Amador de Medeiros

Amador de Medeiros (Portugal, ? — São Paulo, 15 de maio de 1597) foi um dos primeiros povoadores europeus da Capitania de São Vicente, atual estado de São Paulo.[1]

Amador de Medeiros
Nome completo Amador de Medeiros
Nascimento
Portugal
Morte 15 de maio de 1597
São Paulo, Brasil
Nacionalidade Portuguesa
Ocupação Sesmeiro, ouvidor e tabelião

Estabeleceu-se inicialmente em Santos, em 1553, conforme declarou em 1571, afirmando morar nessa vila há 18 anos. Teria vindo com a família e casado pela segunda vez na Capitania de São Vicente antes de 1570, onde servira como tabelião.[2]

Segundo o livro do tombo do Mosteiro de São Bento da cidade de São Paulo [2], Amador de Medeiros auxiliou Mem de Sá no Rio de Janeiro com as tropas de São Vicente, por ocasião das guerras e revoltas, em 1560 e 1575.[3] Faleceu antes de 15 de maio de 1597.[1]

Sesmaria Medeiros-MaldonadoEditar

Em 1561, em Santos, no exercício do cargo de ouvidor, obteve, por despacho do governador Capitão Pedro Colaço, terras da extinta vila de Santo André da Borda do Campo, onde estabeleceu uma sesmaria.[1][2] A sesmaria ocupava uma enorme faixa de terra, partindo do rio “Tamandatiiba” (Ribeirão dos Meninos), próximo ao Caminho do Mar, e com limites na região do Ipiranga e Jabaquara [4]. Estas terras correspondem a atual região do Grande ABC.[4][1]

A 24 de abril de 1637, Miguel Aires Maldonado, genro de Amador de Medeiros, doou ao Mosteiro de São Bento a sesmaria que herdou de Amador de Medeiros, pai de sua primeira mulher, dispondo a pensão de uma missa anual pela alma dos sogros, doadores e descendentes.[1][3][5] Os monges beneditinos criariam duas fazendas na região, a fazenda São Bernardo e a fazenda São Caetano, que dariam origem às atuais cidades da região do ABC.[6][7]

Referências

  1. a b c d e Castro Coelho, H. V. «Povoadores de S. Paulo: Amador de Medeiros» (PDF). Revista da ASBRAP nº 16 
  2. a b c Johnson, Martinho (1977). Livro do Tombo do Mosteiro de São Bento da Cidade de São Paulo. [S.l.]: Mosteiro de São Bento 
  3. a b Paes Leme, Pedro (1871). «Nobiliarquia paulistana. Genealogia das principais famílias de S. Paulo». Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Volume 34 
  4. a b Almeida, Celso (2000). «São Bernardo: raízes e evolução. O vulto histórico de Tomás Inocêncio Lustosa». Raízes. Ano XI, número 22 
  5. Weneck, Francisco (1956). «Miguel Aires Maldonado na História Fluminense». Revista genealógica latina, Volumes 8-11 
  6. «Palestra e celebração resgata legado dos beneditinos no tricentenário da primeira capela de São Caetano  - Diocese de Santo André». Diocese de Santo André. 12 de dezembro de 2017 
  7. «1717, o elo histórico de duas cidades-irmãs - Diário do Grande ABC». Jornal Diário do Grande ABC 

Ver tambémEditar