Abrir menu principal
Amerika Bomber
Bombardeiro
Messerschmitt Me 264
Descrição
Tipo / Missão projecto para protótipo de bombardeiro de longo alcance
País de origem  Alemanha

O projecto Amerika Bomber (Bombardeiro América), nome de código 1061, foi uma iniciativa do Reichsluftfahrtministerium, (RLM - Ministério da Aviação do Reich) para o desenvolvimento e construção de um bombardeiro de longa distância para a Luftwaffe, de modo a permitir atacar o território continental dos Estados Unidos, sendo a principal cidade alvo Nova Iorque, a partir da Alemanha. Pedidos de modelos foram feitos aos principais fabricantes alemães durante a Segunda Guerra Mundial, mesmo antes dos Estados Unidos entrarem na guerra.

HistóriaEditar

Em 1943, a Alemanha começou a ser bombardeada diariamente por milhares de bombardeiros britânicos e norte-americanos, ao contrário do território continental dos Estados Unidos, que não tinham sofrido quaisquer danos com a guerra. O Ministério da Aviação do Reich chegou à conclusão que os Estados Unidos não estavam protegidos contra ataques aéreos contra a população civil norte-americana, e por consequência, um ataque contra Nova Iorque poderia tirar os EUA da guerra. Em 1942, Hermann Göring ordenou o início do desenvolvimento de um bombardeiro capaz de voar até Nova Iorque e largar uma bomba, e voltar à Alemanha. Wilhelm Emil Messerschmitt, fabricante de caças e bombardeiros e amigo pessoal de Göring foi nomeado líder do projecto.

Foram chamadas cinco companhias produtoras: Messerschmitt, Focke-Wulf, Arado, Junkers e por fim o projeto do Doutor Eugen Sänger conhecido como Silbervogel ("Pássaro de Prata"). Os irmãos Reimar e Walter Horten não haviam sido chamados.

Durante um raide aéreo por parte dos aliados, no mesmo ano, o protótipo do primeiro modelo desenvolvido para o projecto, o Messerschmitt Me 264, foi destruído.

Hermann Göring ficou afastado da liderança da Luftwaffe devido à sua dependência em morfina, e um grupo de oficiais que se chamavam a si próprios o Clube, tomaram conta do projecto.

O novo líder do projecto contactou três dos maiores fabricantes de aviões alemães, Wilhelm Emil Messerschmitt e Focke-Wulf, pedindo um bombardeiro capaz de percorrer no mínimo 10.600 milhas — 3.500 milhas de viagem da Alemanha a Nova Iorque, 7.000 milhas de regresso e mais algumas milhas de segurança. Acabaram por ser escolhidos três dos modelos propostos.

O projecto também iria precisar de uma arma capaz de arrasar com uma cidade inteira e penetrar várias defesas. Para este efeito os cientistas alemães já estavam a estudar o desenvolvimento de uma bomba atómica (ver: projeto de energia nuclear alemão), embora uma bomba que libertaria partículas radioactivas tivesse também sido estudada como solução.

ModelosEditar

 
Silbervogel

As propostas mais sólidas foram baseadas no modelo dos principais bombardeiros convencionais que teriam um design muito semelhante em configuração e capacidade aos bombardeiros pesados Aliados dos dias de hoje. Estes modelos incluíam o Messerschmitt Me 264, o Focke-Wulf Fw 300 (baseado no existente Fw 200), e o Junkers Ju 390 (baseado no Junkers Ju 290).

Protótipos do Me 264 foram construídos, mas apenas o Ju 390 foi seleccionado para produção. Apenas dois protótipos foram construídos antes do projecto ser abandonado. A Focke-Wulf apresentou ainda o Ta 400, um bombardeiro pesado de 4 motores pistão.

Outras propostas muito mais exóticas incluíam modelos a jacto e foguete. O mais conhecido nos dia de hoje é o bombardeiro sub-orbital Silbervogel de Eugen Sänger e o mais convencional Horten Ho XVIII dos irmãos Horten, uma asa voadora, baseada no seu existente modelo Ho IX. A empresa Arado também sugeriu o Arado E.555, um modelo de seis motores a jacto (versão E.555 1). Todos estes projectos eram demasiado caros e ambiciosos, e após vários anos de estudos foram abandonados pelo governo alemão.

Na década de 1960 muitas destas propostas foram reutilizadas pelos Estados Unidos. O plano do V4 de Wernher von Braun foi utilizado no Programa espacial dos Estados Unidos; na década de 1980, os planos do Silbervogel de Eugen Sänger foram utilizados para o desenvolvimento do vaivém espacial ( ônibus espacial ) da Nasa; e o modelo dos irmãos Horten foi utilizado para o desenvolvimento do B-2 Spirit e do F-117 Nighthawk.

Missão JaponesaEditar

Os japoneses se interessaram pelos planos alemães de atacar os Estados Unidos e tentaram desenvolver seus próprios aviões para a missão. Os mais famosos são o Aichi M6A "Seiran", Nakajima G10N "Fugaku" e o Tachikawa Ki-77. O primeiro decolaria dos submarinos porta-aviões I-400 e I-401, com alguns poucos atacando a costa americana. Já o G10N foi cancelado pela própria Nakajima, enquanto que o Ki-77 foi o primeiro bombardeiro experimental de longo alcance.

Ver tambémEditar

BibliografiaEditar

  • Hitlers Plan To Atom Bomb New York, Bush Entertainment / History Channel.

Ligações externasEditar