Abrir menu principal

Cemitério do Alto de São João

cemitério em Lisboa, Portugal
Cemitério do Alto de São João
Allée Cemitério do Alto de São João Lisboa.jpg
País
Endereço
Estatuto patrimonial
Em vias de classificação (d)Visualizar e editar dados no Wikidata
Find a Grave
Coordenadas
Vista do Crematório.

O Cemitério do Alto de São João é o maior e um dos mais importantes cemitérios da cidade de Lisboa em Portugal, encontrando-se sepultadas nele inúmeras figuras ilustres da história do país.

HistóriaEditar

O Cemitério do Alto de São João foi mandado construir em 1833 pela Rainha Dona Maria II aquando da epidemia de cólera morbus que assolou a cidade de Lisboa, servindo ainda hoje a zona oriental da cidade, sendo a ocidental servida pelo Cemitério dos Prazeres. Foi durante mais de um século o primeiro cemitério da cidade tendo sido escolhido pela Primeira República como local para homenagear os seus heróis, com a construção de uma cripta. De realçar também a Cripta dos Combatentes da Grande Guerra, a cargo da Liga dos Combatentes, bem como o talhão privado de Bombeiros Voluntários, o Jazigo dos Beneméritos da Santa Casa da Misericórdia, o Jazigo dos Viscondes de Valmor ou o Jazigo dos Beneméritos da Cidade.

Ocupava a Quinta dos Apóstolos, na altura situada fora dos limites da cidade, zona rural de grandes quintas, passando a gestão pública apenas em 1841, após a legislação de 1835 que proibia os enterramentos em igrejas. Inicialmente ajardinado, está arborizado com ciprestes, eucaliptos, robínias, alfarrobeiras, jacarandás, entre muitas outras. Encontra-se aqui um notável conjunto de arquitectura funerária, muita dela em estilo neomanuelino, onde estão sepultadas algumas das personalidades que fizeram parte da história do país nos últimos duzentos anos. Trata-se uma verdadeira cidade, com casas numeradas e ruas. A principal é a que começa na entrada sendo cortada por outras perpendicularmente.

O primeiro forno crematório do país foi construído neste cemitério em 1925, tendo sido desactivado alguns anos mais tarde por razões políticas, sendo reativado em 1985.[1] É um dos cemitérios históricos da cidade onde se encontram inúmeros mausoléus e jazigos, ricamente decorados com simbologia do imaginário religioso e intelectual.

Alguns ilustres sepultados ou cremados no cemitérioEditar

Referências

  1. «Cemitério do Alto de São João». lisboaverde. Consultado em 9 de agosto de 2010