uma fonte de energia quando os alimentos são escassos.

ReproduçãoEditar

Raposas-do-ártico são monogâmicas e ambos os pais cuidarão da prole. Quando predadores e presas são abundantes, são mais propensas a serem promíscuas (exibidas em machos e fêmeas) e apresentam estruturas sociais mais complexas. O acasalamento ocorre de fevereiro a maio e a gestação dura cerca de 51–54 dias. O número de raposas-do-ártico depende da disponibilidade de alimento e varia conforme o número de suas presas. A espécie tem o maior tamanho de ninhada conhecido na ordem Carnivora,[18] podendo gerar 3 a 25 filhotes. Os filhotes altriciais pesam 60-90 g ao nascer e nascem cegos e os olhos e ouvidos não se abrem até os 14–16 dias de idade. A maturidade sexual ocorre em 9-10 meses.[7]

AlimentaçãoEditar

 
Uma raposa-do-ártico (pelagem de verão) com peixe

As raposas-do-ártico são onívoras e oportunistas, mas a composição exata da dieta varia por região, estação e ano. Na maioria das regiões, os pequenos roedores, principalmente os lêmingues e ratos, e outros pequenos mamíferos fazem parte da dieta. Também apanham caranguejos e peixes na costa, bem como aves marinhas e seus ovos.[9] A carne putrefata é uma parte importante da sua dieta, principalmente durante o inverno;[8] elas seguem os ursos polares para se banquetearem com os restos das suas matanças de focas. As raposas-do-ártico também comem material vegetal, incluindo bagas, gramíneas, várias plantas herbáceas e algas.[8] Em épocas de fartura, armazenam as sobras de carne em suas tocas, alinhando ordenadamente aves sem cabeça ou cadáveres de mamíferos. Essas reservas são consumidas nos meses de inverno.

ReferênciasEditar

  1. a b Angerbjörn, A. & Tannerfeldt, M. (2014). «Vulpes lagopus». Lista Vermelha da IUCN de espécies ameaçadas da UICN (em inglês). ISSN 2307-8235. Consultado em 2 de novembro de 2020 
  2. a b Raposa-do-ártico (em Inglês) In: Wilson, D. E. & Reeder, D. M. (2005) Mammal Species of the World. A Taxonomic and Geographic Reference. 3ª edição. ISBN 0801882214
  3. Pagh, Sussie; Hersteinsson, Pall (2008). «Difference in diet and age structure of blue and white Arctic foxes (Vulpes lagopus) in the Disko Bay area, West Greenland». Polar Research. 27 (1): 44–51. Bibcode:2008PolRe..27...44P. doi:10.1111/j.1751-8369.2008.00042.x 
  4. Bininda-Emonds, O.R.P.; Gittleman, J.L.; Purvis, A. (1999). «Building large trees by combining phylogenetic information: a complete phylogeny of the extant Carnivora (Mammalia)». Biol. Rev. 74 (2): 143–175. CiteSeerX 10.1.1.328.7194 . PMID 10396181. doi:10.1111/j.1469-185X.1999.tb00184.x 
  5. «Arctic Fox». National Geographic. Consultado em 2 de novembro de 2020 
  6. Boitani, Luigi; Bartoli, Stefania; Anderson, Sydney (1983). Simon and Schuster's Guide to mammals. Nova Iorque: Simon and Schuster. ISBN 978-0-671-42805-1 
  7. a b c Audet, Alexandra M.; Robbins, Brian; Lariviere, Serge (26 de dezembro de 2002). «Alopex lagopus». Mammalian Species (713): 1-10. doi:10.1644/0.713.1/2600806 
  8. a b c «Vulpes lagopus». Smithsonian National Museum of Natural History. Consultado em 2 de novembro de 2020. Cópia arquivada em 13 de março de 2015 
  9. a b Sheldon, Jennifer W. (1992). Wild Dogs. The Natural History of the Nondomestic Canidae. [S.l.]: Academic Press 
  10. Prestrud, Pal (1991). «Adaptations by the Arctic Fox (Alopex lagopus) to the Polar Winter». Arctic. 44 (2): 132–138. JSTOR 40511073. doi:10.14430/arctic1529 
  11. Pagh, Sussie; Hersteinsson, Pall (2008). «Difference in diet and age structure of blue and white Arctic foxes (Vulpes lagopus) in the Disko Bay area, West Greenland». Polar Research. 27 (1): 44–51. Bibcode:2008PolRe..27...44P. doi:10.1111/j.1751-8369.2008.00042.x 
  12. The isolated beauty of Jan Mayen. Hurtigruten US
  13. «Arctic fox». Nature Conservancy Canada 
  14. Feldhamer, George A.; Thompson, Bruce C.; Chapman, Joseph A. (2003). Wild Mammals of North America: Biology, Management, and Conservation. [S.l.]: JHU Press. pp. 511–540. ISBN 978-0-8018-7416-1 
  15. Fuglesteg, Britt; et al. (2006). «Seasonal variations in basal metabolic rate, lower critical temperature and responses to temporary starvation in the arctic fox (Alopex lagopus) from Svalbard». Polar Biology. 29 (4): 308–319. doi:10.1007/s00300-005-0054-9 
  16. Prestrud, Pal (1991). «Adaptations by the Arctic Fox (Alopex lagopus) to the Polar Winter». Arctic. 44 (2): 132–138. JSTOR 40511073. doi:10.14430/arctic1529 
  17. Klir, John; Heath, James (1991). «An Infrared Thermographic Study of Surface Temperature in Relation to External Thermal Stress in Three Species of Foxes: The Red Fox (Vulpes vulpes), Arctic Fox (Alopex lagopus), and Kit Fox (Vulpes macrotis)». Physiological Zoology. 65 (5): 1011–1021. JSTOR 30158555. doi:10.1086/physzool.65.5.30158555 
  18. Sillero-Zubiri, C.; Macdonald, D. W. (2004). The biology and conservation of wild canids. [S.l.]: Oxford University Press Oxford. ISBN 0-19-851556-1 
O Wikispecies tem informações sobre: Raposa-do-ártico
  Este artigo sobre carnívoros, integrado no Projeto Mamíferos, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.